Vitórias brasileiras no Panamericano de MTB

O Panamericano de Mountain Bike 2014 esta sendo realizado em Barbacena desde o dia 26 e promete ainda muita emoção até o dia 30, pois cada disputa é uma nova surpresa.

Ontem (27),  tivemos o Team Relay, o conhecido revezamento por equipes e foi sensacional.  A equipe brasileira foi representada pelos atletas Luiz Henrique Cocuzzi, Erick Bruske , Roberta Stopa e Ricardo Pscheidt,  pedalaram forte e conquistaram com garra a medalha de bronze em 01:02:26 de prova. A medalha de ouro ficou com os Colombianos , que completaram a prova com 01:00:13 chegando a frente dos Argentinos com apenas  01min e 7 segundos.

Hoje os atletas já chegaram no clima para a competição oficial XCO Masters e Juvenil, disputa que agitou bastante o público presente, este que esteve apoiando e dando força para todos atletas darem o máximo de si. Os brasileiros tiveram um excelente rendimento e marcaram presença forte nos pódios.

Os campeões brasileiros foram Luiz Renato da categoria Juvenil, Marconi Ribeiro da Master A2, Robson Aloisio da Master B1, Luiz Neto da Master B2, Ricardo Alves da Master  C1 e Adolfo Mariano da Master C2.

A programação para os próximos dias do campeonato promete muita emoção para os todos envolvidos neste mundo de adrenalina, e a principal prova de XCO será realizada no domingo e as expectativas dos atletas e da delegação brasileira de mountain bike são as mais positivas possíveis.

Ruy Avancini e Cadu PolazoO técnico Cadu Polazzo esta confiante e afirma que os atletas estão otimistas pois o circuito esta propício a eles : “O Brasil esta com um time bastante forte e temos chances reais de medalha. Talvez ate duas medalhas para a elite masculina e no feminino também temos chance de medalhas, mas a perspectiva é top 5, top 10. Os atletas estão bem preparados , pois é a prova que estavam esperando o ano todo, desde o começo da temporada.”

Os atletas da seleção brasileira estão dedicando ao máximo em seus treinos , isso mostra a real vontade de conquistar o lugar mais alto do pódio na competição  oficial de XCO elite Feminino e elite masculino .

Ruy Avancini dirigente técnico destaca o foco dos atletas e a importância para a conquista brasileira : “ Nossos atletas estão preparados, sem dúvida alguma acho que todos focaram para essa prova. Independente de ser no Brasil , o Pan é uma prova de inicio de ano, mais ou menos de início de temporada, onde todos atletas focam nessa prova principalmente pela quantidade de pontos no ranking da UCI ( União Ciclística Internacional). Hoje o Brasil é um dos times mais fortes da América do Sul. No ano passado no Panamericano da Argentina nós fizemos o terceiro, quarto e quinto lugares, então as chances de termos dois e até três no pódio deste ano é bem grande e não podemos descartar isso. Mas a Argentina é bem forte, e a Colômbia também, e mesmo sendo grandes favoritos estamos em casa. Então vamos torcer para os brasileiros com toda nossa força.”

O Panamericano faz parte da classe CC do ranking da UCI, e as montanhas de Minas Gerais estão emoldurando essa competição que é de grande importância do Continente Americano e esta sendo cenário para as disputas nas modalidades Cross Country Olímpico (XCO) e Dowhill (DH).

Por Giovanna Soares

Mountain Bike garante mais três medalhas para o Brasil nos Jogos Sul-Americanos do Chile

Enquanto Raiza Goulão foi prata, Henrique Avancini e Rubens Donizete Valeriano fizeram a dobradinha no masculino.

Raiza Goulão nos Jogos Sul-Americanos. Foto: Maximiliano Blanco/Shimano Latin America
Raiza Goulão nos Jogos Sul-Americanos. Foto: Maximiliano Blanco/Shimano Latin America

Os ciclistas brasileiros de Mountain Bike brilharam neste sábado (15) nos Jogos Sul-Americanos, em Santiago (Chile), e conquistaram mais três medalhas para o Brasil. No feminino, a atleta Shimano da Soul Riders, Raiza Goulão, garantiu a prata após realizar as cinco voltas do circuito de 22 km em 1h29min05. A brasileira Isabella Lacerda, da LM/Shimano, terminou a prova em sexto lugar. Entre os homens, Henrique Avancini e Rubens Donizete Valeriano fizeram a dobradinha no percurso com seis voltas (26,4 km). Avancini foi ouro, com 1h24min37, e Rubinho prata, com 1h24min51. Catriel Soto (Argentina) completou o pódio.
“Foi a primeira vez que eu tive a oportunidade de participar de um evento de tamanha grandiosidade, com esse espírito olímpico. Estava ansiosa para a prova, porque sabia que contava com as principais atletas da América do Sul. O circuito era bem técnico, com subidas que exigiam potência e descidas técnicas com obstáculos como drops, rock garden, pedras e terra fofa. Por tudo isso, fico feliz com esse resultado”, vibrou Raiza Goulão, atleta de Pirenópolis. O ouro ficou com Agustina Maria Azapa (Argentina) e o bronze com Angela Sierra (Colômbia).
A ciclista argentina liderou a prova em todo o percurso, e finalizou os 22 km em 1h26min22, mais de dois minutos à frente de Raiza Goulão. A brasileira manteve-se ao lado da colombiana Angela Sierra até o km 13, quando ambas estavam 2min10 atrás da líder. Alguns quilômetros à frente, Raiza conseguiu fazer a fuga e garantir o vice-campeonato sul-americano. Angela completou o pódio com 1h29min26. Isabella Lacerda, uma das favoritas , finalizou em sexto lugar, com 1h34min30.
Dobradinha brasileira no pódio.
Dobradinha brasileira no pódio.

Os quatro destaques brasileiros no mountain bike voltam ao Brasil no início da semana e já viajam para Araxá para participar da abertura da Copa Internacional Levorin, que será disputada de sexta a domingo (21 a 23). A competição é a mais importante da modalidade na América Latina e conta pontos para o ranking da UCI.
Neste domingo (16) os ciclistas de Estrada fazem a última prova da modalidade em Santiago. Os homens pedalarão 160 km, enquanto as mulheres 80. Murilo Ferraz e João Gaspar, ambos atletas Shimano da Ironage/Colner, buscarão medalhas para o Brasil ao lado de seus compatriotas William Chiarello e Magno Nazaret.
Sobre a Shimano – Empresa líder de mercado em componentes e acessórios para bicicleta, pesca e remo, a Shimano foi criada em 1921 e possui sede em Sakai, no Japão. O escritório da Shimano Latin America (SLA) foi fundado em 2007 e conta com sete parceiros comerciais no Brasil: Biape, Ciclo Cairu, Isapa, Joytech, JR Comércio, LM Bike e Mix Bicicletas.
A Shimano desenvolveu as exclusivas tecnologias STI (Shimano Total Integration – alavanca de marchas e freio integrados), SPD (Shimano Pedaling Dynamics – para sapatilhas e pedais) e SIS (Shimano IndexSystem), reconhecidos e referência no mundo todo. Possui entre suas marcas nomes que são sinônimos de qualidade e performance no universo ciclístico: XTR, Dura Ace, Ultegra, DI2.

CIMTB Levorin apresenta as pistas da abertura do circuito em Araxá

Etapa reunirá 1.300 ciclistas este ano
Etapa reunirá 1.300 ciclistas este ano

Primeira etapa da competição terá o formato de XCS (Cross Country por Estágios), com três dias de prova incluindo Contra Relógio, Short Track (pista curta) e Cross Country Olímpico
São Paulo (SP) – Pelo 11º ano consecutivo Araxá (MG) receberá uma etapa da Copa Internacional Levorin de Moutain Bike. Entre os dias 21 e 23 de março a cidade viverá a abertura do principal circuito de MTB da América Latina e contará com uma novidade no formato de disputa: XCS, o Cross Country por Estágios, com três dias de prova. Por ser considerada como Classe 1 pela União Ciclística Internacional (UCI), os campeões da Superelite e Elite Feminina somarão 120 pontos no ranking UCI, o que reforça a importância da prova integrada ao ciclo Olímpico para os Jogos Rio-2016. No primeiro dia os ciclistas terão o Contra Relógio (XCT), seguido nos outros dois dias por Short Track (XCC) e Cross Country Olímpico (XCO), que terá em seu traçado outra novidade.
“Vamos alterar alguns detalhes da pista, que recebe o XCT e o XCO, em relação ao ano passado. Uma dessas novidades estará no famoso trecho da ‘Dona Beja’, local da pista que atrai grande público devido às dificuldades impostas pelo traçado. Nesse ponto, acrescentaremos mais uma descida, o que aumentará a emoção. Mudaremos também o formato da largada. São alterações para deixar a trilha mais técnica, valorizando assim, a atuação dos atletas e facilitando o atendimento ao público presente”, destaca Rogério Bernardes, organizador da prova.
Como acontece nas provas Contra Relógio, cada ciclista larga individualmente (a cada um minuto) dando uma volta no circuito com 5,8 km de extensão. A ordem de largada respeitará o ranking atual da União Ciclística Internacional, ou seja, o atleta com maior pontuação no ranking será o primeiro a largar. Já a pista de Short Track será montada com 1,5 km e passará pelo Descidão Dona Beja, o que dará um grande emoção nas disputas. Para a Superelite Masculina serão realizadas baterias eliminatórias, nas quais os ciclistas completarão 15 minutos e darão mais duas voltas. Ambas as finais serão disputadas em 25 minutos mais duas voltas, com no máximo 21 ciclistas.
Por fim, a decisão no domingo será realizada no formato Cross Country Olímpico. A pista será a mesma do XCT, com destaque para o acréscimo de uma descida no famoso trecho “Dona Beja”. Entre os profissionais, os homens darão seis voltas e as mulheres quatro. O critério de alinhamento nesta etapa levará em conta o tempo somado nas duas fases anteriores. Será campeão geral em Araxá quem tiver o menor tempo acumulado nos três dias de provas.
Confira vídeo da CIMTB Levorin – Clique aqui e confira o vídeo de 1min44 da Copa Internacional Levorin de Mountain Bike com belas imagens da temporada passada.
A Copa Internacional de Mountain Bike tem patrocínio da Levorin, o pneu oficial da competição. LM Bike, Shimano e Specialized são os co-patrocinadores do evento que comemora a 19ª edição em 2014.

CIMTB Levorin prevê impacto de R$ 6 milhões em 2014

Em sua 19ª temporada, o principal circuito de MTB da América Latina passará pelas cidades mineiras de Araxá, São João del-Rei e Congonhas, além de São Roque (SP). O evento reunirá 4.500 ciclistas e 40 empresas representando 200 marcas do segmento.

Feira Oficial da CIMTB Levorin
Feira Oficial da CIMTB Levorin. Foto: Bruno Senna

Quase 20 anos após a primeira edição, em 1996, a Copa Internacional Levorin de Mountain Bike, principal circuito de MTB da América Latina, reforça o papel de contribuir para o desenvolvimento e o crescimento do Mountain Bike brasileiro. Além de fomentar o esporte, a competição também promove impacto econômico relevante às cidades que a recebem. Estima-se que R$ 1,5 milhão, em média, seja movimentado em cada uma das localidades. Em 2014, as cidades mineiras de Araxá, São João del-Rei e Congonhas e a estância turística de São Roque, em São Paulo, são as sedes das quatro etapas que, juntas, devem impactar mais de R$ 6 milhões.
O cálculo leva em consideração a quantidade de hóspedes em cada cidade, entre atletas, acompanhantes e pessoas envolvidas na produção da Copa Internacional Levorin de MTB – cerca de 300 profissionais – além da mídia. Em média, 6.000 pessoas vão para as cidades de cada etapa, sem contar o público local que vai ao evento. Somados, o número ultrapassa 20 mil pessoas por etapa e mais de 80 mil pessoas no ano.
“O impacto econômico é muito significativo durante o evento. Em uma cidade como Araxá, por exemplo, estamos há 11 anos com etapas da CIMTB Levorin e o retorno previsto para esse ano está próximo de dois milhões de reais”, estima Rogério Bernardes, organizador do circuito. “Mas os benefícios colhidos ultrapassam o período da prova. No decorrer do ano, a população fica mais motivada com o esporte e o número de praticantes e usuários de bicicleta se multiplica. Esse reflexo é observado nitidamente. Enxergamos como um processo de longo prazo para que as populações desfrutem do legado. Outro fator importante, é a relação do circuito com a saúde, natureza e o ambiente familiar que se estabelece entre outros aspectos positivos”, completa.
Números expressivos – Na soma das quatro etapas são esperados mais de 4.500 ciclistas, além de 1.500 corredores que participam das três provas pedestre “Night Run”, em Araxá, São João del-Rei e São Roque. A feira oficial organizada em cada etapa, com participação média de 40 empresas, ajuda a turbinar os números com os negócios realizados por empresas e entusiastas do mercado das bikes envolvendo mais de 200 marcas.
“Investimos muito na estrutura da feira para que o consumidor final, seja o atleta amador ou profissional, tenha contato com o que há de mais moderno em equipamentos, bikes, acessórios etc. No mesmo espaço, temos importadores e distribuidores expondo seus produtos e as lojas do segmento atendendo o ciclista com peças e componentes”, destaca Rogério Bernardes.
A premiação da CIMTB Levorin também colabora com o impacto econômico. Entre produtos e valores distribuídos aos vencedores desde as categorias amadoras até a super elite, a quantia total atinge R$ 260 mil, o que se torna possível, devido à visão estratégica das empresas do setor, como Levorin, patrocinadora e fornecedora do pneu oficial da CIMTB, e como as co-patrocinadoras LM Bike, Shimano e Specialized. Outros apoios indispensáveis para a realização do evento são prestados pelos apoiadores do evento como Scott, Isapa, DynamicLab, ProShock, VZAN, Calypso, ASW, lojas credenciadas e pelas prefeituras municipais e governos estaduais, incluindo-se a UCI (União Ciclística Internacional), Confederação Brasileira de Ciclismo (CBC), e as federações de ciclismo de Minas Gerais e São Paulo, FMC e FPC.
Confira vídeo da CIMTB Levorin – Clique aqui e confira o vídeo de 1min44 da Copa Internacional Levorin de Mountain Bike com belas imagens da temporada passada.
A Copa Internacional de Mountain Bike tem patrocínio da Levorin, o pneu oficial da competição. LM Bike, Shimano e Specialized são os co-patrocinadores do evento que comemora a 19ª edição em 2014.
por assessoria CIMTB

Brasileiros dominam competição de Mountain Bike no Chile

Henrique Avancini e Raiza Goulão brilharam na primeira competição internacional da temporada
O ciclista Henrique Avancini, que defende a equipe Caloi Elite Team, e Raiza Goulão, da equipe Soul Rider, dominaram completamente a Copa Chile Internacional de Mountain Bike, disputada neste sábado, 7 de fevereiro, no Chile. Os dois atletas são integrantes da seleção brasileira de Mountain Bike e utilizaram a competição como um teste para avaliar o trabalho realizado na pré-temporada.

Os três brasileiros ocuparam os lugares mais altos no pódio.
Os três brasileiros ocuparam os lugares mais altos no pódio.

A competição, válida pela classe 2 do ranking mundial (UCI), reuniu grandes nomes do Mountain Bike. Na disputa da categoria Elite, os brasileiros mandaram na prova, ocupando as três primeiras posições. Henrique Avancini foi o grande campeão, seguido por Rubens Donizete (Merida/Fox Racing/TPM Embalagens) e Sherman Trezza (Caloi Elite Team).
“O circuito foi bem exigente tecnicamente e fisicamente. As condições no Chile, nesta época do ano, são muito difíceis, com umidade muito baixa, calor e bastante poeira. Apesar de tudo, decidi tentar me desgarrar dos adversários logo no inicio da prova. Assumi a ponta da competição e aos poucos fui abrindo vantagem. A tática deu certo e estou muito feliz. Nesta primeira competição do ano, o mais importante nem era vencer, mas poder realmente avaliar o meu nível após o trabalho de base. Ainda tenho boa margem para trabalhar e evoluir, estou realmente empolgado para fazer uma grande temporada este ano”, destacou Henrique Avancini.
Já entre as mulheres, Raiza Goulão, 22 anos, estreou com o pé direito na elite do Mountain Bike. A atleta que vem da categoria Sub-23, participou da sua primeira prova como Elite e já mostrou muita qualidade ao vencer a competição de ponta a ponta.
Por Assessoria CBC

Copa Internacional Levorin de MTB apresenta novidades, com foco no Rio-2016

Confira o que há de novo nas quatro etapas do principal circuito de mountain bike da América Latina para a temporada. Contando pontos para o ranking mundial, aumenta as chances brasileiras na próxima Olimpíada.
São Paulo (SP) – Faltando menos de dois meses para o início da Copa Internacional Levorin de Mountain Bike, a organização do principal circuito de MTB da América Latina, somando pontos para o ranking mundial, já prepara a realização das quatro etapas de 2014: Araxá, São João del-Rei e Congonhas, as três em Minas Gerais, e para finalizar a temporada, São Roque (SP), em outubro. Algumas das principais novidades estão definidas, com destaque para o XCS (cross country por estágios) em Araxá e o XCM (maratona) em Congonhas, primeira prova brasileira a fazer parte do UCI Marathon Series. Nas duas outras etapas, que também contam com XCO (cross country olímpico), o Eliminator (XCE) também valerá pontos para o ranking mundial pela primeira vez, nas categorias masculina e feminina, o que favorece a participação de ciclistas brasileiros nos Jogos Olímpicos de 2016.

Descida Dona Beja: emoção em Araxá
Descida Dona Beja: emoção em Araxá

Na abertura em Araxá, etapa mais tradicional do mountain bike cross country no Brasil, a principal novidade é a pontuação. Por ter o formato XCS, estágios que dividem a prova em três dias para super elite e feminina, além de possuir nível Classe 1, a primeira etapa entre 21 e 23 de março terá pontuação dobrada para os campeões no em relação ao último ano. “O XCS será composto por contra-relógio, short track e cross country olímpico, com 120 pontos em jogo para homens e mulheres vencedores nas duas categorias profissionais”, revela Rogério Bernardes, organizador da CIMTB Levorin.
“Iremos ainda alterar alguns detalhes da pista, criando mais uma descida no famoso trecho da ‘Dona Beja’, além de mudarmos o formato da largada. São alterações para deixar a trilha mais técnica, valorizando, assim, a atuação dos atletas e facilitando o atendimento ao público presente. No passeio ciclístico vamos inovar com prêmio para a melhor fantasia, proporcionando mais diversão aos participantes. No sábado, manteremos a Night Run (corrida pedestre), que fez muito sucesso na edição de 2013”, completa Bernardes.
Eliminator agora vale pelo ranking mundial – São João del-Rei será uma das sedes da CIMTB Levorin, pelo segundo ano consecutivo. Entre 16 e 18 de maio, a prova será de XCO, valendo 60 pontos no ranking UCI para os campeões, além de ter pontuação internacional no Eliminator (XCE), fato inédito no Brasil. “Um pedido antigo foi atendido e agora a prova do Eliminator também valerá pontos no ranking mundial. Será a primeira vez que acontece no Brasil, o que ajudará nossos atletas e o próprio País a acumular pontos, uma vez que 2014 é considerado como o início do ciclo olímpico para os Jogos de 2016”, analisa Rogério. “A expectativa em São João é de evoluirmos. Teremos novamente a presença de um grande público e uma das prioridades é a melhoria da infraestrutura no local”, conclui.
Maior prova do Brasil, com 1.500 vagas, a terceira etapa promete mobilizar Congonhas entre 15 e 17 de agosto. Na Cidade dos Profetas, outra novidade. Voltará ao calendário internacional da UCI, porém desta vez como a primeira do Brasil a fazer parte da UCI Marathon Series, competições de maratona realizadas em várias partes do mundo. “É uma honra e temos uma grande responsabilidade. Outro fator para destacarmos é que a etapa fará parte das comemorações do bicentenário do falecimento de Aleijadinho, maior artista do Barroco no Brasil”, analisa o organizador.
São Roque fecha a temporada – Por fim, São Paulo volta à Copa Internacional Levorin de MTB após 8 anos. Socorro foi a última cidade paulista a fazer parte do circuito, em 2005. Entre 10 e 12 de outubro, São Roque será o palco da decisão. No XCO e no XCE, mais 40 pontos estarão em jogo. A prova olímpica valerá 30 pontos, enquanto o Eliminator, 10. “Será muito bom voltar a São Paulo. Esse é um pedido dos nossos parceiros e há algum tempo estamos tentando atendê-los. Esperamos que a etapa se firme no calendário da CIMTB Levorin nos próximos 10 anos, a exemplo das outras cidades-sede”, espera Rogério Bernardes.
Além das mudanças técnicas, a CIMTB Levorin terá novas atrações para o público. A feira, realizada em todas as sedes com exposição de produtos e lançamentos do segmento, ocupará um espaço maior. O concurso de redação e desenho, em parceria com as secretarias de educação, também terá novidades para deixar mais atrativa a disputa entre os alunos.
“Aproveito também para agradecer às prefeituras e ao público que nos recebem de braços abertos. É fundamental as parcerias com a CBC (Confederação Brasileira de Ciclismo) e com as federações estaduais, mineira e paulista, além dos patrocinadores, como Levorin, LM Bike, Shimano e Specialized, e nossos apoiadores, responsáveis por nos oferecerem condições de trabalharmos com qualidade, segurança e realizar um evento diferenciado aos atletas”, reconhece Rogério.
A Copa Internacional de Mountain Bike tem patrocínio da Levorin, o pneu oficial da competição. LM Bike, Shimano e Specialized são os co-patrocinadores do evento que comemora a 19ª temporada em 2014.
Por Assessoria CIMTB

Pan MTB 2014: Confira detalhes da construção da pista e da prova.

Faltando menos de 45 dias para o Pan American Championship MTB 2014, os atletas de toda a América estão em busca de informações da prova e da pista que promete ser bastante desafiadora.

Rock garden
Rock garden

A construção da pista é sempre um grande desafio. Os organizadores estão se empenhando bastante para explorar o máximo do local escolhido, construindo assim uma pista de alto nível técnico.
Rock garden, tobogãs, cavas, pedras, mesas, duplos, saltos duplos e até um cânion serão alguns dos obstáculos das pistas de Cross Country Olímpico e do Down Hill. O desenvolvimento do projeto da pista conta com a experiência do piloto de downhill, Miguel Giovanni. Sua experiência vem contribuindo bastante para o alto nível técnico da pista.
Um dos auxiliares na construção, o barbacenense Marcos Loschi lembra dos desafios que ele e seus amigos Carlos Heitor e Bruno Pavão passaram para criar pista na sede campestre da FHEMIG, que receberá o evento. “É motivo de orgulho, pois sei que valeu a pena. Nossos esforços hoje são reconhecidos ao sediarmos o Pan de MTB 2014.”.
Minas Gerais possui o relevo ideal para a prática do mountain bike. A prova disse é que nos últimos anos, as principais competições estão sendo realizadas nas montanhas mineiras, como os campeonatos nacionais de XCO e XCM e a Copa Internacional de MTB.
Os Barbacenenses estão ansiosos para o evento. A visita dos atletas e equipes promete mudar o dia a dia da cidade. A prova já contará pontos para a conquista de vagas olímpicas para os jogos olímpicos de 2016 no Rio de Janeiro.
O XVIII PAN-AMERICANO de MTB, acontecerá entre os dias 26 e 30 de março de 2014. Todos os detalhes você pode acompanhar aqui no Noispedala.
Por Giovanna Soares

Confira mais fotos:

1907649_411525538982820_1000051329_n
1898044_411525152316192_1255474562_n
1794527_408782309257143_324182259_n
1656339_411525065649534_20142844_n
1013837_408782282590479_1884769797_n

Copa Internacional Levorin de MTB define as etapas para 2014

Principal circuito de MTB da América Latina será disputado nas cidades mineiras de Araxá, São João del-Rei, Congonhas, além de São Roque no interior paulista, entre os meses de março e outubro
São Paulo (SP) – A 19ª temporada da Copa Internacional Levorin de MTB, principal circuito de mountain bike cross country da América Latina, já tem os locais das quatro etapas de 2014 definidos. A cidades mineiras de Araxá, São João del-Rei e Congonhas, receberão as três primeiras provas da competição nos meses de março, maio e agosto, respectivamente. São Paulo terá o privilégio de encerrar a temporada na cidade de São Roque, em outubro.

Araxá recebe abertura da CIMTB Levorin
Araxá recebe abertura da CIMTB Levorin

Com a evolução da CIMTB Levorin ao longo de 19 anos, o organizador da prova, Rogério Bernardes revela uma expectativa positiva para este ano. “Planejamos várias mudanças e estamos ansiosos para que as etapas cheguem logo e as novidades sejam apresentadas. Queremos ver o circo levantar logo, para acompanharmos as disputas e oferecermos ao público a emoção de cada trecho de pista, dividir a adrenalina dos atletas e equipes nos momentos que antecedem a largada, além de compartilhar a alegria dos torcedores nas quatro cidades”, festeja Rogério. “Vale conferir também os pilotos enfrentando as trilhas no Night Run, a animação da galera nos passeios ciclísticos e o envolvimento dos alunos da rede pública de ensino com as bicicletas nos concursos culturais de redação e desenho”, completa.
Entre 21 e 23 de março, são esperados mais de 1.000 ciclistas do Brasil e de outros países em Araxá (MG) para a abertura da competição, na prova que terá o formato XCS, o cross country por estágios, com prova de contra relógio, short track (pista curta) e cross country para Super Elite e Elite Feminina. As demais categorias competirão somente no tradicional XCO (cross country olímpico) domingo. A prova será encarada pelo atletas como último estágio de preparação para o Campeonato Pan-Americano, logo na semana seguinte, em Barbacena, também em Minas Gerais.
Dois meses depois, de 16 a 18 de maio, São João del-Rei (MG) receberá os formatos XCO e XCE (Eliminator) na segunda etapa, onde são esperadas mais de 800 inscritos. Entre 15 a 17 de agosto, Congonhas (MG), com a limitação de 1.500 vagas, será sede do XCM (maratona). E, finalizando o circuito de 2014, a cidade paulista de São Roque recebe a final do principal circuito da América Latina, com a expectativa da participação de mais de 700 ciclistas, de 10 a 12 de outubro, com formato XCO e XCE.
A Copa Internacional de Mountain Bike tem patrocínio da Levorin, o pneu oficial da competição. Shimano e Specialized são os co-patrocinadores do evento que comemora a 19ª temporada em 2014.
Por Assessoria CIMTB

2013. O melhor ano do mountain bike masculino brasileiro

Henrique Avancini
Henrique Avancini

É possível afirmar sem sombra de dúvidas que 2013 foi o melhor ano do mountain bike brasileiro masculino. Os resultados alcançados por nossos representantes nesse ano que finda, jamais foram conquistados na história do MTB brasileiro. A evolução é nítida.
Comparando com os anos anteriores, a disparidade é enorme. O ranking da UCI que é formado através da soma de pontos dos três primeiros ciclistas de cada um dos país, retrata essa evolução.
Veja a tabela abaixo:

2013

2012

2011

2010

2009

Pontos acumulados

1837

1283

822

1195

1011

Posição no Ranking

16º

21º

15º

18º

Rubinho Valeriano
Rubinho Valeriano

Se fosse levado em consideração o ranking de 2013 para a seleção de atletas para a composição da linha de largada dos Jogos Olímpicos do Rio 2016, o Brasil teria dois representantes. Vale lembrar que para as Olimpíadas de 2012 tivemos somente um participante. E para ter um representante brasileiro, foi necessário uma medida emergencial prestes a fechar as competições do ciclo olímpico. Os três primeiros colocados no ranking, Rubinho, Edivando e Avancini participaram de diversas provas no exterior, conseguindo assim os pontos necessários para que Rubinho Valeriano participasse dos Jogos Olímpicos de Londres.

Vários fatores foram determinantes para esse sucesso. Dentre eles podemos destacar as competições nacionais.
Nunca foram distribuídos tantos pontos em competições nacionais. Em 2013, os primeiros colocados nas principais competições somaram 540 pontos para o ranking UCI. Se somarmos os pontos acumulados pelos primeiros colocados nas principais competições, temos os seguintes dados:

Competição Pontos para o primeiro colocado
CIMTB

260

Campeonato Brasileiro

110

Taça Brasil e Copa Brasil

90

Brasil Ride

80

Ricardo Pscheidt
Ricardo Pscheidt

Vamos analisar os pontos obtidos por Henrique Avancini, que recentemente recebeu o Prêmio Brasil Olímpico 2013 como melhor atleta na modalidade:

Dos 836 pontos adquiridos que ele conquistou em 2013, 381 pontos (cerca de 46%) foram obtidos em provas no exterior e 435 pontos (cerca de 54%) em competições brasileiras, mostrando a importância das provas realizadas no país para os atletas brasileiros. Somente na Copa Internacional Levorin de MTB, principal competição do mountain bike brasileiro, Henrique conquistou 175 pontos (cerca de 21%). Outras provas no Brasil contribuíram com mais 150 pontos e o Campeonato Brasileiro 110 pontos.
Henrique é a maior esperança do mountain bike brasileiro. Ele disputa de provas desde os 8 anos de idade. Sempre incentivado pelo seu pai, Ruy Avancini, Henrique participa de equipes profissionais desde 2003.
Segundo Henrique Avancini, “Além de cumprir a figura de pai, Ruy sempre foi um grande amigo e é meu maior incentivador. Hoje ainda somos muito próximos e muito amigos em qualquer situação, mas temos um distanciamento profissional, pois eu tenho meu trabalho com os patrocinadores e ele tem o dele com a CBC.”
O ranking de 2013 da UCI, divulgado na última semana, aponta Henrique Avancini como o 15º colocado, dentre mais de 1000 ciclistas de todo o mundo. Chegou a hora de vermos o fruto de uma vida dedicada ao ciclismo.
”A colocação no ranking UCI foi um reflexo de uma temporada onde muita coisa deu certo e que o rendimento foi muito bom. O meu melhor ranking final foi 62° (6°sub-23) em 2010, então significou muito para mim mas para o MTB brasileiro também já que nunca tivemos um atleta no top 25 até então. Acho que foi muito importante para o MTB do Brasil atingir esse novo patamar. Lógico que fico feliz por ter sido o atleta que alcançou este nível, mas isso é muito importante para o desenvolvimento interno da modalidade, pois a referência sobe e o reconhecimento da modalidade cresce. É bom pra mim e é bom pro MTB. Chegar a este nível é algo realmente difícil, mas ainda mais complicado é se manter nesse grupo”, disse Avancini.
Outros fatores também determinaram essa evolução:
Podemos ressaltar o trabalho realizado pela CBC e de equipes como Merida, LM Shimano, Caloi, Scott, Focus OCE, Astro, Soul, dentre outras. O trabalho deles é essencial para que os nossos representantes levem vida de ciclista profissional. Além do auxílio e recursos financeiros das equipes, os nossos principais atletas recebem bolsa do governo federal, possibilitando aos atletas focarem cada vez mais de provas importantes.
As categorias de base estão cada vez mais fortes. Nas principais competições brasileiras, o atleta sai da Júnior diretamente para a Super Elite. Essa categoria une os atletas da Sub 23 e Elite. Isso possibilita ao jovem ciclista um ótimo intercâmbio, visto que ele disputa com os maiores ciclistas do mundo, tendo em vista que há cada ano a quantidade de estrangeiros em competições nacionais aumenta.
E 2014? A expectativa de alta pontuação do MTB brasileiro é ainda melhor para o ano que inicia, tendo em vista que somente a primeira etapa da CIMTB em Araxá distribuirá 120 pontos para o campeão. Será o 11º ano que esta competição somará pontos para o Ranking UCI.
Para Henrique, “a temporada de 2014 será um ano de maior risco. Mais competições, mais viagens e mais provas na Europa. Acho que é a hora de ver se estou realmente maduro para encarar uma temporada realmente pesada. Em 2013 fiz uma temporada bem exigente mas 2014 será ainda mais e preciso trabalhar muito em detalhes para suportar a carga de provas.”
Por Bruno Fernandes

Entrevista Henrique Avancini. O melhor atleta de MTB em 2013 no Brasil.

Henrique Avancini comemora o primeiro título da Copa Internacional de MTB na Elite.
Henrique Avancini comemora o primeiro título da Copa Internacional de MTB na Elite. Foto: Bruno Fernandes / Noisepdala

O mountain biker é um esporte de desafios com objetivo de superação em percursos com obstáculo. Essa modalidade exige determinação, garra e resistência,  um atleta que entende muito bem disso é Henrique Avancini.
O interesse pelo MTB começou cedo, logo aos 8 anos de idade, um garoto que tinha fome de pedalar e alegria em fazer o que gostava.  Ruy Avancini, um homem amante desse esporte e envolvido com dedicação apoiou a vontade de pedalar de seu filho.
Atleta jovem, que com apenas 24 anos já coleciona diversos títulos de expressão, realizou uma excelente temporada. Foi em Março de 2013, que Henrique Avancini se tornou o primeiro atleta brasileiro a vencer uma prova alemã de mtb válida para o ranking da União Ciclística Internacional (UCI). Henrique venceu a 26ª Bundesliga de Musingen, na Alemanha. Antes disso conquistou a Copa AM PM em Costa Rica, o GP Ravelli, a 1º Etapa da Copa Brasil, e conquistou medalha de bronze no Pan Americano 2013 na Argentina. Top 10 na Copa do Mundo no Canadá , destaque no Campeonato Mundial da África do Sul, campeão da Copa Internacional de Mountain Bike, Campeão Brasileiro de XCO , e ainda alcançou o objetivo de vencer  a etapa do cross country no Brasil Ride, onde complementou com a marca de Campeão do Brasil Ride, juntamente com  seu parceiro de equipe Sherman Trezza.
Henrique atendendo a solicitação de um fã.
Henrique atendendo a solicitação de um fã. Foto: Bruno Fernandes / Noispedala

Metas traçadas para temporada 2013 foram alcançadas e algumas superadas, como o ranking da UCI, onde concluiu entre os 25 melhores. O  atleta não gosta de trabalhar com metas fixas, já que se prender muito a números já chegou a ser um fardo para sua cabeça e isso serviu de lição para sua vida.
“Só coloco como meta quando quero vencer uma prova, caso contrário o meu objetivo é trabalhar próximo da perfeição. Os resultados são consequências. Aprendi a definir os objetivos de maneira mais motivadora lindando com a pressão que eu me coloco.”
Os planos desse profissional para 2014 que já está ansioso para ver seu desempenho  são muitos e com certeza fazer um calendário mais pesado será um deles, onde exigirá mais viagens para competir nas principais provas do calendário internacional. Foco principal, que já esta em seus planos a muito tempo em sua carreira  é a vitória do Campeonato Pan Americano 2014. Título da competição na categoria Júnior de 2006 já tem no seu currículo, mas agora conquistar novamente no Brasil, e no estado de Minas Gerais na cidade de Barbacena o título que a 12 anos não é conquistado por um brasileiro na Elite seria mais que especial, momento único. “Vou chegar 100% para a prova e quero deixar a festa pra gente.”
2013 foi um excelente ano para Henrique.
2013 foi um excelente ano para Henrique. Foto: Renato Amaral / Noispedala

Henrique Avancini passou por um momento delicado em sua carreira esse ano após sofrer uma queda no Mundial de MTB, e isso o afastou de treinos e competições por um tempo.
“Talvez a queda do Mundial tenha sido um dos momentos mais frustrantes da minha carreira. Me preparei muito para a prova e cheguei bem e mostrei isso na pista. Era a principal prova da temporada, o Mundial tem um peso muito maior que uma Copa do Mundo e só perde em importância para os Jogos Olímpicos. Um resultado expressivo no mundial mudaria as coisas para mim e até para o MTB brasileiro. Com as condições que tenho-que são irrisórias comparando às grandes estrelas- eu estava fazendo milagre. Um tombo besta me tirou da prova, mas eu quis continuar e talvez esse tenha sido um dos maiores erros da minha carreira. Isso gerou complicações depois da prova e quando cheguei ao Brasil não via uma melhora. Após alguns dias meus pensamentos eram perturbadores. Comecei a ver tudo sendo perdido e eu não conseguia saber quando eu subiria na bike de novo. Confesso que foi uma das poucas vezes que tive medo de perder algo na minha vida.”
Henrique Avancini - Caloi Elite Team
Henrique Avancini – Caloi Elite Team. Foto: Bruno Fernandes / Noispedala

“Passar por essa fase mexeu muito comigo, e foi muito importante pra mim o carinho que recebi das pessoas. Ganhar parabéns quando você vai lá e ganha uma grande prova é fácil, mas receber apoio quando você está meio sem chão é que te deixa mais forte.”
Ele superou essa fase complicada e concluiu com sucesso mais um ano em sua carreira. Resultado de muita determinação, fé e foco foi a premiação  de reconhecimento como o melhor ciclista do ano no Prêmio Sport Life.
“Esse foi um ano de muitas conquistas, como nunca esperado para um piloto de MTB brasileiro e Deus sabe como foi difícil chegar onde estou. Muitas vezes tenho que batalhar demais para conseguir condições de trabalho próximas do que seria o ideal, e receber um prêmio deste é um gás e um grande incentivo, pois sei que estou no caminho certo.”
Apesar de ter vencido os principais títulos, as vitórias sempre foram muito apertadas nas competições. O número de atletas com nível expressivo aumentou, e isso é algo que Avancini considera legal pois existe uma geração nova ganhando seu espaço.
“O futuro é mais promissor do que nunca e eu espero puxar todo mundo pra cima. Acredito que seja uma responsabilidade elevar o padrão. Andar rápido nas pistas e trazer ganhos pro esporte em geral é importante pro agora mas é ainda mais importante pro amanhã. É o legado que você pode deixar.”
Ser premiado no primeiro ano do ciclo olímpico é reconhecimento do trabalho forte e determinado que Henrique Avancini vem realizando com sua equipe Caloi Elite Team ,que é UCI MTB Team (Equipe oficial da UCI) , seu mestre Helio Souza, e sempre com o apoio de seu pai e incentivador Ruy Avancini. Com esse prêmio, um gás foi dado para entrar com tudo na  temporada em 2014 que promete grandes emoções.
Henrique Avancini
Henrique Avancini. Foto: Bruno Fernandes / Noispedala

O melhor atleta do ano na modalidade ciclismo mountain bike agora tem um novo patrocinador pessoal que tende a aumentar o nível desse ciclista proporcionando novas oportunidades de treinamento para poder ousar com seu talento.
“A Red Bull é minha patrocinadora pessoal. O interessante é que são apenas 3 atletas Red Bull de XCO no mundo! Além de mim, o italiano Marco Fontana e a austríaca Lili Osl. A entrada da Red Bull em minha carreira muda muita coisa. Tenho a disposição um centro de treinamento na Áustria, exclusivo para os atletas Red Bull, que é realmente de outro mundo. Estou realmente motivado em trabalhar com eles. Acredito que será benéfico para minha carreira.”
Tudo pronto para destacar em um novo ano que se aproxima, o atleta acredita que nunca sabemos o nosso potencial real e deixa sua mensagem a aqueles atletas que inspiram em sua carreira pela sua determinação e garra: “Acredite que é possível um pouco mais. É incrível como nosso corpo expande os limites quando damos mais crédito pra ele. Acredite mais em si mesmo”
Desejamos que você Henrique da Silva Avancini conquiste tudo que almeje em sua vida com muita paz, saúde e sucesso. A Equipe Noispedala agradece sua receptividade e estará junto com você em suas próximas conquistas. Que 2014 possa ser um ano de realizações para você e todos atletas envolvidos nesse esporte fantástico.
Por Giovanna Soares