Convite: Pedal Noturno na Trilha do Cafezal

Quinta é dia de pedal noturno Noispedala
Quinta é dia de pedal noturno Noispedala

Alô você que acessa o Noispedala. Principalmente você que participou do Enduro do 15º BPM. Chegou o dia de mais um pedal noturno. Hoje promete.
Hoje o ponto de encontro será a Nutry Suplementos. 18h50 espero todo mundo lá.
Ficha técnica:
Pedal Noturno: Trilha do Cafezal
Horário: 18:50
Ponto de Encontro: Nutry Suplementos
Tolerância de 10 minutos na saída
Guia: Bruno Fernandes
Dificuldade: Baixa
Info: Bruno (9169-0141) Magela (9975-4745)
Distância: 25 km
Fotos: Banhão / Bruno
Diário de Bordo: Bruno Fernandes
Percurso: Molas Americanas, Pesque Pague, Estradão de Chácaras, Cafezal, Veraneio
NOVATOS SÃO SEMPRE BEM-VINDOS
INDISPENSÁVEL O USO DE CAPACETES
SOMENTE NÃO IREMOS SE ESTIVER CHOVENDO NO MOMENTO DA SAÍDA
DEPENDENDO DA GALERA, PODEREMOS DAR UMA ESTICADA

Diário de Bordo: Pedal Noturno Trilha do Boi 15/07/10

15/07/2010, por Renato Amaral

Tá esquentando
Tá esquentando

A trilha agendada foi a Trilha do Boi. A galera se reuniu na Praça Champagnat à espera do guia Euler. Só esqueceram de avisar pra ele. Hoje tivemos a presença de quatro estreantes no pedal noturno: Gustavo, Anilson, César e Rafael. Éramos 16 bikers no total: os estreantes, Eu, Hebinho, Grandão, Sérgio Zaggo, Walner, Kléber, Vinícius Diógenes, Markin Kxão, Iuri, Pedro Elias, Cadu e Herculano.
O Hebinho compareceu na sua já tradicional pedalada do mês. Hoje as ausências do Cacique Magela e do Bruno Fernandes eram mais que justificáveis: a dupla foi homenageada no evento Amigo do Projeto Saúde & Equilíbrio pelo incentivo ao esporte através do site www.noispedala.com.br. É graças a esta grande iniciativa que eu pedalo, que você pedala, que noispedala! Parabéns, esta é apenas uma das várias que virão. Também foram homenageados como atletas e incentivadores do esporte os bikers Júnio Alves e Coelho Bala.
Colaram a corrente foi com super bonder?
Colaram a corrente foi com super bonder?

O clima estava bacana e o pessoal estava animado. Os estreantes não decepcionaram e pedalaram legal. No caminho, o Sérgio nos deixou por dentro dos detalhes de sua aventura no Caminho da Luz (Bike Luz 2010) e o Herculano nos animou mais ainda para o pedal na Serra da Canastra. Ele esteve por lá no último fim de semana com uma turma de São Paulo e “roteirou” o trajeto para nos guiar pelas belas paisagens do Parque.
Na volta, depois da ponte do bigode, a galera seguiu direto pelo estradão, abreviando a trilha. Teve sua vantagem, pois logo depois a corrente da bike do Cadu estourou. O “mecânico” Iuri resolveu com um “show de mecânica”. Vencidas as últimas subidas até o asfalto a galera já estava pensando nas próximas trilhas.
Guias: Herculano e Sérgio; Fecha-trilha: Iuri; Fotografias: Vinícius Diógenes e Cadu. Comentários: VOCÊ!
Confira as fotos:
[nggallery id=128]

Diário de Bordo: Trilha das Pedreiras voltando pelo Friends 17/06/10

17/06/2010, por Bruno Fernandes
Eram 18h58min quando cheguei à Nutry Suplementos e encontrei somente aqueles companheiros que faça chuva ou faça frio, eles estão lá. Afinal, acredito que foi uma das noites mais frias este ano. Saímos sentido Ponte antiga do Rio Paranaíba, quando no primeiro semáforo eu parei. Aí o Eduardo Grandão chegou e disse: “Pode ir galera, o Magela não veio hoje não.” Mesmo assim esperamos a galera reunir e continuamos.

E a chama do Pedal Noturno continua acesa...
E a chama do Pedal Noturno continua acesa...

Éramos 10 companheiros. Eu, Renato Amaral, Otávio, Gagame, Walner, Cadu, Marquim Caxão, Vinícius Diógenes, Joaquim Bombeiro e o Grandão.
Ao passar pela Avenida Brasil, notamos a ausência de gatos. Impressionante, a cada esquina havia um churrasquinho. Dessa maneira não há gato que fique vivo. Descemos para chegar à ponte congelando. A partir daí, começou o pedal forte. Todo mundo girando pra valer com a intenção de esquentar. O Otávio queria voltar sozinho, só que não deixamos. Mais na frente encontramos o Diógenes com a mesma idéia. E também fizemos a cabeça dele.
Depois da primeira subida forte, a galera reuniu-se e passamos a pedalar em um só pelotão. Passamos pela entrada da subida que chega à Matinha e fomos lá. É uma das subidas mais técnicas, e a galera subiu. Estamos cada dia mais fortes galera.
Paramos na Matinha e o pneu do Doutor Walner tava furado. Ele deu umas bombadas e seguimos. Ao chegarmos a uma encruzilhada, o momento mais hilário da trilha. Estávamos com dúvida do caminho, quando o Cadu disse. “Pra cá é a Secretária, ops, não é não, é o Dólar”. Com um detalhe galera, Dólar e Secretária ficam do outro lado da cidade. Foi uma risada só.
Momento da aula do Eduardo Grandão
Momento da aula do Eduardo Grandão

Continuamos a trilha, parando algumas vezes para o Walner encher o pneu, onde começou o Curso do Grandão. Na primeira aula aprendemos como regular marcha. Ou seja, quem não foi, perdeu essa nova atração do Pedal Noturno.
Qual será o assunto da próxima semana?
E o Gagame? Continua o mesmo, cantando as mesmas músicas que ninguém conhece. Só que a cada dia está mais Zelite. Ele está treinando pesado para o Cross Country do Leandro. Será dia 27 e a galera vai lá para torcer pra ele. Força Gagame.
É isso aí galera, a chama continua acesa. Está forte e não vamos deixar ela apagar. Mesmo com esse frio todo. Semana que vem tem mais.
Dez companheiros mantiveram a chama acesa. Valeu galera!
Dez companheiros mantiveram a chama acesa. Valeu galera!

Confira as fotos de mais um pedal noturno.

[nggallery id=114]

Diário de Bordo: Pedal Noturno Pesque Paque e Cafezal

10/06/2010, por Renato Amaral
O Ponto de Encontro foi no Posto São Cristóvão e lá estava o presidente das organizações Noispedala Bruno Fernandes, que compareceu para fazer o “social” e justificar sua ausência: está poupando sua gripe para o frio de São Lourenço-MG. O Ronaldo Tora Racing Rei dos “Atalhos” também apareceu para cumprimentar a galera e prometer novas trilhas. Ele disse que descobriu uma trilha que não se chega nem de helicóptero.

Gagame lança uniforme 2010. Finalmente resolveu largar os bermudões de futebol.
Gagame lança uniforme 2010. Finalmente resolveu largar os bermudões de futebol. A cada dia ele está com mais cara de atleta hein?

Os quatorze bikers presentes, quatro novatos na turma: bem-vindos Alex, Danilo, Pedro Elias (Pneus União) e Marcelinho. Mas estreante de verdade só o Marcelinho que estava inaugurando sua bike, trocando as esporas pelos pedais. E ele escolheu bem o dia de começar. Acho que o Bruno pode reclassificar essa trilha para dificuldade baixa.
Além dos novatos, as figurinhas carimbadas eram Eu, Euler e filhão Pedro, Walner, Celinho (Band Bike), Felipe, Marco Túlio Gagame, Markin Kxão, Otávio e Waguinho (Band Bike). Encontramos com o Danilo Uberaba já na Av. JK onde ele fazia uma pedalada sem compromisso e sem lanterna. O Euler tratou logo de incentivá-lo a seguir conosco e ele topou.
Seguimos pelas molas americanas onde guiamos um motorista até o clube da CEF. Atravessamos o anel viário, subimos o morro do pesque-pague e fizemos o trajeto sem imprevistos e quando retornamos ao asfalto ainda era cedo: só 20:55h. Então o Walner sugeriu uma “esticada”.
Muitos queriam mas por motivos diversos fomos somente Eu, Walner, Felipe e Pedro Elias. Subimos a BR-365 até quase no Rivalcino e retornamos pelas trilhas com aquelas descidas sensacionais.
Ué, o Felipe resolveu fazer o bigode e teve dificuldades?
Ué, o Felipe resolveu fazer o bigode e teve dificuldades?

Nenhum imprevisto até chegarmos ao tradicional “desvio à esquerda do mata-burro” um inédito colchete fechado e uma enorme pedra surpreenderam o Felipe que descia rápido. Ele abriu o colchete no peito e a poeira subiu quando ele aterrissou.  O susto foi grande porque à primeira vista parecia mais grave do que realmente foi. Só com o lábio cortado e o rosto arranhado pode-se dizer que ele saiu no lucro.
Curtimos a boa descida até o pesque-pague, retornando pelas Molas Americanas e Av. JK.
O diário fica por aqui porque estamos arrumando as malas para fazer a cobertura da segunda etapa da Copa Internacional de Mountain Bike (http://www.cimtb.com.br/) que acontece neste final de semana em São Lourenço-MG.
Fique ligado e torça por nossos atletas de Patos de Minas.
Acompanhe e comente a partir de sábado à noite a cobertura em vídeo, reportagem e fotos. Acompanhe também pelo twitter: http://twitter.com/noispedala.

Confira as fotos desta galera que não desafina uma quinta-feira sequer

[nggallery id=106]

Diário de Bordo: Pedal Noturno Beco dos Borges e Dólar

Frio e Fenamilho eram dois adversários fortes do pedal noturno de ontem. Por isso esperava somente aquela galera extremamente fiel. E não foi o que aconteceu. Éramos 20 companheiros e muito animados.
No Ponto de Encontro (Balão da Wolks ou Chevrolet, vocês escolhem) estávamos lá reunidos. Tivemos a visita do Juninho (melhor de Patos) que está ausente dos nossos pedais. O cara só quer saber de treinar e competir pesado. Eram 18h07min quando saímos. Alguns chegaram no exato momento que estávamos de saída e o Walner ficou para trás, pois chegou atrasado.
A galera não subiu a Marabá em um só pelotão. Com a desculpa de esquentar e driblar o frio, uns 10 dispararam na frente. Chegamos ao trevo e nos reunimos e começamos a primeira descida. Sem nenhum incidente. Subimos o morro do Arraial dos Afonsos. E a galera está cada dia mais preparada. O Pedrão empolgado ainda com a viagem de Vazante subiu pedalando o morro quase todo. Ah, o assunto era Vazante. E foi só a primeira pessoal. Muitas surpresas estão por vir. Aguardem.
Quando terminamos o morro, eram 20h40min mais ou menos. Então decidimos partir para o Plano B. Descer o Dólar. Uns queriam ir embora (inclusive eu). Só que quando nos lembramos da emoção que é, fomos vencidos. Todo mundo foi. E pedalando pra valer.
Na descida do dólar somente uma incidente. O Doutor Kleber perdeu o controle e comprou aquela gleba de terras como ele mesmo disse.
Após a descida do dólar, mais descida. O único momento frio da trilha, próximo ao córrego do caminho até a rodovia. Eu e o Pedrão deixamos a galera para trás e subimos pesado. Chegamos ao final do morro e ficamos de lá observando as lanternas movendo-se no escuro. Um espetáculo a parte.
Chegamos pelo Sebastião Amorim e cada um seguiu o seu destino. Ah, infelizmente não temos nenhuma foto deste pedal noturno.
É isso aí galera do pedal. Semana que vem tem mais. E dia 30 de maio é o tradicional Enduro do Milho. E as 100 primeiras inscrições ganham uma camiseta. Até domingo inscrições com exclusividade aqui no noispedala
CLIQUE AQUI E SAIBA MAIS INFORMAÇÕES SOBRE O ENDURO

Diário de Bordo: Pedal Noturno Aragão e Rivalcino 13/05/10

Aí galera do Noispedala. Enquanto o diário de bordo não fica pronto, você já pode conferir as fotos. Que por sinal ficaram muito boas. E vá preparando. Domingo tem Vazante e dia 30 de Maio o Enduro do Milho largando do Parque de Exposições.

Confira as fotos deste pedal noturno

[nggallery id=93]

Convite: Pedal Noturno Aragão e Rivalcino

Alô você companheiro do Noispedala. Chegou o dia de mais um pedal noturno. Sobre a semana passada nem precisa comentar não é? E hoje também promete. Pelo menos frio é certeza. Então sugerimos que você vá agasalhado. Gripe nesse momento não é bem-vinda. Domingo tem pedal em Vazante, Fenamilho está chegando e no fim do mês temos ainda o Enduro do Milho, que este ano vai ter o Parque de Exposições como largada.

Hoje é dia de pedal noturno
Hoje é dia de pedal noturno

Hoje o ponto de encontro será a Star Bike. 18h50 espero todo mundo lá. Hoje vamos sair sem atraso, pois a intenção é subirmos um morro bem bacana, chegarmos ao Rivalcino e pegarmos umas trilhas sensacionais. Só iremos fazer isso se não estiver muito tarde.  E são umas trilhas muuuuuito boas. Com excelentes descidas também. E tem também uma vista da cidade que vocês vão gostar.
Trilha do Aragão voltando pelo Rivalcino
Data: 13/05/10 Quinta-feira
Horário: 18h50 tolerância 10 minutos
Ponto de Encontro: Star Bike
Guia: Magela
Dificuldade: Média
Info: Bruno (9169-0141) / Magela (9975-4745)
Fotos: Kuririn Voador
Distância: 32km

Diário de Bordo: Pedal Noturno Trilha do Boi 22/04/10

22/04/2010, por Renato Amaral.
Como sempre, o pedal noturno semana a semana, cada vez melhor! Quando cheguei à concentração no “balão da wolks” já vi que a turma estava animada e que o pedal ia ser bom demais.

Uma pausa para a foto oficial
Uma pausa para a foto oficial

Atenção para a chamada: Eu, Allysson Kuririn, Cadu, Euler Caixeiro Viajante, Felipe Xandinho, Flávio Bocão, Heber Contador (Araújo Contabilidade), João Victor Duracell, Luís Farol de Carreta , Marco Túlio Gagame, Walner, Iuri, e, esta semana recebendo a “visita” de Helinho Amorim e Nayara. O Amarildo NTV (pai do Gagame) apareceu pra dar um alô pra galera e recomendar ao Marco Túlio muito cuidado. O Gagame pedalou na bike do pai e fez diferença: dessa vez ele não abandonou no meio.
O ritmo geral foi tranqüilo devido às diversas longas paradas: tempo para as resenhas e para apreciar o céu com as lanternas desligadas enquanto os fecha-trilhas ainda estavam pra chegar.
Na última parada nos deparamos com uma cobra cascavel que estava de tocaia nos esperando na encruzilhada, mas algum caminhão acabou com os planos dela antes. Falando em cobra o Hebinho estava “igual a uma caninana” como diria o Cacique Magela. E falando em encruzilhada, o Gagame e o Felipe forjaram uma macumba com uns copos e pedras no caminho. Não colou, assim como o susto que eles tentaram passar na galera, escondidos no mato.
Euler Caixeiro Viajante preparando para atacar a "Caninana"
Euler Caixeiro Viajante preparando para atacar a "Caninana"

No Dia da Terra (22/04), não podia ser diferente: muita terra, mas com letra minúscula. E com muita poeira e cascalho solto, as subidas ficavam difíceis e as descidas perigosas. Na última descida do estradão dos trinta paus uma curva com muita terra (poeira) acumulada foi uma verdadeira arapuca: eu perdi o controle da bike, mas consegui me virar (ufa!), já o Gagame que vinha atrás sem lanterna foi parar na área de escape: o meio do mato.
De volta ao asfalto, no posto, o Luís patrocinou Coca Cola pra galera. Acho que a Coca fez mal pro Flávio Bocão: ele queria voltar e fazer a trilha de novo e tava falando em ir a BH de bike (mas acho que esses planos não eram todos praquela noite).  O Luís precisava fazer a trilha de novo para procurar seu Cateye perdido quando o Duracell caiu em cima dele (mas ele ia de moto).
Uns quinze minutos depois chegam o Euler, o Helinho Amorim e a Nayara. O Euler ficou para ajudar o Helinho que sofreu muito com fortes câimbras de rolar de dor (literalmente).
O destaque da trilha fica para o Hebinho que comprou um “carbo” novo na Nutry Suplementos e não parecia nem de longe o mesmo do pedal anterior.
Fica o convite para o próximo, sempre com muito pedal, turma animada e histórias pra contar!

Confira as fotos deste excelente pedal noturno:

[nggallery id=85]

Diário de Bordo: Pedal Noturno Ribeirão Mata Burrinho

“O melhor pedal noturno de todos os tempos”. Essa frase eu ouvi de muitos companheiros. E realmente foi. Mas porque foi o melhor? Bom, aqui mais uma vez quem vos fala é Bruno Fernandes.

Duracell tomando um de seus 10 copos de malto
Duracell tomando um de seus 10 copos de malto

Eram 18h51 quando cheguei ao nosso grande parceiro Nutry Suplementos. Havia poucas pessoas. Um deles era o Júlio, patense que tem bike no sangue que reside em Goiânia e é membro do Pedal do Cerrado (http://pedaldocerrado.com/). A galera da Nutry tava muito animada, fazendo com que a galera do noispedala se sentisse mais em casa ainda. Diversas informações sobre produtos foram passadas aos bikers e havia uma malto deliciosa para tomarmos. Para quem não toma, vale à pena comprar galera, pois auxilia muito na pedalada. Há também o Carbomax que está em promoção. E quem ligar na Nutry e dizer que é do noispedala vai ganhar 20% de desconto em diversos produtos. Aproveitem galera! Na degustação só houve um problema. O João Victor Duracell que parecia muito mais um jogador de futebol, exagerou na dose. O menino que deveria é tomar calmante para pedalar mais tranqüilo, ele tomou uns 10 copos. E ainda queria encher a garrafinha.
Saímos da Nutry bem atrasados. Já eram 19h11min. Ficou decidido que o guia seria o Euler Caixeiro Viajante, o fotógrafo foi o sempre prestativo Alisson Tião Vulgo Pó. Saímos pela Major Gote. Quem passava ficava impressionado com a galerona do pedal. Seguimos até chegarmos ao Posto Marabá onde o Iuri estava aguardando.
Galera atenta às instruções prestadas pela Equipe Nutry Suplementos
Galera atenta às instruções prestadas pela Equipe Nutry Suplementos

Veja como ficou a lanterna do Banhão
Veja como ficou a lanterna do Banhão

Subindo a Marabá, algumas pessoas disseram que o Luis Farol de Carreta e o Duracell haviam voltado, mas nada disso. Eles chegaram a tempo de ouvir as recomendações, pois a trilha do Ribeirão Mata Burrinho sempre prega algumas surpresas.
Contamos a galera. Éramos 19 bikers (até agora eu acho que eram 20). No estradão do Sumaré a galera dividiu em dois pelotões. Os Zelite só queriam saber de girar, inclusive o Felipe que estava uma alegria só, estreando bike e sapatilhas novas. O Gagame estava em seu dia mais inspirado. Fica até complicado escrever tudo que ele disse. Vou deixar para vocês comentarem as grandes descobertas desse “astronauta maluco”. Os rôia não estavam preocupados nem um pouco em pedalar. Estavam é conversando pra valer. E como estava bacana. Que clima legal. Ops… clima que eu digo é em relação às amizades. Pois o frio chegou galera.
Bruno passando pela mata
Bruno passando pela mata

Entramos sentido dólar e na primeira entrada à esquerda, fomos pular o mata burro que tem a corrente no meio. Sem acidentes até então. O Euler Caixeiro Viajante estava com medo do barro e o Gagame dizia que não passava, pois o mato estava alto. Ao sairmos da estradinha e entrarmos nas trilhas cheias de pedras, tocos e buracos de tatu, as emoções começaram. O primeiro a cair como sempre foi o Duracell. Logo após foi o Banhão, que passou por cima do guidão da bike e arrebentou a lanterna em vários pedaços.
Passamos pela matinha bem tranquilamente e deu início à segunda descida. O Duracell, o maior latifundiário da região, caiu mais algumas vezes. Uma galera grande saiu catando mamona, mas não chegou a cair, como Eu, Luis Farol de Carreta, Valner, Marquim Caxão e mais gente que não estou lembrando.
Chegamos à ponte. Peraí, qual ponte?
Chegamos à ponte. Peraí, qual ponte?

No fim da descida, o Gagame mais uma vez passou dentro do Ribeirão. Passamos pela ponte (que ponte?) e deu início à subida. Uma surpresa. No local onde todos esperavam muito barro, não havia praticamente nada.
Quando chegamos à cerca elétrica, o Edinho demonstrou ser um legítimo galeneiro (gentilício de pessoas que tiveram o prazer em morar na Galena). Na maior tranqüilidade ele resolveu o problema e todos passamos. Estavam presentes também o Hebão, o Rantar, o Claudinho, O Otávio e o Renato Amaral que a cada dia que passa, estão demonstrando mais intimidade com o pedal.
Após a primeira fazenda, o pneu do Euler Caixeiro Viajante furou. Paramos e o Herlley Power bike ajudou o sempre prestativo Euler no pitstop. Terminamos a subida e paramos para tirarmos a foto oficial com nossa bela Patos de Minas ao fundo.
Ih, o pneu do Euler Caixeiro Viajante furou. Herlley, o bondade da vez
Ih, o pneu do Euler Caixeiro Viajante furou. Herlley, o bondade da vez

Seguimos e deu início à descida do Pesque Pague. Daí foi só pegarmos a rodovia e chegarmos pelas Molas Americanas. Chegando à JK eu assustei pra caramba. Já eram 22h50min. Como o tempo passou rápido e nem percebemos.
É isso aí galera! Fique atento às trilhas do fim de semana. Esforçaremos para ter pelo menos uma no sábado e uma no domingo.
E sempre aquele recado. Deixe seu comentário, pois é ele que nos motiva a escrever os diários de bordo. E essa trilha, vale a pena você deixar sua opinião registrada.

Veja as fotos desta aventura!

[nggallery id=83]