Entrevista: Raiza Goulão fala sobre sua carreira e o Campeonato Mundial de MTB

A emocionante vitória de Raiza na etapa de Divinópolis da CIMTB.
A emocionante vitória de Raiza na etapa de Divinópolis da CIMTB.

A atleta Raiza Goulão, bicampeã Pan-americana e Brasileira de MTB, nos concedeu uma entrevista contando sobre como é deter títulos em dois eventos de grande importância para qualquer atleta do ciclismo profissional. Com apenas 22 anos, a ciclista esbanja profissionalismo e conhecimento ao dar sua opinião sobre o ciclismo no país e fala um pouco de sua carreira. Ser representante da Seleção Brasileira de MTB é sinal dos seus esforços e reconhecimento merecido no esporte.
Raiza começou no mercado de trabalho com 16 anos, e durante esse período obteve um interesse em montar uma bike para passeio e diversão. Aos poucos foi gostando do esporte e se apegando, até que, no final de 2009 resolveu participar de uma prova de MTB em Pirenopólis–GO, sua cidade natal. Durante a prova chegou a pensar em desistir e nunca mais pegar a bike pois o sofrimento era grande, mas assim que cruzou a linha de chegada a sensação de superação foi inexplicável e inesquecível. Isso foi o que realmente a fidelizou nesse mundo do ciclismo, onde profissionalmente segue desde 2012 na equipe Soul Cycles.
Essa atleta vem tendo destaque nas competições nacionais e internacionais. Mas o evento que está visando desde o início da temporada é as Olimpiadas de 2016.
“Este é o meu objetivo a longo prazo, tracei com meu treinador Cadu Polazzo. Ano que vem começamos o ciclo olímpico onde pretendo participar e quem sabe poder passar uma temporada realizando competições internacionais onde irei adquirir um ritmo de corrida maior e ter condições de buscar resultados para o Brasil.”
Bicampeã pan-americana, conquistado na disputa em Tafi Del Valle, na Argentina que  motivou ainda mais essa atleta ao voltar para casa e se dedicar em seus treinos. Dedicação que a consolidou como uma grande atleta promissora a conquistar um ouro olímpico na elite feminina da Seleção Brasileira.
“Fico muito feliz em poder participar da seleção brasileira de MTB, onde esse ano contamos com 3 provas internacionais e de grande ajuda a todos nós atletas convocados. Espero poder continuar trazendo grandes títulos ao nosso país e quem sabe vitórias internacionais. Acho que buscar uma medalha olímpica é um sonho surreal, mas acho que devemos sempre nos dedicar e sonhar grande. Serão 2 anos longos de provas onde teremos que conquistar muitos pontos para nossa nação e buscar uma vaga no feminino, e espero poder contar com o apoio da CBC nessa missão.
Em duas oportunidades, Raiza sentiu uma sensação indescritível: na vitória da Copa Internacional de Mountain Bike e ao finalizar na Copa do Mundo como top 6.
A CIMTB é o maior evento que temos em nosso país, onde contamos com uma grande estrutura. Segundo a atleta onde podem aproveitar ao máximo a estrutura que o evento os proporciona, além de contarem com algumas pistas bem legais.
“Buscar essa vitória  é sempre um sonho, e quando conquistamos, a sensação é indescritível, pois ali você está competindo com os melhores atletas de nosso país. Contamos com toda a mídia do mountain bike, então as notícias correm e é muito legal poder contar com essa estrutura. Além de contarmos com um ambiente rodeado de atletas e  equipes, todos convivendo no mesmo local. Acho que é um exemplo para as demais provas que acontecem no Brasil.”
Pan-americano 2013. Créditos: Divulgação.
Pan-americano 2013. Créditos: Divulgação.

Estar entre as 6 melhores do mundo: “Apesar de perder a 5º colocação de bobeira, mas acho que o que conta também é a experiência que adquiri e fiquei muito feliz. Pois eu estava competindo em uma das pistas mais técnicas que conta nos circuitos das Worlds Cups. Em 2011 fiz a 17º e este ano consegui a 6º colocação, isso só me motivou e me provou como estou conseguindo crescer no MTB. Espero um dia poder voltar com a medalha de ouro”.
Um grande diferencial é que Raiza nunca se deixa abater, independente dos imprevistos que se passa nessa vida de atleta, onde ela afirma não ser nenhum mar de rosas, porém a paixão é muito maior. Essa paixão que alimenta a sua garra de relevar várias situações no MTB.
Definindo sua trajetória ela diz: “Além de ter passado uma fase de transição complicada, agora já conto com uma equipe muito legal onde tenho meu treinador e o acompanhamento do nutricionista Mario Flavio Cardoso. Me dedico aos treinos 7 vezes por semana, onde só tiro um dia de OFF e pratico Yoga. O contato com meu treinador é muito frequente para traçarmos nossos objetivos de acordo com meu calendário de provas, e já com o nutricionista, mantenho sempre pois considero fundamental a alimentação, pois é um combustível para nós atletas.”
Um dos trechos técnicos da pista do Campeonato Mundial de MTB.
Um dos trechos técnicos da pista do Campeonato Mundial de MTB.

A maior conquista na vida relacionado a bicicleta: “Bicampeonato do Pan-Americano e a vitória da etapa da CIMTB em Divinópolis.” Maior desafio em sua carreira: “A 6º colocação na World Cup, pois ali estavam muitos atletas do Canadá, onde pensei que não andaria bem e elas conheciam o circuito de olhos fechados. E a vitória em Divinópolis esse ano pois foi uma prova muito disputada.”
Objetivos da carreira: Olimpíadas 2016 e 2020. Ser campeã brasileira na Elite Feminina. Top 10 do Mundo e pegar um pódio no Mundial.
Opinião sobre o MTB nacional: “Acho que só está crescendo cada vez mais, onde está caindo no gosto do povo. É um esporte que necessita de muito mais apoio e mídia envolvida também para podermos sermos vistos e reconhecidos em todo o Brasil. Mas é um esporte onde temos contato com a natureza, fazemos sempre novas amizades e conhecemos lugares incríveis onde somente a bike nos leva.”
Recado para aqueles que desejam almejar bons resultados no ciclismo: “Sempre gosto de dizer para sempre corrermos atrás de nossos sonhos, mesmo que passemos por barreiras. Devemos saber contornar as situações e fazer a nossa paixão pela bike ser maior e não se acabar. Sempre digo a mim mesma: DEDICAÇÃO, DETERMINAÇÃO, SUPERAÇÃO E FÉ.”
Atleta de ponta, nomeada com uma das melhores do mundo devido seu potencial,  Raiza Goulão está na concentração para nessa sexta-feira competir com muita determinação o Campeonato Mundial de MTB na África do Sul. O seu primeiro contato com a pista não foi muito agradável mas já esta revertendo a situação.
“Ontem tinha me assustado, voltei para o hotel bem desmotivada, pois a pista é bem técnica e feita praticamente inteira a mão para nós atletas. Com grandes drops, rock garden, onde me surpreendeu por não contarmos com tais obstáculos destes em nosso país. Mas hoje dei uma volta na pista onde já pude analisar outras linhas e ver melhores opções de encarar todos os desafios com confiança.”
Raiza acha que será uma prova muito dura. Além de contar com as melhores atletas do mundo, o clima está muito seco e quente, e ela está demorando a se adaptar. Mas esperamos como ela que possa finalizar a prova entre as top10. Sabe que é um objetivo muito difícil, mas é isso que vai focar e concentrar.
Lema: “Andar com fé eu vou, porque a fé não costuma falhar.”
Raiza Goulão, atleta que hoje pudemos notar que é ousada e determinada. Seu foco em um objetivo é a visão do horizonte para alcançar seus sonhos. A equipe Noispedala agradece sua atenção e pode ter certeza que poderá sempre contar com o nosso respaldo e de todos seus fãs e amigos. Boa sorte campeã, sucesso e tudo de bom em sua vida.
A categoria Sub 23 onde terá a presença dessa atleta promissora vestindo a camisa do Brasil terá a largada as 8 horas da manhã , nesta sexta feira (30/08), segundo o horário de Brasília. Vamos acompanhar e torcer para que ela possa conquistar mais um resultado inédito para o Brasil.
Por Giovanna Soares

Campeonato Mundial de MTB: Ricardo Pscheidt fala sobre a pista e sua expectativa

Image (c) BOOGS Photography
Image (c) BOOGS Photography

World Championship South Africa 2013, o Campeonato Mundial de MTB, uma das competições mais fascinantes do ciclismo, este ano será realizado em Pietermarirzburg, na África do Sul e os atletas representantes da Seleção Brasileira já estão concentrados.
O atleta Ricardo Pscheidt, nos contou um pouco sobre sua expectativa para essa competição.
“Estou vindo de uma maratona de competições. São quase 2 meses competindo todos os finais de semana, sendo que no último mês senti o cansaço acumulado da rotina de viagens e competições, mas ao mesmo tempo, depois da etapa da Copa do Mundo no Canadá, senti que meu corpo começou a mostrar sinais de recuperação. Mas o fato de estar aqui na África do Sul representando a Seleção Brasileira é uma motivação a mais. O mountain bike brasileiro, mesmo que devagar, vem demonstrando evolução nos últimos anos. Espero então que eu tenha como expectativa melhorar a minha posição em relação ao mundial do ano passado na Áustria, onde fui o melhor brasileiro colocado na Elite, na 43º posição. Espero que todos os demais atletas da seleção façam ótimos resultados, pois todos vêm de um ritmo muito bom e de resultados expressivos em provas internacionais, neste último ano.”
A temida descida com troncos de árvores atravessados. Na foto: Hélio Vilela
A temida descida com troncos de árvores atravessados. Na foto: Hélio Vilela

Atleta experiente e determinado está confiante para sua participação neste sábado (31). Hoje a pista foi aberta para que os atletas pudessem treinar e reconhecer todos os detalhes dessa emocionante aventura.
Pscheidt disse que a pista está ótima. O clima é muito seco, lembrando os terrenos de Minas Gerais. Segundo ele, o mais complicado são duas descidas de rock gardens e uma com troncos de árvores atravessados, no qual ainda está receoso e irá treinar mais para se adaptar e se soltar com confiança nesse obstáculo na tarde de sábado. Na pista há muitas partes rápidas dentro dos eucaliptos e subidas longas.
Podemos prever que será muito interessante essa competição. Vamos acompanhar pelo site da UCI e torcer por esses campeões. Na elite masculina teremos além do Ricardo Pscheidt, os atletas: Rubens Valeriano, Sherman Trezza e Henrique Avancini.
Nós da equipe Noispedala desejamos a todos os atletas uma excelente prova e que possam conquistar resultados inéditos para o Brasil. Boa sorte e vai com tudo, pois talento você tem e muito Pscheidt.
Por Giovanna Soares

TV Noispedala: Ronaldo Tora Gonçalves comenta sua participação no Cape Epic

Nosso amigo Ronaldo Tora Gonçalves chegou da África do Sul, onde pela primeira vez participou da maior ultramaratona de MTB do mundo o Cape Epic.
Ele conversou conosco e contou detalhes de sua participação. Ele e seu parceiro Maurício Marques de Castro conseguiram a melhor colocação dentre os brasileiros na categoria Master e a segunda melhor colocação dentre todas as duplas formadas por dois brasileiros.
No geral eles foram conseguiram a 274ª colocação e entre os masters eles conseguiram a 80ª colocação.

Assista

Tora conta com o patrocínio das seguintes empresas:

Vídeos oficiais do Cape Epic 2012

O Cape Epic é uma competição que dispensa comentários. Considerado o Tour de France do MTB, ele é disputado na África do Sul, com as condições de captura de imagem que somente o continente africano proporciona.
São diversos vídeos, com destaque para os highlights de cada estágio. Confira.





Cape Epic 2012
Cape Epic 2012

TV Noispedala: Tora Racing (Ronaldo Gonçalves) participará do Cape Epic 2012

Quem acompanha o Noispedala já ouviu falar no famoso Tora Racing. Poucos conhecem ele como Ronaldo Gonçalves, principalmente no meio do ciclismo. Para muitos ele é um maluco. Ele já nos colocou em cada furada. Em  cada trilha que vocês não imaginam. com ele conhecemos o que é o fim da picada.

Tora Racing e seu parceiro Maurício Marques de Castro
Tora Racing e seu parceiro Maurício Marques de Castro

Além dele ser maluco, é de consenso que ele é um cara do bem. De coração bom. Super prestativo. Nunca vi ele falar não para ninguém.
O Tora é marido de aluguel e é um pai de família com duas filhas. A mais nova ele diz que é a futura Jaqueline Mourão. Acreditamos que ela será mesmo, pois a menina é ligada no 220. A adolescente já começa a pedalar assim que ele chegar da sua próxima aventura. Ele disse que ela vai começar devagarinho, “só 30 km no início”. Elas e sua esposa ficarão aqui no Brasil na torcida, juntamente com todos os seus amigos.
Ele tem resultados importantes em seu currículo, como dois títulos do Iron Biker, 3 vice-campeonatos no Rally Piocerá e outros resultados importantes na Copa Internacional de MTB, Big Biker, Copa Grande Sertão e Outros. Além disso, ele chegado dos gringos, por ter participado duas vezes como voluntário do Brasil Ride.
Agora chegou a hora de outro continente conhecer o Tora, junto com o seu companheiro Maurício Marques de Castro. Como ele mesmo diz, ele vai “botar para torar o ABSA CAPE EPIC”. Amanhã, 19 de março ele viaja para São Paulo onde embarcará para a África do Sul. Ele inicia dia 25 de março uma ultramaratona de 8 dias, 781km e 16.300 metros de desnível acumulado.
Assista à entrevista que ele nos concedeu.

Tora conta com o patrocínio das seguintes empresas:

Boa sorte Tora!

Silvinho Amorim e Cesar Moura consolidam o resultado de melhor dupla sul-americana no Cape Epic

Cesar Moura e Silvinho Amorim
Cesar Moura e Silvinho Amorim

Na última etapa, realizada ontem, a dupla Silvinho Amorim e Cesar Moura consolidaram o excelente resultado no Cape Epic 2011. Após oito etapas com mais de 700 km, a dupla conseguiu o 32º lugar na categoria principal (homens) e o 38º lugar geral na competição. 34:31.03,9 foi o tempo acumulado de prova deles.
Silvinho disse que é a corrida mais dura do mundo de duplas e nada nos aconteceu. Somente a DEUS tenho a agradecer, 702 km de pura adrenalina, descidas, pedras, rios, empurra bike subindo e descendo. Gente de todo mundo; nunca vi nada igual. Concorrendo com pessoas que são pagas para pedalar e eu por amor e dedicação, estamos de parabéns eu e Cesar Moura de Uberlândia.
Realmente os dois estão de parabéns. O suiço Christoph Sauser e o sul-africano Burry Stander venceram com o tempo acumulado de 28:44.44,0.
Silvinho conta com o apoio da Cemil, Giro Sport Center, OCE, Power Bike, Medley, Noispedala e Cia do Corpo.
Em breve mais informações.

Vídeos oficiais Cape Epic 2011

Diariamente são lançados vídeos dos estágios do Cape Epic. São sensacionais. Tanto a edição, quanto a imagem.
Recomendo assistir a todos. Será atualizado diariamente.





Faltando duas etapas, Silvinho e Cesar seguem liderando entre os brasileiros

Faltam apenas duas etapas para o fim da edição 2011 do maior evento do MTB mundial, o Cape Epic. Silvinho Amorim e Cesar Moura seguem como a melhor dupla brasileira da prova que é a mais dura do mundo. 20 duplas brasileiras participam da prova

Faltam apenas dois dias para o fim do CAPE EPIC
Faltam apenas dois dias para o fim do CAPE EPIC

A etapa de ontem foi apenas um aperitivo para o que vinha hoje. Foram 32 km com 800 metros de subida acumulada. Já hoje, primeiro de abril, os atletas tiveram que vencer a maior distância do CAPE, 143 km com 2350 metros de desnível acumulado.
Eles foram a 36ª dupla a cruzar a linha de chegada, mantendo o nível dos dias anteriores. Atualmente eles estão em 31º lugar na categoria principal, somando 25:25.26,4 acumuladas. O suíço Christoph Sauser e o sul africano Burry Stander seguem liderando, com 21:03.45,6 acumuladas.
Foram cumpridos o prólogo e mais 5 estágios do CAPE, totalizando 520 km. Faltam dois estágios que totalizam 187 km.
A Competição finaliza no domingo e eles têm grande chance de tornar-se os melhores brasileiros de todos os tempos nesta ultramaratona.
Hugo Pradoneto, treinador da dupla, que competia com Robson Ferreira, segue na prova acompanhando a dupla. Ele tem como meta orientar para que eles façam uma chegada de acordo com as expectativas. Com sua experiência, ele vai acompanhando eles durante a prova e na alimentação.
Ele informa que a maioria dos atletas brasileiros desistiu. É o CAPE EPIC mais duro dentre todos os oitos anos. Todos estão ligados no modo de sobrevivência.  Claudio damatta e André Mendes seguem sem seus parceiros também.
Silvinho conta com o apoio da Cemil, Giro Sport Center, OCE, Power Bike, Medley, Noispedala e Cia do Corpo.
Confira o recado deixado pelo Silvinho.

Silvinho Amorim e Cesar Moura permanecem entre os 30 melhores no Cape Epic

Depois do prólogo de 27 km, e dos três estágios que totalizam 343 km de prova, a dupla Silvinho Amorim e Cesar Moura, permanece entre os 30 melhores atletas do mundo, conseguindo a melhor classificação até o momento entre os brasileiros.

Silvinho Amorim e Cesar Moura permanecem entre os 30 melhores no Cape Epic
Silvinho Amorim e Cesar Moura permanecem entre os 30 melhores no Cape Epic

Ontem, no estágio 2 de 104 km, eles não mantiveram o ritmo dos demais dias e chegaram em 41º na categoria principal e 50º na geral.
Já hoje, no estágio 3 que totalizou 125 km, eles recuperaram as posições perdidas na terça-feira e cruzaram a linha de chegada na 26ª posição na categoria.
Com os resultados acumulados, eles estão em 26º na categoria e 31º na geral, com o tempo acumulado de 17:51.08,4.
Segundo Silvinho Amorim, é uma prova muito dura, a mais dura do planeta. As largadas são às 07h no horário local. Ele diz que no prólogo conseguiram largar no primeiro bolsão das 50 melhores duplas do mundo. A classificação foi por tempo. No terceiro dia, começamos bem a prova e depois de 2h30, começamos a sentir cansados. As pernas não respondiam e perdemos muitas posições.
Ele complementa dizendo que hoje saíram muito bem, e no primeiro ponto de apoio, estavam entre as 20 melhores duplas do mundo. Andaram até com a dupla da TREK. Conseguiram pegar um pelotão e manter o ritmo até ao final, fazendo a 26º posição na categoria principal.
Ele estão esperançosos, mas estão cientes que as corridas são muito duras e com subidas de cascalho e descidas perigosíssimas.
Silvinho agradece seus patrocinadores, Cemil, Giro Sport Center, OCE, Power Bike, Medley, Noispedala e Cia do Corpo.
O calor continua sendo o grande inimigo a ser combatido em Tulbagh Valley, pelos participantes do Cape Epic 2011. Na largarda, o frio é insuportável. Mas com o passar do tempo, tudo frita. Minha pasta de dente, dentro da barraca, virou líquido. Imagino os miolos de quem está fazendo força nesse momento.
Hugo Pradoneto e Robson Ferreira
Hugo diz está muito chateado. A preparação para este desafio foi muito sofrida e depois de uma queda, seu parceiro Robson teve uma intoxicação alimentar logo no primeiro dia.
Mesmo com a desistência de Robson, Hugo segue na competição. Hoje ele fez a 35ª posição na geral, mesmo correndo sem seu parceiro.
A satisfação dele é a dupla Silvinho e Cesar, que mantém a chanche de cumprir a meta da OCE, em ter a dupla mais rápida do Brasil novamente.
Mário Roma e Adauto Belli
A dupla está participando da competição em um tandem. Estão gostando bastante da experiência. Estão sentindo muitas dores nos braços e ombros, pois as descidas são praticamente um down hill. Uma descida de aproximadamente 17 km exigiu muito da dupla, um verdadeiro rali.
Eles estão chamando muito atenção dos gringos. Depois de passarem por dificuldades na segunda-feira, na terça eles recuperaram.
Primeiras colocações
O suíço Christoph Sauser  e o sul africano Burry Stander permanece liderando a competição, com um tempo acumulado de 14:34.13,8.
Entrevista com Silvinho Amorim

Entrevista com César Moura

Assista ao clipe com resumo da terceira etapa do Cape Epic

Silvinho e Cesar lideram a primeira etapa do CAPE EPIC entre os brasileiros

Cesar Moura e Silvinho Amorim
Cesar Moura e Silvinho Amorim

Depois do prólogo de ontem, hoje foi realizada a primeira etapa, que já exigiu mais dos atletas. Sob um sol de 33º, os 1200 atletas percorreram 89 km, com 2050 metros de subida acumulada. Foi a etapa de Saronsberg in Tulbagh.
Silvinho Amorim (Cemil, Giro, Noispedala, Power Bike, Mauro Ribeiro, OCE)  e Cesar Moura (OTG) conseguiram a primeira posição entre os brasileiros. Eles que disputam a categoria principal, cruzaram a linha de chegada em 29º na categoria e 33º no geral, com o tempo de 4:42.53,7. Somando o prólogo, eles estão com 6:00.11,0.
Somando o prólogo e a primeira etapa, eles estão em 24º na categoria principal e 29º no geral.
Robson Ferreira, parceiro de Hugo Pradoneto sofreu uma queda e foi necessário alguns pontos no rosto. Mesmo com o ocorrido, eles completaram a etapa e seguem na competição.
Amanhã é o dia da etapa Saronsberg in Tulbagh – Worcester, uma das mais longas do CAPE EPIC. Eles percorrerão 125 km.