ProShock apresenta novas suspensões durante a CIMTB e presta assistência para seus clientes

Técnico da ProShock recebendo um atleta em seu espaço durante a CIMTB.
Técnico da ProShock recebendo um atleta em seu espaço durante a CIMTB.

Mais uma vez a ProShock está presente em uma etapa da Copa Internacional Levorin de MTB. E desta vez, todos os atletas e visitantes têm um motivo a mais para visitar o seu espaço na feira da CIMTB.
Estão expostas as suspensões de sua nova linha, que conta com novo design e hastes de 32mm, para aros 26, e acompanhando as tendências mundiais, aros 27,5 e 29. Inclusive eles disponibilizam uma suspensão do modelo Onix 29er aberta, para demonstrar o sistema interno e as tecnologias agregadas nos modelos.
Conversamos com Cesar Tonoli, diretor da ProShock. Ele nos revelou alguns detalhes importantes e demonstrou em sua fala, o carinho especial que eles têm pelos seus clientes. A ProShock é a única indústria de suspenões que sempre que está presente nos eventos e realiza contato direto com seus clientes.
Segundo Cesar, “a ProShock sempre disponibiliza um centro técnico, com seus engenheiros e tira dúvidas técnicas, esclarece sobre o sistema, explica como que é a tecnologia, como é o desenvolvimento dos produtos e também presta toda a assistência necessária para os atletas que correm com a suspensão ProShock, seja atleta profissional, amador ou entusiasta.”
Ele complementa dizendo aquilo que pudemos perceber em seu espaço na CIMTB: “todos que visitam tenda da ProShock são bem recebidos, com atendimento diferenciado, onde verificamos a suspensão, regulamos de acordo com o peso do ciclista, e ainda ensinamos a mexer nas regulagens, fazendo a calibragem ideal da suspensão, além de todo o carinho pelos nossos clientes.”

Engenheiros usam tecnologia de F1 em bike

Trazendo a tecnologia dos carros de corrida para mais perto da nossa realidade (mas ainda muito longe), os engenheiros da Fórmula 1 criaram uma bicicleta que, de convencional, só tem o formato. Desenvolvida fora dos padrões regulamentados pela UCI (União Internacional dos Ciclistas), o órgão gestor do esporte, a bike tem de tudo para ser a mais avançada tecnologicamente do mundo.

Bf1 systems, que faz chassis de F1, venderá a Factor 001 em abril. Custando US$ 34 mil, ela conta com aparatos jamais vistos em bicicletas
Bf1 systems, que faz chassis de F1, venderá a Factor 001 em abril. Custando US$ 34 mil, ela conta com aparatos jamais vistos em bicicletas

A Factor 001 possui diversos dispositivos eletrônicos integrados para fornecer as principais informações necessárias para o ciclista, desde frequência cardíaca e temperatura da pele a pressão atmosférica e umidade do ambiente.
O sistema correlaciona os dados biométricos do passeio, os dados físicos da bicicleta e os dados meteorológicos e faz uma análise em tempo real. Antes, isso só era possível em laboratório. Todas as informações são gravadas por um computador e podem ser usadas em seguida para estudos e comparações.
A bike também possui um sistema de GPS integrado, que rastreia a posição geográfica do usuário e o ajuda a chegar ao local desejado. Tudo isso é visualizado em uma tela touchscreen montada no guidão. Além disso, os freios são de cerâmica e são acionados hidraulicamente, deixando as frenagens mais precisas.
Fisicamente, a Factor 001 não difere muito das bicicletas tradicionais. E isso é espantoso, já que tanta tecnologia prevê fios, cabos de controle, baterias, tudo aparente. Mas seus componentes são bastante sofisticados e bem integrados ao corpo da bike, o que dá a ela uma aparência limpa e organizada.
Alegando que cada atleta é diferente do outro, a bf1systems – empresa que projeta e executa a parte eletrônica e de chassis da F1 – vai confeccionar a bicicleta sob medida para o comprador e com suas preferências no design, como a possibilidade de ter seu nome gravado no guidão.

Além de tudo, ela é quase toda feita de fibra de carbono. O material a torna mais leve – pesa apenas sete quilos –, além de mais rígida e durável do que as bicicletas convencionais, geralmente feitas de aço ou alumínio.
Este fator, associado a todas as tecnologias da Factor 001 – e, é claro, ao peso do nome Fórmula 1 – deu ao produto um valor altíssimo de venda: US$ 34.000. A bike vai começar a ser comercializada em abril deste ano, para um número seleto de compradores.
por Redação Galileu com dica da leitora Samira Alexandre Machado