Diário de Bordo: Trilha do Ribeirão São João, pelo Perau das Andorinhas

Presidente Olegário, Perau das Andorinhas, 10 de fevereiro de 2013
Por Bruno Fernandes

Uma das descidas que exigia técnica para carregar a bike e equilibrar.
Uma das descidas que exigia técnica para carregar a bike e equilibrar.

Quem acordaria às 5 horas da manhã, de um domingo de carnaval, para pedalar? Ou melhor. Quem ficaria de 5h às 18h, de um domingo de carnaval, envolvido com uma trilha de bike?
A resposta é surpreendente, principalmente quando se trata de uma trilha inédita, pelo temido Perau das Andorinhas, levantada através do Google Earth pelo Luciano Pit Stop. Foram 19 malucos que passaram por tudo hoje.
Depois de chegarmos de carro após o Santiago, descemos as bikes e começou a aventura. Que trilha travada, muitas descidas técnicas, subidas extremamente desafiantes e muitas quedas.
Esse era o visual em toda a trilha.
Esse era o visual em toda a trilha.

Ah, as quedas (os gatinhos para os mais íntimos). É difícil encontrar alguém que não caiu. Destaque para o Ismar (o mesmo que escreveu o diário de bordo da Trilha da Maria Fumaça), que após algumas quedas normais, e de andar por alguns metros empinando a roda de trás (babalú), sofreu uma queda que deixou marcas na clavícula e nas costelas. O cara é corajoso e não afina não. Terminou a trilha mesmo com essas avarias.
Falando em Trilha da Maria Fumaça, há uma dificuldade enorme quando algum participante volta para a vida real (aquilo lá não existe). Mas o Luciano conseguiu levantar um percurso tão bacana, que o assunto da Trilha da Maria Fumaça morreu logo no início da trilha. Que lugar bonito. Difícil descrever. Melhor você ver as fotos.
Alguns fatos marcantes:

  • A bandeja de biscoitos e o café quente que o Celinho serviu no Patão.
  • A trilha tinha de tudo. Estradão, bike trekking, descidas técnicas, subidas desafiantes, vários tipos de terreno e muuuuuita areia.
  • O banho de mangueira que tomamos logo após uma subida empurra bike terrível. A fila era grande e foi necessário estipular o tempo de cada banho.
  • A pilha dos GPSs acabaram. Foi tenso. Fomos salvos pelo celular do Rodrigo de Brasília.
  • Muitos problemas mecânicos. Roda, gancheira, selim, pneus furados e alguns mais.
  • O Luciano não carregou a bateria da GoPro e ficamos sem filmagens desse pedal.
  • O fascínio dos meninos de Santiago pelas bikes. Bom ver aqueles olhinhos brilhando.

Confira o percurso da trilha

Confira as fotos

Diário de Bordo: Pedal da Band na Trilha do Cais – Perau das Andorinhas

19/08/12 – Perau das Andorinhas, Presidente Olegário – MG
Por Márcio Abdala

O Tamanduá
O Tamanduá

Mais um domingo que tivemos o prazer de despertar as 5 horas da manhã, rumo ao grande Perau das Andorinhas. (Região Olegarense, formada por grutas e paredões de pedras que abrigam andorinhas no período de migração.)
Éramos no total 22 ciclistas, guiados por mais um roteiro inédito, elaborado pelo Luciano Pit Stop. Desta vez o GPS rumava para o maravilhoso Cais.
Sabíamos previamente, que o pedal seria lindo, mas, enfrentaríamos pela frente uma elevação de quase 1.200 metros e 40 Km de extensão. Números que no Perau, se multiplicam, devido aos obstáculos naturais daquela região. O fôlego e a raça eram requisitos básicos.
Tivemos apenas dois sustos, a queda do ciclista Marcelo, perto de um pequeno despenhadeiro, mas, que por sorte, provocou apenas a quebra do seu selim. Nada que o Celinho (Célio Batista dos Reis) não resolvesse em apenas alguns minutos. Ele utilizou apenas um alicate, o conhecimento e seu grande poder de improviso. Problema solucionado.
22 companheiros em mais uma aventura
22 companheiros em mais uma aventura

A outra situação inusitada foi quando todos os 22 “bikers” acuaram uma vaca “louca”, dentro de uma mata (sem querer, claro). Ela investiu contra alguns, houve várias reações de desesperos e correrias, por parte de vários companheiros. História que não poderá ser detalhada, devido às regras internas, que estabelecem alguns sigilos do Pedal da Band. Gostaria muito de poder descrever, mas não posso. O importante é que todos se safaram.
Passamos por várias trilhas surpreendentes, numa delas, fomos presenteados por uma breve companhia, o Tamanduá-Mirim, que nos recebeu literalmente de braços abertos, porém, numa postura defensiva. Após alguns minutos, ele nos permitiu realizar algumas fotos. Foi emocionante.
Quando chegamos no topo do Cais, procuramos uma sombra provinda dos eucaliptos, nela avistávamos uma boa parte da região. Era um momento de reflexão, descanso e para um breve lanche.
No retorno, ainda encarávamos um sol típico de deserto, terrenos cascalhados, alternando por solos arenosos. Em vários momentos, o pedal se transformou num trekking, com a bike nas costas.
A cada metro percorrido, tínhamos panoramas que surpreendiam, visualizávamos cachoeiras e regiões provavelmente inóspitas, momentos que não se retratam numa simples fotografia ou nessas linhas.
O pedal no Perau é inesquecível. Até a próxima amigos!

TV Noispedala especial Trilha do Cais

Percurso GPS

Fotos

Diário de bordo: Trilha casca grossa – Perau das Andorinhas

O agronegócio e o turismo radical
O agronegócio e o turismo radical

Presidente Olegário (Mió lugar do mundo) – 1° de maio de 2012 (18 anos sem Ayrton Senna)
Por Bruno Fernandes
Quem nunca ouviu aquela piadinha? P.O.? P.O. lugar do mundo? Pior lugar do mundo o ca#*#*. Desculpem o palavrão, mas o sentimento é esse mesmo.
É de conhecimento de todos que nossa cidade-satélite Presidente Olegário é um grande celeiro agrícola. Presto serviços para a Prefeitura desta cidade desde 2004, e sempre dizem que é surpreendente a quantidade de opções para a prática do turismo radical. Hoje foi possível ver de perto este contraste. Poucos metros separavam uma enorme lavoura de soja de trilhas extremamente técnicas e com um visual incrível. O Perau das Andorinhas é muito bonito.
A foto oficial
A foto oficial

Já havia pedalado outras vezes na região, mas o percurso que o Luciano Pit Stop preparou foi surpreendente. Parabéns meu caro. Tem que passar a fórmula do google earth. Até o Euler Caixeiro Viajante com toda sua experiência, ficou de boca aberta com o pedal. Não sei muito bem explicar o caminho que fizemos. Eu não fazia a menor ideia onde eu estava. E nem fazia questão de saber. O que eu queria mesmo era desfrutar do que a trilha oferecia e das divertidas resenhas.
O que vai ficar marcado?

  • A quantidade de tombos. Foram muitos, muitos mesmo. Com destaque para a queda do Pedro Elias. Apesar do susto e dos ralados, ele está bem.
  • O ataque dos marimbondos. Até agora estou sentindo dores.. rs..
  • O extra-big-power sanduíche do Marcinho. Dava para alimentar uma família de 8 filhos em diversos países da África.
  • O retorno às trilhas do meu amigo Renato Amaral.
  • A melancia que compramos em um “oasis” à beira da Rodovia.
  • O sofrimento da maioria do companheiros. Mas queriam o que? A trilha chama Casca Grossa não é por acaso.

Por isso finalizo dizendo. Hoje, 1° de maio de 2012, para 19 bikers, Presidente Olegário é o mió lugar do mundo.

TV Noispedala com edição e imagens do Luciano Pit Stop

Confira as fotos do Geraldo Júnior

[nggallery id=349]

Diário de Bordo: Trilha Montanha Rochosa e Casca Grossa, Perau das Andorinhas

15/01/2012 – Por Murilo Fonseca
Neste domingo levantamos cedo, bem cedo para uma aventura no famoso Perau das Andorinhas, na região de Presidente Olegário. Éramos 12 bikers e as caras amassadas mostravam que a noite anterior teve baladinha, UFC e ansiedade. Mas todos muito afins de pedalar.

Me parece que tem gente querendo mudar pro Perau das Andorinhas
Me parece que tem gente querendo mudar pro Perau das Andorinhas

No começo da trilha estava nublado mas sem chuva, e no estradão deu pra render bem nos primeiros 10 km. Chegando ao perau, a vista é incrível, consegue-se ver muito longe mesmo. Morros, paredões, chapadões, lagos, córregos, pássaros e a vegetação bem verde ilustraram nosso caminho durante todo o percurso.
A cada possível desanimada devido ao terreno cheio de morros (foi rara as vezes que pedalamos no plano) e o sol forte que apertou no final da trilha, éramos abastecidos de ânimo pelo animador da turma (Heber contador).
37 km depois chegamos ao posto onde estavam os veículos, tomamos uns 22 litros de coca cola, almoçamos e comemoramos esse pedal perfeito, sem contusões, sem problemas mecânicos e sem fazendeiros danando com a gente.
Agora é esperar a volta a P.O, que pra mim e pra muitos é um dos melhores lugares pra pedalar em toda a região.

Confira o vídeo criado por Luciano Pit Stop

Confira o percurso com fotos

 

Diário de Bordo: Trilha Montanha Rochosa passando pelo Perau das Andorinhas

Enfim o domingo que gerava muita expectativa para 8 bikers chegou. Na verdade eram 9, mas o Celinho… Não vou nem contar a história. rs..

Neblina no perau
Neblina no perau

Saímos de Patos logo às 06h10 da manhã. Bruno Fernandes, Luciano Pit Stop, Heber Contador, Jullyano do Astério, João Paulo, Dinho Pit Stop, Geraldo Júnior e Pedro Elias Brutão Pneus União.
Tempo propício para chuvas, mas fui tranquilo. Afinal meu fiel escudeiro Heber Contador disse: “Lá no P.O. não chove”. Ele só não contava que nos eucaliptos antes do primeiro trevo, São Pedro já deixaria as torneiras abertas.
Então já começamos sob chuva. O lugar é fantástico. Considero a trilha mais bonita da região.
Foi uma trilha completa. Asfalto, estradão, estradinha, estradinhas completamente abandonadas, trilhas, pedras de todos os tamanhos e tipos, barro, córregos, trekking, subidas técnicas e descidas de tirar o fôlego. Só sentimos falta de uma coisa. Não teve nenhum trecho plano.. rs.. Além disso tivemos chuva, neblina e sol.
Valeu galera! Até a próxima aventura.

Para conferir as fotos, clique nos links abaixo

Assista ao vídeo editado Pelo Luciano Pit Stop

Confira o Percurso GPS

Vem aí a corrida do ano! GP de Ciclismo Entre Cidades – dia 27 de novembro

Para fechar com chave de ouro o calendário 2011, a Liga Patense de Ciclismo realizará dia 27 de novembro o GP de Ciclismo entre cidades.
A programação da prova é a seguinte:
Largada às 08h30 na Avenida Marabá defronte ao Parque de Exposições em Patos de Minas. Pela MGC 354, os ciclistas chegarão em Presidente Olegário.
Já em Presidente Olegário, terá um intervalo de 30 minutos, onde nesse tempo serão premiados os 3 primeiros atletas de cada categoria com medalhas. Logo após esse intervalo é dada a segunda largada sentido Lagamar.
Chegando a Lagamar, os ciclistas terão o segundo intervalo de 30 minutos e todo procedimento que foi realizado em Presidente Olegário será novamente realizado. Após o intervalo será dada a terceira largada, sentido Vazante.
Depois de cerca de 110 km pedalados, o destino final será Vazante onde serão premiados com medalhas os 3 primeiros ciclistas da etapa e os 5 primeiros colocados no geral, somando os pontos das 3 etapas. Haverá também premiação em dinheiro para os 3 primeiros colocados no geral.
A premiação e agrupamento de atletas conforme categorias será a seguinte:

Categoria 1o Geral 2o Geral 3o Geral
Elite R$ 300,00 R$ 200,00 R$ 100,00
Júnior R$ 250,00 R$ 150,00 R$ 100,00
Sub 30 R$ 250,00 R$ 150,00 R$ 100,00
Master A (30/39) R$ 250,00 R$ 150,00 R$ 100,00
Master B (40 acima) R$ 250,00 R$ 150,00 R$ 100,00

A realização da prova é da LIGA PATENSE DE CICLISMO, com sede em patos de minas, e na qual fará toda a logística da prova e parte operacional da prova com seus árbitros.
As inscrições serão realizadas aqui no Noispedala até o dia 25 de novembro, limitadas a 80 atletas por motivo do seguro que está contratado para os atletas. O custo da inscrição será de R$ 30,00.
E aí? Vai encarar o desafio? Caso deseje mais informações sobre a prova, deixe seu recado abaixo ou entre em contato pelo (34) 9128.2000.

Cartaz oficial GP entre cidades
Cartaz oficial GP entre cidades

1ª Pedalada da Saúde rumo ao Santuário de Andrequicé será dia 06 de agosto

Será realizada no próximo dia 06 de agosto em Presidente Olegário, a 1ª Pedalada da Saúde rumo ao Santuário de Andrequicé.
O evento tem promoção da Secretaria Municipal de Saúde de P.O. e conta com o apoio da Band Bike e do Noispedala.
A saída será às 07h da manhã em frente a Igreja Matriz e os bikers irão até Andrequicé, percorrendo 60 km.
A galera de Patos irá encontrar na Band Bike, às 05h50 da manhã. Mais informações na Band Bike, através do telefone (34) 3825-7248.

Foi realizado o primeiro passeio ciclístico de MTB de Presidente Olegário

Minutos antes da saída, no Quartel da PM
Minutos antes da saída, no Quartel da PM

No último sábado (29/01), foi realizado em Presidente Olegário, a primeira edição do Passeio Ciclístico de Mountain bike. A organização ficou por conta do grupo Amigos do Pedal, que é liderado pelo companheiro Jorge Martins e pelo Tenente Diomásio.
Com saída do Quartal da Polícia Militar de P.O., Cerca de 40 ciclistas tiveram que suar bastante sob um forte sol, até o lendário Rio da Prata. Na ida, o percurso é mais leve, com muitas descidas de tirar o fôlego. Chegando lá, vários companheiros aproveitaram e refrescaram-se tomando um banho bastante sugestivo para a temperatura que estava.
No retorno, o sol ficou mais escondido entre as nuvens e facilitou bastante nossa vida, sendo possível vencer os 40 km propostos. Uma biquinha de água corrente foi uma das atrações, que além de muito bonita, foi possível aproveitarmos aquela água geladinha.
Rio da Prata
Rio da Prata

Vale ressaltar o apoio da Polícia Militar, que acompanhou os bikers por todo o percurso, através de uma patrulha rural. E também o apoio da Prefeitura Municipal, que cedeu uma ambulância e profissionais da saúde para efetuar algum socorro, caso fosse necessário. O secretário de saúde Welson Braga de Sousa também esteve presenta na saída da galera.
A galera de Patos de Minas marcou presença. Celinho da Band Bike ficou por conta da organização e um verdadeiro comboio deslocou de Patos até P.O. Foram 23 ciclistas paturebas presentes nesta aventura.
Já era o início da noite quando os bikers retornaram ao quartel, percorrendo assim os 40 km. Lá estava preparada uma farta mesa com frutas e sucos. Tivemos também a cobertura da TV Presidente.
Aguardamos novos convites desta turma bastante animada. Valeu galera! Foi nota 10
Este evento teve o apoio das seguintes empresas e entidades. Polícia Militar, Spaço Mulher, Copasa, New Balance Academia, Casa do Eletricista, Prefeitura de Presidente Olegário, P.O. Carnes e Verduras Supermercado, Funerária São Vicente de Paulo, Frutpres e Gráfica Imagem.

Clique aqui e confira as fotos

Diário de Bordo: Noispedala no Caminho das Abadias 2010

07/08/10 e 08/08/10, por Bruno Fernandes

12 bikers preparados para mais uma Romaria
12 bikers preparados para mais uma Romaria

Tentarei narrar a vocês todos os detalhes de um fim de semana incrível, onde 12 bikers com diferentes motivos concluíram 106 km de pedal em dois dias, passando por uma região de tirar o fôlego, o Caminho das Abadias, que se inicia na Igreja de Nossa Senhora da Abadia em Patos de Minas e termina no Santuário de Andrequicé, município de Presidente Olegário.
Eram 07h da manhã quando chegamos ao ponto de encontro em Patos de Minas, estavam lá os 11 bikers confirmados e o Everaldo, que passou a fazer parte da turma segundos antes do apito final. Após a chegada do Ademir, o herói desconhecido, a galera colocou as malas sobre o caminhão, adentramos a igreja de Patos de Minas e fizemos nossas orações. Já eram 08h quando saímos. O Magela e Ademir foram atrás de água (patrocinada pelo Rodrigo da Água Viva) e gás.
Adeus Patos de Minas, até domingo.
Adeus Patos de Minas, até domingo.

O primeiro lugarejo que passamos foi Arraial dos Afonsos, após passarmos pelo Beco dos Borges. Seguimos cerca de 10 km após o Arraial. A partir daí já era novidade pra a maioria dos bikers. Foi quando chegamos a Santiago onde paramos para tomar água e trocarmos algumas idéias. O Euler Caixeiro Viajante comprou algumas bananas e seguimos nossa cicloviagem.
Passados 30 minutos, o que era belo, começa a ficar maravilhoso. Descidas emocionantes, vales muito bonitos mesmo em uma época onde o verde não é tão forte e claro, diversos paredões e uma subida de perder o fôlego. Ah, era meio dia. Após esta subida seria servido o almoço, mas… Cadê o Cabo Ademir? O cara sumiu. Quando o Magela já estava de saída para descer a serra e verificar se ele tava lá em baixo, fomos em duas fazendas pedir informações e na segunda delas, além de ganharmos uma água gelada, um senhor informou que ele havia passado há cerca de uma hora atrás.
Magela e Bruno Fernands, idealizadores do Noispedala
Magela e Bruno Fernandes, idealizadores do Noispedala

Foi neste momento que o Vanelton (Vetel) pensou que o estradão era uma piscina e deu um foguete na poeira. Machucar, até que não machucou muito, só que a cor que ele ficou não dá pra descrever aqui. Melhor você ver a foto. Parecia personagem de filme de terror.
Pedalamos mais alguns metros e encontramos o nosso herói Ademir, com um mega rango. A galera tava destruída. Felipe Alonso e Vinícius Diógenes com cãibra, e o Everaldo estava mal do estômago. Almoçamos tranquilamente e estávamos próximo ao Rio da Prata. Aí foi quase que só morro abaixo até chegarmos lá e passarmos um bom tempo curtindo aquela maravilha da natureza. O Valner, o Bruno, o Renato Amaral e o Euler ficaram mais de 2 horas no rio. Preocupado com a demora dos companheiros, o herói Ademir resolve verificar o que estava acontecendo e ao fazer o retorno, ele atola o caminhão na areia. Aí surgiu mais um novo desafio, desatolar o caminhão.
Veja só como o Vanelton Vetel ficou
Veja só como o Vanelton Vetel ficou

Depois de alguns minutos logramos êxito na operação caminhão e aí foi só curtir a natureza e o por do sol que já iniciava. Mais um momento que não dá pra descrever, melhor mesmo é ver as fotos. Parecia um enduro de regularidade, para chegarmos à fazenda no exato momento que o sol se posse.
A noite chegou, conhecemos a família que nos recebeu, o Herói Ademir pilotava o fogão, a galera tomava aquele banho (principalmente o Vanelton Vetel). Aos poucos o acampamento era montado em um cômodo da fazenda. Tudo isso com a galera na maior resenha de biscretêro. Jantamos e fomos dormir. Como é muito comum nessa região as Folias de Reis, iniciou-se a Folia dos Roncos, comandada pelo Capitão Vanelton Vetel, seguidos pelos 12 demais foliões.
Acordamos para o segundo dia de Romaria e logo após a sessão de alongamentos, saímos pelo curral da fazenda por volta de 08h30 da manhã. Era um trecho curto, praticamente passeio se tratando de romaria. Chegando ao estradão, fomos orientados para voltarmos 600 metros e entrarmos em uma fazenda. Aí sim foi emoção para valer! Trilhinhas show de bola e uma descida técnica perfeita.
Sem explicação.
Sem explicação.

Passamos por um corregozinho e aí uma subida de pedras bem desafiante. E a galera não desafinou. E tome trilhas. Vou parar de falar que o lugar é bonito demais, pois tá ficando repetitivo. (Mas é bonito mesmo, viu). Voltamos para o Estradão P.O. / Andrequicé e encontramos com diversos carros de boi e alguns romeiros. Ganhamos até água gelada.
Aí foi só seguirmos a peregrinação até chegarmos à ponte do Rio Andrequicé, onde ficamos lá apreciando a natureza e trocando algumas idéias. 12h30 foi quando chegamos ao Santuário e visitamos a igreja. Fomos acolhidos no Posto Policial, almoçamos no restaurante da associação, tomamos banho. Encontramos lá o Kuririn e o Júlio Braga (Pedal do Cerrado) que nos esperou na Galena, mas como mudamos o roteiro, não os encontramos. E a galera de João Pinheiro? Marcou presença é claro! E teve uma galera que foi e voltou no mesmo dia. É isso aí, bora pedalar galera. Encontramos também o Joaquim Bombeiro que foi a pé e chegou sábado à noite. Após algum tempo o motorista da van chegou e embarcamos as bikes na nova carretinha do José Gonçalves Star Bike.

Confira as galerias de fotos desta aventura!

Os 12 peregrinos
Os 12 peregrinos

Obrigado e parabéns a todos nós: eu (Bruno Fernandes), Magela, Renato Amaral, Walner, Euler, Vinícius Diógenes, Gagame, Marquinho Caixeiro e os novatos Vanelton, Everaldo, Daesio e Felipe Alonso.
Os carros de boi
Os carros de boi

Galera de Patos de Minas e João Pinheiro
Galera de Patos de Minas e João Pinheiro