Diário de Bordo: Pedal da Band na Trilha das Aranhas

17/03/12 – Por Celinho

Passagem pelo riacho
Passagem pelo riacho

Após uma semana de curiosidade pra saber qual seria essa trilha inédita e sem nome que o nosso “Race aventura” Luciano Pit stop tinha preparado, finamente chegou o sábado.
A galera foi logo chegando eu precisei resolver um problema na sapatilha, todos partiram  mas logo já tava junto com o pessoal, mas a curiosidade continuava: “trilha nova e sem nome”. Chegamos ao trevo da macumba e aguardamos para que todos chegassem para os devidos recados e alguns sem falar continuavam sentido cavas, foi quando tive que pedalar muito pra encontrar e trazer os afoitos. Fica aqui o meu feedback não passar o guia porque podem se perder saímos juntos chegamos juntos.
O astral da galera tava muito bom e logo chegaram às novidades. Pulamos a primeira porteira e já passamos em um trecho inédito com estrada e uma subida de erosão, saímos no cafezal e continuamos na estrada, mas nem imaginávamos que o melhor estava por vir, quando entramos foi só lugar bonito bom de pedalar e um cheiro muito agradável, a natureza sempre nos surpreende, andamos muito tempo entre cafezal e plantação de eucalipto lugar inacreditável e muito bom para prática do Mtb.
Não demorou e os pneus começaram a furar (5 pneus) e alguns ajustes que nos tirou um tempo muito precioso, mas não o ânimo da turma que interagiam o tempo todo, foi quando chegamos na travessia do córrego, alguns tirando tênis outros pedalando na água e outros com bikes nas costa logo todos estavam do outro lado, mas não sabiam que teria que voltar, porque após uma analise do tempo que nos restava em claro eu “Celinho” e Luciano Pit stop decidimos que teríamos de encurtar o caminho divido o pouco tempo que nos restava foi quando todos tiveram que voltar alguns indignados por molhar os pés sem necessidades, mas logo tudo ficou bem.
Entramos na estrada de volta pra casa e logo a noite chegou, foi graças a alguns colegas com farol que chegamos bem e com segurança, os elogios da trilha parecia que não tinha fim mostrando a satisfação de todos. Ficam aqui os meus parabéns Luciano Pit stop pela fantástica trilha é que venham as próximas obrigado a todos e até o próximo sábado!!!

Confira a edição semanal do Luciano Pit Stop

Confira as fotos do Markin Chock Boutique

[nggallery id=315]

Diário de Bordo: Pedal Noturno na Trilha das Pedreiras

17/02/11 – Por Bruno Fernandes

Mais um pedal noturno
Mais um pedal noturno

Eram 18h52 quando cheguei ao ponto de encontro do dia, a Band Bike. Desta vez o Celinho que sempre nos prestigia, nos deixou na mão. O cara está lá em Caldas Novas curtindo e a gente aqui pedalando.
Estava tudo certo para sairmos às 19h. Quando o Doutor Kleber liga dizendo que vai atrasar um pouco. Ele não atrasou quase nada, apenas 5 minutos. Quem atrasou de verdade foi o mais caxias da turma, que inclusive ficou indignado de não termos deixado ele para trás. Foi o meu padrinho Gleidson e seu fiel afilhado novo Geomar.
Então às 19h10 saímos sentido Ponte em arco do Rio Paranaíba, passando pelo tradicional down hill da Vila Operária. Era dia ainda quando chegamos ao primeiro morro pesado. O João Young Flu Pivodrip afinou e já encomendou mais 10 dias de atestado. Que pena em Sérgio? O Doutor Kleber que o acompanhava, fez um trabalho psicológico com ele, mas não adiantou. Ele resolveu voltar. Com esta baixa, ficamos apenas com 16 companheiros.
Como o Banhão não foi (está recuperando do último tombo), minha câmera ficou na Power Bike, tivemos que improvisar com o celular do Iuri. Perdemos um belo por do sol, que por sinal deve ser o último da temporada, pois domingo finaliza o horário de verão.
E a disputa de faróis? A briga ficou entre o Weber Braz Eletrodiesel e Doutor Kleber. O Luis Farol de Carreta deixou a bike no hospital durante a semana e esqueceu-se de colocar a bateria para carregar e teve inclusive de ser socorrido pelo Sérgio Zaggo, que estava com quatro lanternas. Isso mesmo, quatro lanternas. Desta vez o Luis Farol de Lambreta Foi mais prudente nos mata-burros.
Temos que registrar também o retorno do Sargento Luis (Papai Noel Super Mario) que nos abrilhantou com sua alegria.
Depois de várias semanas com a galera torcendo o cabo da bike, este foi um pedal mais tranquilo, com muitas paradas, tendo então uma resenha de elite bem criativa. O assunto que predominava era a Cachoeira do Buracão, que resolvemos fazer a trilha novamente este sábado. Fiquei sabendo que até meu companheiro Heber Contador irá nos prestigiar. É verdade?
Depois então de muitas subidas, chegou o momento aguardado das descidas. Tudo sem alterações. Somente nas encruzilhadas, que haviam muitas macumbas. Inclusive no trevo do fim do asfalto, onde um preguiçoso fez lá mesmo.
Eram 21h50 quando chegamos à cidade, e uma parte da galera foi ainda tomar uma água de coco na Lagoa Grande.
É isso aí galera! Sábado tem Trilha da Cachoeira do Buracão, domingo primeira etapa do Campeonato Patense de Ciclismo. E claro, domingo dia 27 de fevereiro inicia a Copa Cemil de Enduro 2011 com a maior competição desta modalidade no Brasil, o enduro do 15º BPM. Está preparado?
E você? Já encomendou sua camisa do Noispedala? Já são 51 camisas vendidas.
PLANTÃO DO NOISPEDALA:
Iuri Scoton acaba de me dizer no MSN que o Doutor Kleber sofreu pra subir o “morro” da Major Gote em frente ao Banco do Brasil. Vamos treinador Doutor, e deixar o Roundup pra trás. Rs.

Diário de Bordo: Trilha das Pedreiras voltando pelo Friends 17/06/10

17/06/2010, por Bruno Fernandes
Eram 18h58min quando cheguei à Nutry Suplementos e encontrei somente aqueles companheiros que faça chuva ou faça frio, eles estão lá. Afinal, acredito que foi uma das noites mais frias este ano. Saímos sentido Ponte antiga do Rio Paranaíba, quando no primeiro semáforo eu parei. Aí o Eduardo Grandão chegou e disse: “Pode ir galera, o Magela não veio hoje não.” Mesmo assim esperamos a galera reunir e continuamos.

E a chama do Pedal Noturno continua acesa...
E a chama do Pedal Noturno continua acesa...

Éramos 10 companheiros. Eu, Renato Amaral, Otávio, Gagame, Walner, Cadu, Marquim Caxão, Vinícius Diógenes, Joaquim Bombeiro e o Grandão.
Ao passar pela Avenida Brasil, notamos a ausência de gatos. Impressionante, a cada esquina havia um churrasquinho. Dessa maneira não há gato que fique vivo. Descemos para chegar à ponte congelando. A partir daí, começou o pedal forte. Todo mundo girando pra valer com a intenção de esquentar. O Otávio queria voltar sozinho, só que não deixamos. Mais na frente encontramos o Diógenes com a mesma idéia. E também fizemos a cabeça dele.
Depois da primeira subida forte, a galera reuniu-se e passamos a pedalar em um só pelotão. Passamos pela entrada da subida que chega à Matinha e fomos lá. É uma das subidas mais técnicas, e a galera subiu. Estamos cada dia mais fortes galera.
Paramos na Matinha e o pneu do Doutor Walner tava furado. Ele deu umas bombadas e seguimos. Ao chegarmos a uma encruzilhada, o momento mais hilário da trilha. Estávamos com dúvida do caminho, quando o Cadu disse. “Pra cá é a Secretária, ops, não é não, é o Dólar”. Com um detalhe galera, Dólar e Secretária ficam do outro lado da cidade. Foi uma risada só.
Momento da aula do Eduardo Grandão
Momento da aula do Eduardo Grandão

Continuamos a trilha, parando algumas vezes para o Walner encher o pneu, onde começou o Curso do Grandão. Na primeira aula aprendemos como regular marcha. Ou seja, quem não foi, perdeu essa nova atração do Pedal Noturno.
Qual será o assunto da próxima semana?
E o Gagame? Continua o mesmo, cantando as mesmas músicas que ninguém conhece. Só que a cada dia está mais Zelite. Ele está treinando pesado para o Cross Country do Leandro. Será dia 27 e a galera vai lá para torcer pra ele. Força Gagame.
É isso aí galera, a chama continua acesa. Está forte e não vamos deixar ela apagar. Mesmo com esse frio todo. Semana que vem tem mais.
Dez companheiros mantiveram a chama acesa. Valeu galera!
Dez companheiros mantiveram a chama acesa. Valeu galera!

Confira as fotos de mais um pedal noturno.

[nggallery id=114]

Convite: Domingo, 16 de maio, Noispedala em Vazante

10/05/10 – Por Bruno Fernandes
Há algum tempo venho conversando com o (José Baltazar) Gaúcho e com o Luciano Correa. O Gaúcho é um biker bem entusiasmado que reside em Vazante. O Luciano conhece bastante a região de Vazante e está de volta ao pedal. Além disso, ele teve o prazer de ser meu colega de faculdade. Eles estão até realizando o pedal noturno lá.

Um dos três rios que passaremos
Um dos três rios que passaremos

Em uma destas conversas, bem prematuramente ficou combinado em fazermos um intercâmbio de nossas turmas.
Por isso não podemos desafinar.
A nossa meta é levarmos mais companheiros que eles. Segundo o Gaúcho, eles esperam ter 15.
E nós? Advinha… Já confirmamos 26. E só tem peça rara. E acredito que nossa delegação consegue passar  de 25. E porque não 30? Há até uma possibilidade de fretarmos um ônibus.
A programação é toda para o domingo 16 de maio. Vale ressaltar que não há previsão de chuva.

    Que pinguela bacana. Quem vai descer montado?
    Que pinguela bacana. Quem vai descer montado?

    Todos os valores serão apresentados aqui nesta matéria, como almoço, estimativa para o café e banho (caso seja necessário). Acredito que não passe de R$ 50,00 por pessoa.
    É isso aí galera. Bora lá? Quem nunca viajou assim, pode ter certeza que será um dos melhores programas da sua vida. Eu sou prova disso. Nunca pensei que iria curtir tanto, como curtir as viagens que fiz.
    Caso tenha interesse em ir, entre em contato comigo (9169-0141) ou com o Euler Caixeiro Viajante (9926-4449). Ou deixe seu comentário abaixo.
    E se você está entre a galera que vai, deixe o comentário também. Vamos começar a interagir por aqui.
    Percurso
    Precurso da Trilha Noispedala em Vazante
    Precurso da Trilha Noispedala em Vazante

    Confira mais algumas fotos da trilha que iremos fazer



    

    Fotos da grutas que iremos conhecer




    Diário de Bordo: Trilha Pedreiras / Friends 04/02/10

    Galera do Noispedala eu aqui de novo Euler Caixeiro Viajante. Como todos estavam sabendo o guia e diário de bordo era para ser o Magela mais por motivos de força maior ele não compareceu (ficou  com medo da chuva – rsrsr).

    Galera saindo para mais um pedal noturno
    Galera saindo para mais um pedal noturno

    A Saída foi da Nutry Suplementos com um pouco de atraso. Saímos às 19h20min devido à ótima recepção do pessoal da Nutry, a Eliane, o Daniel e seus funcionários com degustação e sorteios de brindes. Quem ganhou os brindes foram o Cadu e o Kuririn. Estava presente também o aventureiro Djanilton (Djanilson, Djanailton, Djani… ah sei lá, é Djavu mesmo), que está atravessando o Brasil em uma bike crozinha e fez mais uma trilha com a galera do Noispedala.
    Antes de sair eu e mais uns três queríamos alterar o trajeto da trilha porque aonde iríamos estava chovendo, mas fomos vencidos pela maioria e seguimos para fazermos a trilha combinada. Dei uma olhada no pessoal e observei que pela primeira vez no Pedal Noturno havia uma presença feminina que foi a Raquel (professora de Spinning na academia Cia do Corpo) todos numa animação só, chegando ao final da Avenida Brasil o Marquinho Caixeiro Viajante desistiu da trilha (medo de sujar a Orbea).
    Ao final do asfalto quando pegamos o estradão de terra foi à vez do nosso fotógrafo Alisson José Rita Chilon Farnese Porto Kuririm desistir. Tudo normal trilha adentro mais pela primeira vez uma grande parte da galera que anda na frente não saía da turma do fundinho acho que nem precisa falar o motivo pois lá estava nossa nova integrante do Noispedala Raquel.
    Tinha muita lama. Eu e o Bruno tentamos ver se iríamos concluir toda a trilha, mais foi frustrada a tentativa. Descemos a cascalheira que era perigosa e hoje estragaram a trilha porque foi arrumada a estrada. Chegamos ao alto do morro onde imaginei que poderia ter muito barro e argila. Não deu outra, as bikes lotaram de barro que dobraram de peso tinha umas que não conseguia nem rodar tanta quantidade de barro, o Marquinho Kxão quebrou a gancheira e o pior que não foi nenhum mecânico desta vez. Aí apareceu o Bombeiro que tomou as providencias tirando um pedaço da corrente para conseguir terminar a trilha, pela frente descemos e subindo o morro com todas as bikes pesando o dobro do peso, passamos pela primeira porteira. Quando chegamos à segunda porteira, mais uma gancheira quebrada. A maioria da galera seguiu e ficaram alguns para arrumar a bike, foi quando percebemos uma possa de água lama sei lá o que era enfiamos as bikes lá conseguimos dar uma aliviada no peso.
    Tudo resolvido com as bikes. Já íamos saindo foi quando o Ângelo chegou dizendo que o pessoal que tinha seguido à frente não tinha fechado a porteira e tinha umas vacas que saíram do pasto onde estavam e foram para a roça de milho. Aí por alguns minutos alguns colegas ajudaram o Ângelo a tocarem as vacas para o pasto onde estavam. Foi uma bagunça só; as vacas assustadas com os faróis das bikes.
    Tudo certo e seguimos com a trilha, passamos em frente a uma fazenda onde tem uma bica de água. Paramos o Senhor dono da fazenda que ficou assustado com tantas bicicletas que nem respondeu ao pedido.
    Sem água continuamos nosso desafio. Deste ponto para frente foi só alegria sem barro só no estradão, mais teve uma compra de terreno meio grande na descida do morro onde no final tem um mata-burro. Foi do estreante Tiago, amigo do Marquinho Kxão. E o pior que o Marquinho disse que tinha levado o substituto nas compras de terreno
    Quando começamos a subida do morro do Friends, todos preocupados com a Raquel,só show dela subiu com a bike do Bruno jogando cascalho na rapaziada que não deu conta de subir.
    Chegamos intactos de mais uma aventura menos algumas bikes que chegaram faltando pedaço como a do Marquinho Kxão que no final da trilha que sentiu falta do pedaço da corrente que tinha tirado (volta lá para buscar).
    O pesar da trilha foi que tiramos praticamente nada de fotos porque a máquina do Luiz Farol de Carreta estava sem bateria para variar, seria um show de imagens essa trilha com mais fotos.
    SUGESTAO: VAMOS FAZER UMA VAQUINHA TODOS E COMPRAR UMA MAQUINA FOTOGRAFICA PARA O NOISPEDALA.

    Diário de Bordo: Ponte, Pedreiras e Friends 03/12/2009

    O cartão amarelo do Marco Túlio está registrado na súmula
    O cartão amarelo do Marco Túlio está registrado na súmula

    Olá galera do NPD. Aqui é o Hebinho e dessa vez não pude escapar, o Diário de Bordo ficou com a minha responsabilidade.
    O único companheiro que justificou sua ausência foi o Euler Caixeiro Viajante, porém a vontade de pedalar era tão grande, que o mesmo compareceu no pedal noturno.
    E mais uma vez, recorde quebrado. 40 bikers, isso mesmo! E a expectativa a cada semana aumenta, e não sabemos onde isso vai parar. É isso galera, FORÇA NO PEDAL!
    O guia da noite foi o Cacique Magela e Juninho – Melhor de Patos! E o fotógrafo mais uma vez foi o nosso Mestre dos Magos, Kuririn, e como gosta de tirar fotos, era um flash atrás do outro, foram no total 249 fotos, e como diria o nosso querido amigo Marco Túlio: MAGAVILHA.
    Partimos às 19:04, em frente a Padaria Rosário, onde devorei um delicioso sanduba natural e um guaraná mineiro. Fomos sentido, Av. Paracatu, e descemos na Av. Padre Almir, onde a quantidade de bikers era imensa, chamando a atenção de todos no trânsito e nas calçadas, e como o Cacique Magela estava presente, todos respeitaram as leis de trânsito.
    Fizemos uma pequena parada em frente a Band Bike, onde convidamos a galera pra pedalar, ajudando na quebra do Record. Logo, atravessamos a ponte do Rio Paranaíba, e entramos no estradão. Vale, lembrar que São Pedro colaborou muito, pois não caiu nenhuma gota de chuva durante o trajeto.
    O Luís Farol de Carreta, me impressionou. Diante dos últimos fatos, achei que ele iria pedalar com um pouco de receio. Mas, não… estava subindo e descendo as estradas como ninguém.
    Se não me engano, esse trilha noturna foi a mais puxada, pois é um trecho com várias subidas bem fortes, porém ninguém desanimou. Até os novatos, estavam pedalando forte.
    Na volta, o nosso guia Juninho, decidiu atalhar por uma trilha, e foi o melhor da noite. Teve uma descida muito forte, e a maioria dos bikers levou a magrela nos ombros, uma parte que resolveu descer, caíram, e a elite passou tranqüilo como sempre.
    O Lélé como não podia ficar pra trás, quase caiu em um mata-burros, coincidência ou não, ele estava matando aula mais uma vez.
    Na chegada, um fato engraçado… até que enfim! o Dr. Valner, esqueceu de retirar a sapatilha, e aquele tombinho que não machuca ninguém. E isso já era quase 22:00 hs.
    O Marco Túlio, mais uma vez foi chamado nas chinchas pelo Cacique Magela, pois é o único que dispara na frente e não ouve ninguém. O julgamento dele no STJD foi marcado pra essa semana.
    Chegando na cidade, a galera se espalhou. Muitos foram embora, e a galera da coquinha compareceu no Disney Lanches, na praça Bandeirantes.
    È isso galera, deixem seus comentários, e até a próxima!
    Confira as fotos
    [nggallery id=32]