Bicicletas ocupam Jockey Club de São Paulo para corrida de Mountain Bike

Bicicletas ocupam Jockey Club de São Paulo para corrida de Mountain Bike
Bicicletas ocupam Jockey Club de São Paulo para corrida de Mountain Bike

Um dos lugares mais tradicionais da capital paulista, o Jockey Club, será palco de uma disputa diferente das habituais corridas que acontecem no local. Nos dias 12 e 13 de setembro serão os ciclistas que travarão a disputa pela premiação em dinheiro e valiosos pontos UCI (União Ciclística Internacional).
Os melhores atletas da atualidade no Mountain Bike brasileiro e América Latina estarão presentes ao Shimano Short Track 2015, tradicional prova de Cross Country disputada em um circuito de 1.100 metros dentro do Jockey Club de São Paulo. A competição que tem etapas em diversos países da América Latina faz parte do evento Shimano Fest, que em sua sexta edição chega a São Paulo pela primeira vez.
Para Rogério Tancredi, gerente de marketing da Shimano Latinoamerica, disputar uma prova de Mountain Bike praticamente no centro de São Paulo, terá um gosto especial para os atletas. “Não é todo dia que temos uma prova UCI de Mountain Bike aqui na cidade. Aliás, no Jockey Club, um lugar referência em São Paulo, muito bonito e com uma vista privilegiada da cidade. Acredito que teremos número recorde de inscritos”. Por ter chancela da UCI, o Shimano Short Track tem um ingrediente a mais para os atletas que brigam por vaga olímpica. Os pontos ali disputados poderão ser decisivos nas pretensões dos atletas.
A premiação em dinheiro, total de R$ 7 mil, é outro fator de peso na prova. Aos vencedores das categorias Super Elite Masculina e Feminina a premiação é de R$1.400,00. Os segundos colocados receberão R$900,00 e terceiros ficando com R$500. Para atletas na quarta posição o prêmio é de R$300,00 e finalmente, aqueles que chegarem na quinta posição ganham R$200,00. Mas os prêmios em dinheiro não param por aí: atletas que passarem liderando as voltas nos minutos 5, 10, 15 e 20 receberão prêmios de R$100,00 (metas volantes).
O Shimano Short Track é uma atração para toda a família que poderá ver de perto atletas de nível olímpico duelando em pleno Jockey Club, dentro do Shimano Fest. Aos ciclistas federados interessados em participar, as inscrições, limitadas, e regulamento podem ser encontrados no link: http://www.shimanofest.com.br/?page_id=649. Se você vai assistir a prova e torcer pelos atletas, anote na agenda: dias 12 e 13 de setembro no Jockey Club de São Paulo, entrada franca.
Confira a programção completa do evento: www.shimanofest.com.br.
Shimano Fest chega consolidado a São Paulo – Em 2010, a Shimano teve a iniciativa de promover um evento ao ar livre, incentivando o contato das pessoas com o mundo da bicicleta e da pesca. Já no primeiro ano, o Shimano Fest foi uma celebração do esporte, reunindo famílias e atletas profissionais de diferentes países num ambiente ideal para testes de bikes e equipamentos de pesca de diversas marcas.
O sucesso no Brasil foi tamanho que, em 2012, o evento extrapolou as fronteiras e ganhou uma versão na Argentina. Nas cinco primeiras edições, o Shimano Fest reuniu mais de 40 mil pessoas, confirmando a aceitação maciça de público e marcas e despertando o interesse de diversas cidades brasileiras. Neste ano o Shimano Fest chega finalmente à cidade de São Paulo, que está desenvolvendo uma estrutura cada vez mais propícia para a mobilidade urbana via bicicleta.

Pedro Henrique Reis da UAC fica com o bronze na Prova Tiradentes de Ciclismo

Ocorreu nesta quinta (21/04) em Campinas/SP, a Prova Tiradentes de Ciclismo sob organização e supervisão da FPC.
Foram 500 atletas de todo o estado, divididos em quatro categorias e que largaram em três baterias.

Pedro Henrique fica com o bronze na Prova Tiradentes de Ciclismo
Pedro Henrique fica com o bronze na Prova Tiradentes de Ciclismo

O clima de feriado em família tomou conta do entorno do circuito, e parece que foram um dos incentivos dos campeões.
Pedro Henrique Reis (UAC/ Gyant/ CicloRavena/ Americana) que subiu este ano para a categoria sub23, teve sucesso em uma fuga do pelotão e conseguiu levar o bronze da categoria open elite.
“Foi uma prova bastante disputada, com um pelotão grande. O circuito era bem grande também, propício pra fugas. Foi o que aconteceu! Logo na segunda volta, o Renatinho (Padaria Real) lançou um ataque onde eu e mais outro atleta de Santa Bárbara D’oeste saltamos, e abrimos vantagem sobre o perlotao chegando a abrir até 3 minutos. Agradeço primeiramente a Deus pela vitória alcançada e aos demais que acreditaram em mim.” declarou Pedro Henrique.
Parabéns a equipe UAC.
Por Simone Alves

Diário de Bordo: Romaria de Robim até Aparecida

Tudo começou com os olhos encharcados em lágrimas no final da Rua Dr. Marcolino com a Av. JK quando iniciei a viagem após passar na casa de meus pais e despedir de todos. Pedi muito a DEUS que iluminasse o nosso caminho e que nos desse muita força, pois a trajetória seria longa até o Santuário de Aparecida onde poderia definitivamente entregar o aro da bike de estrada lá na Capela dos Milagres. Assim, seria a realização de um sonho que foi interrompido com meu acidente no dia 23/02/2008 na subida do camping depois do trevo de Santana de Patos onde estava com mais dois amigos (Branco e Paulo) oficializando o primeiro treino para viagem até o Santuário de Aparecida.

Robim em uma demonstração de fé
Robim em uma demonstração de fé

Quanto à programação da viagem, no feriado de setembro/2010 fomos de carro até o Santuário fazendo o levantamento da melhor rota a seguir visando à bicicleta, Levantamos a distância entre as cidades, qual era a qualidade do asfalto, disponibilidade de acostamento, altitude dos pontos, serra para escalar existente, qual seria os km para subir, disponibilidade de hotéis nas cidades, cidades mais próximas antes e depois dos principais pontos escolhidos (maiores cidades). Com todas as informações na mão arrancamos: eu pedalando, a Lucia (esposa) e o Sr. Erasmo no carro de apoio, com todo material para passar o dia pedalando (frutas, água, sucos diversos, água de coco, bebidas isotônicas, etc), pois a meta era cumprir o percurso entre cinco e seis dias de pedal.
O mais interessante foi como DEUS nos proporcionou tamanha felicidade, pois não tivemos problemas durante os cinco dias de pedal, tudo transcorreu da melhor forma possível.
1° dia: sábado, 26 de março de 2011.
Patos – Araxá – 156,6km 06h06m06s 25,7km/h
Para o primeiro dia o nosso destino foi Araxá/MG e a meta cumprida na integra. Pedal transcorreu de forma tranquila. A Serra do Salitre não incomodou. No final do dia tivemos o prazer de assistirmos a missa e ainda fomos homenageados na procissão de entrada.
2° dia: domingo, 27 de março de 2011.
Araxá – Franca – 172,0km 07h09m35s 24,5km/h
Já no segundo dia nosso destino seria qualquer cidade depois de Rifaina/Pedregulho que nos aproximasse de Franca e conseguimos chegar ainda cedo, um pouco antes das 16h a Franca/SP. A pedalada foi igual ao primeiro dia, sol moderado e nada de chuvas.
3° dia: segunda-feira, 28 de março de 2011.
Franca – Guaxupé – 154,0km 06h47m35s 22,8km/h
No terceiro dia saímos de Franca com destino ao sul de Minas Gerais onde o percurso seria mais montanhoso devido às serras cafeeiras típicas da região. Depois da saída com uma pequena chuva que nos acompanhou por uns 25 km largamos o estado de SP.
Neste dia encontramos o Sr. José Nildo, ciclista que esta percorrendo todos os estados do Brasil em aproximadamente três anos de pedal. Tiramos algumas fotos, escalamos uma serra juntos e depois o deixei, pois sua carga é de grande peso prejudicando um pouco seu rendimento no pedal, que é de 6,5km/h e pedalando no máximo 70 km por dia. Serra, serra, serra e mais serra.
4° dia: terça-feira. 29 de março de 2011
Guaxupé – Pouso Alegre – 190,0km 08h48m35s 21,6km/h
No quarto dia saímos de Guaxupé com destino a qualquer cidade após Poços de Caldas, pois Pouso Alegre era quase 200 km. A dúvida de não conseguir chegar ao destino era evidente. Neste dia, tivemos alguns problemas. Muita chuva, quatro pneus furados e a Serra de Ipuiuna que estava em fase de duplicação. A cada quilômetro vencido, a emoção aumentava e graças a Deus cada vez mais perto do objetivo. Foi o dia mais difícil, porque depois de todos os problemas só nos restava chegar a Pouso Alegre. Foi aí que chegamos ao hotel em Pouso Alegre por volta das 19 horas, completando quase 09 horas de pedal.
5° dia: quarta-feira, 30 de março de 2011.
Pouso Alegre – Aparecida – 164,1km 7h29m10s 22,0km/h
Chegou o último dia de pedal. Apesar de muita massagem, a dor no joelho direito era eminente. A programação era tentar subir a Serra da Mantiqueira com seus belos, longos e ininterruptos 23,4 km. A pedalada iniciou com condição de asfalto perfeita, acostamento seguro até Itajubá. Segui até Venceslau Braz, onde iniciaria a temida subida da serra. Apesar da dor no joelho, a dificuldade não foi tão dura como esperava, visto a paisagem e enorme desejo que se aproximava a chegada ao santuário. Aproximando de Lorena, uma chuva de lavar a alma insistia em cair.
A partir deste momento, toda emoção pode ser descrita neste vídeo, que após sermos convidados a participar da santa Missa no altar principal da Basílica, participamos ao vivo do programa Bem-vindos romeiros, da TV Aparecida.