Diário de Bordo: Pedal da Band na Trilha Açoteia voltando pelas Pedreiras

Diário de bordo –  Trilha das Pedreiras voltando pelo Friends
10/03/12 – Por Celinho Band Bike
Mais um sábado gostoso pra pedalar. Depois de um sol forte na parte da manhã, já na hora da saída o tempo ficou nublado, a galera chegando e muitas caras novas no pedal da Band, porém sentimos falta de muitos ícones do pedal da band, figurinhas carimbadas que por motivo de força maior não puderam comparecer.

Mais um sábado excelente para pedalar
Mais um sábado excelente para pedalar

Saímos sentido ponte Paranaíba com entrada para a serra do mamão e o sol continuava escondido e o pessoal animado e concentrado.
Começamos a subir a serra do mamão e São Pedro nos abençoou com um chuva muito forte e fria pra animar a galera. A partir daí muito barro e argila tornou a pedalada mais técnica e os problemas foram de imediato: três pneus furado, duas correntes arrebentadas, um câmbio traseiro e um cambio dianteiro quebrado…. mas o serviço técnico de plantão resolver tudo e continuamos.
Tivemos a volta do Senhor Paulo Ávila com seus 63 anos, que mostrou empenho e dedicação. Ele é  um exemplo pra todos nós e orgulho para o Pedal da Band. Seja bem-vindo.
Também tivemos a queda do Gabriel devido a estrada muito escorregadia e que não passou de um susto.
Um grade abraço a todos e obrigado pela participação. Final de semana tem mais e trilha inédita, valeu galera.

Confira as fotos

[nggallery id=312]

Diário de Bordo: Pedal Noturno na Trilha das Pedreiras

14/04/2011 – Por Magela
Salve salve galera do noispedala, depois de algum tempo longe do pedal noturno estou de volta. Nesta quinta eu tinha um compromisso importante para tratar de assuntos relacionados a nossa cidade, porem fui intimado pelo meu parceiro Bruno, que não poderia se fazer presente neste pedal, e simplesmente falou que ou eu ia ou não precisava ir nunca mais (credo incruis), tive que ir né.

Pedal Noturno
Pedal Noturno

Eram 18h55min quando cheguei à BAND BIKE e até o Walner já estava lá, logo o Celim baixou as portas e tomamos rumo ao fundão. Após passarmos pela famosa Rua dos Boiadeiros pegamos o estradão do lixão. Começamos subindo por fora da estrada recontamos a turma éramos 14.
Seguimos sentido antiga matinha da trilha das alagoas e antes de chegar à fazenda onde sempre parece que alguém da uns tiros, combinamos passar todos juntos sem fazer barulho e desta vez não ouvimos nada, lembrei que o Marco Túlio (ex gagame do noispedala) não estava presente, por isso conseguimos passar em silêncio.
Como o ritmo da turma estava meio bruto, não demorou muito e chegamos ao cume da serra do mamão, quando começamos a descer, mudamos os planos e resolvemos passar por uma trilha que margeia um cerca até chegar à estrada do Córrego Rico. Foi a parte mais radical da trilha, pois descer ali de dia já é punk, imagine a noite, mesmo assim ninguém capotou.
Pegamos o estradão e de certa forma comemoramos a aprovação do projeto de lei do vereador Amarildo Ferreira, que regula a construção de mata-burros de forma racional, com as travessas no sentido que facilita a passagem de bicicletas e motos. Gostaria de lembrar que esta sugestão partiu do noispedala.
Como tudo transcorria na mais perfeita ordem a previsão de chegada à Cidade seria em tempo Recorde, mínguem ainda havia caído, alguém falou que se o Bruno estivesse nesta trilha iria dizer assim; “essa é a melhor trilha dos últimos tempos”.
Eram 21h20min paramos na Praça do Cristavo e tiramos uma foto em frente ao portão onde membros da  comunidade do fundão me fez uma singela homenagem, pichando meu nome no portão.
Em breve fotos. As fotos da semana passada foram publicadas.

Diário de Bordo: Pedal Noturno na Trilha das Pedreiras

17/02/11 – Por Bruno Fernandes

Mais um pedal noturno
Mais um pedal noturno

Eram 18h52 quando cheguei ao ponto de encontro do dia, a Band Bike. Desta vez o Celinho que sempre nos prestigia, nos deixou na mão. O cara está lá em Caldas Novas curtindo e a gente aqui pedalando.
Estava tudo certo para sairmos às 19h. Quando o Doutor Kleber liga dizendo que vai atrasar um pouco. Ele não atrasou quase nada, apenas 5 minutos. Quem atrasou de verdade foi o mais caxias da turma, que inclusive ficou indignado de não termos deixado ele para trás. Foi o meu padrinho Gleidson e seu fiel afilhado novo Geomar.
Então às 19h10 saímos sentido Ponte em arco do Rio Paranaíba, passando pelo tradicional down hill da Vila Operária. Era dia ainda quando chegamos ao primeiro morro pesado. O João Young Flu Pivodrip afinou e já encomendou mais 10 dias de atestado. Que pena em Sérgio? O Doutor Kleber que o acompanhava, fez um trabalho psicológico com ele, mas não adiantou. Ele resolveu voltar. Com esta baixa, ficamos apenas com 16 companheiros.
Como o Banhão não foi (está recuperando do último tombo), minha câmera ficou na Power Bike, tivemos que improvisar com o celular do Iuri. Perdemos um belo por do sol, que por sinal deve ser o último da temporada, pois domingo finaliza o horário de verão.
E a disputa de faróis? A briga ficou entre o Weber Braz Eletrodiesel e Doutor Kleber. O Luis Farol de Carreta deixou a bike no hospital durante a semana e esqueceu-se de colocar a bateria para carregar e teve inclusive de ser socorrido pelo Sérgio Zaggo, que estava com quatro lanternas. Isso mesmo, quatro lanternas. Desta vez o Luis Farol de Lambreta Foi mais prudente nos mata-burros.
Temos que registrar também o retorno do Sargento Luis (Papai Noel Super Mario) que nos abrilhantou com sua alegria.
Depois de várias semanas com a galera torcendo o cabo da bike, este foi um pedal mais tranquilo, com muitas paradas, tendo então uma resenha de elite bem criativa. O assunto que predominava era a Cachoeira do Buracão, que resolvemos fazer a trilha novamente este sábado. Fiquei sabendo que até meu companheiro Heber Contador irá nos prestigiar. É verdade?
Depois então de muitas subidas, chegou o momento aguardado das descidas. Tudo sem alterações. Somente nas encruzilhadas, que haviam muitas macumbas. Inclusive no trevo do fim do asfalto, onde um preguiçoso fez lá mesmo.
Eram 21h50 quando chegamos à cidade, e uma parte da galera foi ainda tomar uma água de coco na Lagoa Grande.
É isso aí galera! Sábado tem Trilha da Cachoeira do Buracão, domingo primeira etapa do Campeonato Patense de Ciclismo. E claro, domingo dia 27 de fevereiro inicia a Copa Cemil de Enduro 2011 com a maior competição desta modalidade no Brasil, o enduro do 15º BPM. Está preparado?
E você? Já encomendou sua camisa do Noispedala? Já são 51 camisas vendidas.
PLANTÃO DO NOISPEDALA:
Iuri Scoton acaba de me dizer no MSN que o Doutor Kleber sofreu pra subir o “morro” da Major Gote em frente ao Banco do Brasil. Vamos treinador Doutor, e deixar o Roundup pra trás. Rs.

Diário de Bordo: Noispedala na Serra do Cipó, setembro de 2010

Por Bruno Fernandes, Cardeal Mota, Serra do Cipó, de 03/09/10 a 07/09/10
Foi um fim de semana prolongado (ou alongado) daqueles que faz a vida valer a pena. Uma turma muito animada, unida e com um objetivo em comum. Curtir a natureza. Pedal pesado que é o comum, não foi muito, mas, não teve um dia que não chegássemos de volta para casa exaustos. Mas é claro, de alma lavada.
Vamos narrar o que aconteceu dia a dia.

Casa em que passamos o feriadão
Casa em que passamos o feriadão

Sexta-feira, 03/09/10
Por volta das 13 horas, saíram da Power Bike o Herlley, Tatiane e Walner. Em BH eles encontraram com o Gustavo fechando assim a primeira parte da turma. Às 16h30 horas saíram mais dois carros de Patos de Minas. Um com o Luiz DF cunhado do Maquinhos, o Marquinhos, Bruno Fernandes e Euler Caixeiro Viajante. No outro estavam o Sérgio Zago, a Elenice e nossos mantimentos para passarmos o feriadão. Na saída, na entrada do Bairro Planalto quase que finda nossa viagem devido à um problema no trânsito. Passado o susto seguimos viagem, até jantarmos em Paraopeba, onde o Marquinhos relembrou um restaurante que almoçava há 10.000 anos atrás.
Foi lá que decidimos arriscar em um atalho que o Sérgio já havia errado uma vez. Entramos para Sete Lagoas, logo depois Baldim. Após uma volta nesta cidade, o Sérgio mesmo com GPS fala: “Estou perdido, onde é a saída?”. A sorte é que o GPS da cabeça do Euler estava ligado.
Chegamos a Cardeal Mota por volta das 23 horas, onde fomos diretamente para a casa, onde descemos as bikes, malas e mantimentos e depois da primeira resenha, fomos dormir. Finda aí o primeiro dia.

Panorâmica do primeiro dia de pedal. Rumo ao Travessão
Panorâmica do primeiro dia de pedal. Rumo ao Travessão

Sábado, 04/09/10
Foi o primeiro dia de pedal. Depois de o Walner nos amedrontar com a subida do deslocamento, decidimos transportar as bikes nas caminhonetas. Paramos em uma pousada, onde descemos as bikes e começamos o pedal. Várias subidas e descidas técnicas, riachos, trilhas de perder o fôlego e pedra. Muita pedra mesmo. Em muitos momentos o único artifício era carregar a bike. Nem empurrar era possível.
Não era nada fácil, muitas pedras no caminho
Não era nada fácil, muitas pedras no caminho

Após encontrarmos com várias pessoas que estavam cruzando o Parque da Serra do Cipó, chegamos ao nosso destino. O Vale do Travessão. Uma vista de perder o fôlego. E haja sapatilha para andar sobre as pedras. Esperto mesmo foi o Sérgio Zago que foi de bota e pedal plataforma.
A volta que prometia ser difícil visto o cansaço que tomava conta da turma foi uma verdadeira maratona. Pelo visto o ofurô em que ficamos por alguns minutos repôs a energia perdida e a galera tocou o terror! O resultado foi um tombo atrás do outro e ninguém se importava.
Ao chegarmos à rodovia, a briga foi por quem iria levar a caminhoneta, todo mundo queria voltar pedalando. E após descidas de 72km/h, fomos brindados com um belo visual unido a um por do sol sem igual.
Já eram 18h40 quando chegamos a casa, onde fomos brindados com um super jantar preparado pela Elenice.
O Travessão
O Travessão

Logo após a galera tomar aquele banho, veio o churrascão de primeira qualidade, uma conversa bem alongada e foi quando notamos a presença do Gabrieeeeeeeel, nosso vizinho ilustre. Fomos dormir madrugada afora, visto a adrenalina que tomava conta da turma.
Domingo, 05/09/10
Uma pausa para a foto oficial. Atenção para a barreira construída que imaginamos ser por escravos
Uma pausa para a foto oficial. Atenção para a barreira construída que imaginamos ser por escravos

No domingo o destino eram duas cachoeiras, dentro de uma área controlada pelo IBAMA. A turma foi reforçada pela Elenice, que mesmo o percurso sendo muito técnico como o primeiro dia, ela pedalou pra valer.
Após riachos sem tatuzinhos, paredões, paredes construídas manualmente, areia e muitas trilhas, chegamos à Cachoeira Andorinha. Uma cachoeira muito bonita, com uma queda muito alta e bem desafiante. A galera tocou o terror saltando e escalando. Destaque para o Herlley, Sérgio e Luiz DF. O Euler e o Bruno também não ficaram pra trás e também escalaram. Enquanto isso o Marquinhos só na sombra. Nem água fresca ele quis.
Depois de esbaldarmos na primeira cachoeira, fomos para a segunda, bem próxima. A Cachoeira do Gavião. Lá o Marquinhos acordou e foi escalar com o Gustavo e  com o Walner.
O retorno para casa foi bem bacana. Haviam várias pessoas em grupo fazendo trekking, e cada encontro rolava um papo legal, com várias histórias.
Parte alta da Cachoeira Andorinha
Parte alta da Cachoeira Andorinha

Encontramos até pessoas que têm casas dentro do parque. E a galera tocou o terror nas descidas e subidas extremamente técnicas.
Imagino o que passava pela cabeça do pessoal que tava assistindo aquele “show de terror”.
Chegamos novamente juntos com o por do sol e fomos brindados com um belo tropeirão.
Minutos depois chegaram Walner, Marcos e Gustavo contando as histórias do alto da Cachoeira do Gavião.
Depois disso foi só tomar o banho, relaxar as pernas, comer aquele churrasco e recuperar as energias para o dia seguinte. E claro, interagirmos com o Gabrieeeeeeeeeel, que tinha uma boca suja demais.
Cachoeira Gavião
Cachoeira Gavião

Segunda-feira, 06/09/10
Arara na sede do Parque controlado pelo IBAMA
Arara na sede do Parque controlado pelo IBAMA

Era uma segunda-feira de dia preto na folhinha, mas para a nossa galera era dia de férias. Era o dia mais tranqüilo de pedal, mas o trekking era nível de dificuldade altíssimo. Fomos reforçados pela presença da Tatiane e da Doutora Raquel no pedal.
Era aniversário da Raquel que nos brindou com sucos, pão de queijo e um bolo.
Fomos pedalando até a entrada do Parque também controlado pelo Ibama. Logo após a entrada, antes do início da trilha uns companheiros. Duas araras azuis chamaram a atenção da galera. Foi dado início ao pedal, menos técnico, mas com muita areia. Em alguns locais parecia deserto. Após algumas trilhinhas chegamos ao Cânion das Bandeirinhas. Tinha mais pedra que o Depósito do Astério. Aí começou o trekking sobre elas. Substituímos as sapatilhas por botas e fomos superar os obstáculos.
Show de escalagem do Professor Doutor Valner
Show de escalagem do Professor Doutor Walner

Em alguns locais só havia duas opções: escalar ou nadar. E claro, muitos saltos. Calculo mais de 2 km de pedras a serem superadas. Nem observamos que já estava anoitecendo. Já não avistávamos mais o sol quando chegamos à cachoeira do Cânion das Bandeirinhas. Descemos rapidamente sobre as pedras, pegamos as bikes e aproveitamos mais uns 20 minutos de claridade. Após passarmos um belo ribeirão, apagaram-se as luzes. Aí a galera tocou o terror novamente. Íamos guiando pelo rumo e detalhes dos trilhos brancos. Metade da galera tinha lanternas e a outra não. Fomos os últimos a sair do parque e faltava ainda o deslocamento através de estrada de terra e um pouco de asfalto.
Chegamos a casa depois das 20 horas e mais uma vez estava lá a Elenice e a Tatiane nos servindo um belo lance. Desta vez cachorro quente com Guaraná Taí.
Aí fomos preparar o terceiro e último dia de churrasco. Depois de algumas desavenças com o nosso amigo oculto Gabrieeeeeeeel, descansamos a buzina. Para a maior parte da galera foi o último dia de aventuras.

Um dos pores-do-sol que presenciamos
Um dos pores-do-sol que presenciamos

Terça-feira, 07/09/10
O primeiro carro a deixar as dependências da casa foi do Luiz DF, com o Marquinhos, Bruno e Euler. Saímos 05h da manhã. Mais tarde saíram o restante do pessoal, exceto Walner, Gustavo e Raquel que acredito que tenham ido para mais uma jornada de aventuras.
É isso aí galera. Certamente esqueci alguns detalhes, então peço que complementem aí. Não foi desta vez que encontramos com a galera de Curvelo. Parabéns a todos pelo companheirismo e superação, pois não foi nada fácil. Um abraço ao amigo Gabrieeeeeeel e sua mãe. E vamos fazendo economias para pagarmos os terrenos comprados, que na minha conta foi mais de 30 investimentos.
Para fechar, registro aqui para a eternidade, o nome dos companheiros aventureiros: Bruno Fernandes, Luiz DF, Marquinhos Caixeiro, Euler Caixeiro, Doutor Walner, Doutora Raquel, Herlley Power bike, Tatiane do Herlley, Sérgio Zago, Elenice Zago e Gustavo Primo do Walner.

Confira todas as fotos desta aventura

[album id=3 template=extend]

Diário de Bordo: Pedal Noturno Trilha das Pedreiras

29/07/2010, por Magela
Meus amigos do Noispedala, depois de algum tempo sem redigir o diário de bordo, eu não poderia deixar passar em branco o pedal noturno em que meu parceiro Bruno Fernandes levou um capote ridículo.
As 19h10min após degustarmos a super Athletica Maltodextrina da Nutry, saímos e de cara encontramos com o Herculano na Av. Getúlio Vargas, na maior frescuragem em sua speed. Todo mundo sabe que quinta-feira a noite é dia de pedal noturno o resto é frescuragem.
No começo éramos 17 pessoas, isto contando com o João (Pivodrip), que foi convidado pelo Sérgio Zago. Como se tratava da trilha das pedreiras das Alagoas e esta foi a primeira trilha que o Sérgio fez com a galera do Noispedala, ele resolveu descontar no pobre do João. Para quem não sabe, esta trilha e praticamente 20 Km só de subida, não demorou nada para o João botar os bofes pra fora e voltar antes da metade do caminho.
Em um determinado momento em que estávamos parados esperando todos chegarem, um determinado amigo teve a péssima idéia de soltar uma bombinha, que pode parecer engraçado, porem também pode incomodar os fazendeiros, que por sua vez podem proibir a nossa passagem por suas propriedades.
Logo após, paramos para fazer um tributo ao maior “piloto de speed” de Patos de todos os tempos: lembramos  de algumas  história do Ivo de Lima.
Tudo ia tranqüilo quando descíamos a Serra do Mamão e ao chegarmos em um mata-burro, o Rafael levou um capote, que levantou um poeirão danado, é uma pena que a bateria da maquina fotográfica havia acabado, pois eu nunca vi alguém tão empoeirado na minha vida, só se via o branco das olhos do Rafael.
Quando já estávamos no perímetro urbano, logo que passamos sobre a ponte do Rio Paranaíba, o Bruno foi fazer uma graça e resolveu dar um advance no quebra-molas, a bicicleta dele adquiriu vontade própria e  deu um reverteres pulando meio de banda igual o toro Bandido, o Bruno não conseguiu domar a danada, e o chão foi o limite. Logo depois vinha eu, que para não atropelar o Bruno que já estava caído, tive que efetuar uma manobra tipo “cavalo de pau” e foi mais um gordo pro chão, o Luiz farol de carreta  que vinha ainda depois, provavelmente se assustou com aquele peteco e também capotou feio. Como eu acho que o Bruno ficou com muita vergonha, ele usou a estratégia de ficar gemendo no chão para que pensássemos que ele estava muito machucado, com isto ele se livrou  da gozação .
Após o Bruno se levantar acabamos de chegar sem alteração.
Um abraço, boas pedaladas este final  semana e até a próxima quinta-feira no pedal noturno.

Confira as fotos:

[nggallery id=138]

Diário de Bordo: Trilha das Pedreiras voltando pelo Friends 17/06/10

17/06/2010, por Bruno Fernandes
Eram 18h58min quando cheguei à Nutry Suplementos e encontrei somente aqueles companheiros que faça chuva ou faça frio, eles estão lá. Afinal, acredito que foi uma das noites mais frias este ano. Saímos sentido Ponte antiga do Rio Paranaíba, quando no primeiro semáforo eu parei. Aí o Eduardo Grandão chegou e disse: “Pode ir galera, o Magela não veio hoje não.” Mesmo assim esperamos a galera reunir e continuamos.

E a chama do Pedal Noturno continua acesa...
E a chama do Pedal Noturno continua acesa...

Éramos 10 companheiros. Eu, Renato Amaral, Otávio, Gagame, Walner, Cadu, Marquim Caxão, Vinícius Diógenes, Joaquim Bombeiro e o Grandão.
Ao passar pela Avenida Brasil, notamos a ausência de gatos. Impressionante, a cada esquina havia um churrasquinho. Dessa maneira não há gato que fique vivo. Descemos para chegar à ponte congelando. A partir daí, começou o pedal forte. Todo mundo girando pra valer com a intenção de esquentar. O Otávio queria voltar sozinho, só que não deixamos. Mais na frente encontramos o Diógenes com a mesma idéia. E também fizemos a cabeça dele.
Depois da primeira subida forte, a galera reuniu-se e passamos a pedalar em um só pelotão. Passamos pela entrada da subida que chega à Matinha e fomos lá. É uma das subidas mais técnicas, e a galera subiu. Estamos cada dia mais fortes galera.
Paramos na Matinha e o pneu do Doutor Walner tava furado. Ele deu umas bombadas e seguimos. Ao chegarmos a uma encruzilhada, o momento mais hilário da trilha. Estávamos com dúvida do caminho, quando o Cadu disse. “Pra cá é a Secretária, ops, não é não, é o Dólar”. Com um detalhe galera, Dólar e Secretária ficam do outro lado da cidade. Foi uma risada só.
Momento da aula do Eduardo Grandão
Momento da aula do Eduardo Grandão

Continuamos a trilha, parando algumas vezes para o Walner encher o pneu, onde começou o Curso do Grandão. Na primeira aula aprendemos como regular marcha. Ou seja, quem não foi, perdeu essa nova atração do Pedal Noturno.
Qual será o assunto da próxima semana?
E o Gagame? Continua o mesmo, cantando as mesmas músicas que ninguém conhece. Só que a cada dia está mais Zelite. Ele está treinando pesado para o Cross Country do Leandro. Será dia 27 e a galera vai lá para torcer pra ele. Força Gagame.
É isso aí galera, a chama continua acesa. Está forte e não vamos deixar ela apagar. Mesmo com esse frio todo. Semana que vem tem mais.
Dez companheiros mantiveram a chama acesa. Valeu galera!
Dez companheiros mantiveram a chama acesa. Valeu galera!

Confira as fotos de mais um pedal noturno.

[nggallery id=114]

Diário de Bordo: Pedal Noturno Pedreiras e Friends 06/05

06/05/10 – Por Bruno Fernandes e Renato Amaral
Já era 18h50 quando nós saímos da casa do Bruno. Tivemos que parar no posto para encher o pneu. No semáforo do coração da cidade o Bruno ainda caçou encrenca com um PM que transitava de moto na ciclovia. Eram 19h02 quando chegamos à Nutry onde eles estavam lá apostos para receber os 25 bikers animados (e bota animação nisso). Havia muitos novatos. Infelizmente já havia sido realizado o sorteio e ficamos fora. O Claudinho foi um que ganhou e tomou um energético que fez o cara pedalar como nunca.

Galera do NPD na Nutry Suplementos
Galera do NPD na Nutry Suplementos

Bom, quem se lembra do último pedal que saímos da Nutry e fomos fazer essa trilha? Relembre aqui então: https://www.noispedala.com.br/noticias/diario-de-bordo-trilha-pedreiras-friends-040210/. Havia o medo de acontecer tudo novamente. E o pior. O pneu do Magela furou logo quando estávamos lá parados. Isso fez com que saíssemos 19h20.
Saímos todos sentido Ponte Antiga do Rio Paranaíba (Fundão). O Euler Caixeiro Viajante foi o fecha trilha, Magela o guia e o Renato Amaral o Chilon da vez. Ao invés de barro, havia muita, mas muuuuita poeira. Em alguns momentos os pneus faziam até barulho.
Tudo certo até descermos as “pedreiras”, onde alguns companheiros resolveram passar susto na galera.
Era um riso só. Como divertimos.
Faróis da bike confundem-se com as luzes da cidade. Que visual.
Faróis da bike confundem-se com as luzes da cidade. Que visual.

Estranho foi o Breno (corrigindo) pedir comida de sal. E o pior foi que ninguém havia pedido pizza desta vez e o Ki Bocão estava fechado. Continuamos o pedal até passarmos pelo colchete onde da última vez tivemos que “apartar” o gado. Mudamos um pouco o pedal e subimos um morro bem bacana. Ficamos completamente em um breu, pois a galera desligou a lanterna. Foi aí que o Euler chegou dizendo que o Bocão havia comprado um Mata-burro. Realmente não era a noite do nosso companheiro.
Depois de subirmos pra valer e o Sérgio Zago demonstrar o porque do seu retorno (tá pedalando que nem uma caninana), chegou a hora da aventura. Só descida. E a galera soltou o freio pra valer. Numa dessas o Companheiro Otávio que na penúltima semana reclamou que não haviam citado o nome dele no Diário de Bordo comprou aquele terreno. Pior que o Renato Amaral havia respondido pra ele nos comentários que uma boa forma de ser citado era levando um tombo. Então fica registrado. O OTÁVIO COMPROU UM TERRENO. E pelo tanto que ele sujou, ele deve ter gastado um bocado.
Antes e depois do Otávio comprar aquele terreno.
Antes e depois do Otávio comprar aquele terreno.

Tudo corria bem até chegarmos ao ponto da macumba, onde o Cacique Magela resolveu fazer uma roda e dançar uns passos lá que até agora não entendi. Parecia um misto de Rebolation com dança da chuva. Tudo isso para assustar um casal que vinha em uma moto. Foi um momento de muitas risadas.
E o Gagame estava inspiradíssimo. Cada palavra que ele dizia era motivo de riso da galera. Ele realmente tem o dom. Temos que voltar com a corneta do Gagame urgentemente.
Continuamos o percurso até chegarmos à ponte. Paramos e tiramos umas fotos bem bacanas. E o Euler Caixeiro Viajante intimou todos para fazermos o pedal da madrugada para a Lagoa Formosa no dia 02 de Junho, véspera de feriado.
Dança da Chuva comandada pelo Caciqe Magela
Dança da Chuva comandada pelo Caciqe Magela

É isso aí galera. Esse pedal foi muito bom. Tá ficando complicado dizer que foi um dos melhores, pois quem não foi pode não acreditar.
Mas só digo uma coisa. A cada semana está melhor. Nota importante: o Gagame não abandonou dessa vez porque ficou com medo de passar sozinho na encruzilhada e no fundão.
E fica desde já o convite para participarem do Enduro do Milho, que sairá de dentro do Parque de Exposições no último domingo da Fenamilho (30/05). Estou treinando pra chegar na frente do Bruno. Qual o seu objetivo?
Tenha uma meta e alcance, ultrapasse! Força no pedal e até o próximo!!!

Confira as fotos deste pedal noturno

[nggallery id=91]

Convite: Pedal Noturno 06/05/10 Pedreiras e Friends

Galera, tá chegando mais um pedal noturno. E a cada semana está melhor.
Iremos fazer uma trilha excelente, para um lugar que não vamos muito e é a preferida por muitos bikers.

Quinta é dia de pedal noturno Noispedala
Quinta é dia de pedal noturno Noispedala

Vocês vão lembrar da última vez que fomos lá, onde havia muuuuuito barro e deixamos uma porteira aberta e os bois migraram de pasto e foi um trabalhão. Fomos salvos pelo Ângelo Engeset que por sinal anda sumido.
Iremos sair da Nutry Suplementos, um de nossos parceiros. Falando nisso, vamos prestigiar eles hein galera. Lá têm vários produtos que vão aumentar o seu rendimento e não vai deixar você morrer no meio da trilha, não é Hebinho?
Trilha das Pedreiras das Alagoas voltando pelo Friends
Data: 06/05/10 – Quinta-feira
Horário: 18h50min tolerância 10 minutos
Ponto de Encontro: Nutry Suplementos
Guia: Magela
Dificuldade: Média
Info: Bruno (9169-0141) / Magela (9975-4745)
Fotos: Luis Farol de Carreta / Renato Amaral
Distância: 28km
Nos encontramos lá!

Diário de Bordo: Trilha Pedreiras / Friends 04/02/10

Galera do Noispedala eu aqui de novo Euler Caixeiro Viajante. Como todos estavam sabendo o guia e diário de bordo era para ser o Magela mais por motivos de força maior ele não compareceu (ficou  com medo da chuva – rsrsr).

Galera saindo para mais um pedal noturno
Galera saindo para mais um pedal noturno

A Saída foi da Nutry Suplementos com um pouco de atraso. Saímos às 19h20min devido à ótima recepção do pessoal da Nutry, a Eliane, o Daniel e seus funcionários com degustação e sorteios de brindes. Quem ganhou os brindes foram o Cadu e o Kuririn. Estava presente também o aventureiro Djanilton (Djanilson, Djanailton, Djani… ah sei lá, é Djavu mesmo), que está atravessando o Brasil em uma bike crozinha e fez mais uma trilha com a galera do Noispedala.
Antes de sair eu e mais uns três queríamos alterar o trajeto da trilha porque aonde iríamos estava chovendo, mas fomos vencidos pela maioria e seguimos para fazermos a trilha combinada. Dei uma olhada no pessoal e observei que pela primeira vez no Pedal Noturno havia uma presença feminina que foi a Raquel (professora de Spinning na academia Cia do Corpo) todos numa animação só, chegando ao final da Avenida Brasil o Marquinho Caixeiro Viajante desistiu da trilha (medo de sujar a Orbea).
Ao final do asfalto quando pegamos o estradão de terra foi à vez do nosso fotógrafo Alisson José Rita Chilon Farnese Porto Kuririm desistir. Tudo normal trilha adentro mais pela primeira vez uma grande parte da galera que anda na frente não saía da turma do fundinho acho que nem precisa falar o motivo pois lá estava nossa nova integrante do Noispedala Raquel.
Tinha muita lama. Eu e o Bruno tentamos ver se iríamos concluir toda a trilha, mais foi frustrada a tentativa. Descemos a cascalheira que era perigosa e hoje estragaram a trilha porque foi arrumada a estrada. Chegamos ao alto do morro onde imaginei que poderia ter muito barro e argila. Não deu outra, as bikes lotaram de barro que dobraram de peso tinha umas que não conseguia nem rodar tanta quantidade de barro, o Marquinho Kxão quebrou a gancheira e o pior que não foi nenhum mecânico desta vez. Aí apareceu o Bombeiro que tomou as providencias tirando um pedaço da corrente para conseguir terminar a trilha, pela frente descemos e subindo o morro com todas as bikes pesando o dobro do peso, passamos pela primeira porteira. Quando chegamos à segunda porteira, mais uma gancheira quebrada. A maioria da galera seguiu e ficaram alguns para arrumar a bike, foi quando percebemos uma possa de água lama sei lá o que era enfiamos as bikes lá conseguimos dar uma aliviada no peso.
Tudo resolvido com as bikes. Já íamos saindo foi quando o Ângelo chegou dizendo que o pessoal que tinha seguido à frente não tinha fechado a porteira e tinha umas vacas que saíram do pasto onde estavam e foram para a roça de milho. Aí por alguns minutos alguns colegas ajudaram o Ângelo a tocarem as vacas para o pasto onde estavam. Foi uma bagunça só; as vacas assustadas com os faróis das bikes.
Tudo certo e seguimos com a trilha, passamos em frente a uma fazenda onde tem uma bica de água. Paramos o Senhor dono da fazenda que ficou assustado com tantas bicicletas que nem respondeu ao pedido.
Sem água continuamos nosso desafio. Deste ponto para frente foi só alegria sem barro só no estradão, mais teve uma compra de terreno meio grande na descida do morro onde no final tem um mata-burro. Foi do estreante Tiago, amigo do Marquinho Kxão. E o pior que o Marquinho disse que tinha levado o substituto nas compras de terreno
Quando começamos a subida do morro do Friends, todos preocupados com a Raquel,só show dela subiu com a bike do Bruno jogando cascalho na rapaziada que não deu conta de subir.
Chegamos intactos de mais uma aventura menos algumas bikes que chegaram faltando pedaço como a do Marquinho Kxão que no final da trilha que sentiu falta do pedaço da corrente que tinha tirado (volta lá para buscar).
O pesar da trilha foi que tiramos praticamente nada de fotos porque a máquina do Luiz Farol de Carreta estava sem bateria para variar, seria um show de imagens essa trilha com mais fotos.
SUGESTAO: VAMOS FAZER UMA VAQUINHA TODOS E COMPRAR UMA MAQUINA FOTOGRAFICA PARA O NOISPEDALA.

Convite: Trilha das Pedreiras voltando pelo Friends

Pedal Noturno
Chegou o dia do pedal noturno

Alô galera do Noispedala. O ponto de encontro hoje será a Nutry Suplementos, localizada na Olegário Maciel, 93, ao lado do Bradesco. Você pode chegar e sentir-se em casa. Haverá sorteio de brindes e desgustação de energéticos.
Sairemos de lá às 19 horas sentido ponte do Rio Paranaíba. Esta trilha ainda não está roteirada. Vamos pedalar galera!
Ponto de Encontro: Nutry Suplementos
Horário de Saída: 18h50min com tolerância de 10 minutos
Nível da Trilha : Médio
Previsão de Km: 28 quilômetros.
Previsão de Hora de Chegada: 22h, caso não ocorra nenhum incidente.
Não Esquecer: Bike Regulada e Lubrificada, Remendo de Pneus, Ferramentas, Luvas, Capacete, Água, Repositor Energético, Documentos e Dinheiro.
Importante: Somente não iremos, se na hora da saída, estiver chovendo forte, chuviscos e garoas estaremos saindo.
Guia: Magela
Autor do Diário de Bordo: Magela
Fotos: Kuririn e Luis Farol de Carreta
E não esqueça. Novatos são sempre bem-vindos.