Diário de Bordo: Trilha do Aragão voltando pelo Rivalcino

31/03/11 – Por Bruno Fernandes
Está de volta o diário de bordo! Depois de mais de 30 dias sem relatos, estamos aqui.

18 bikers no pedal noturno
18 bikers no pedal noturno

Foi uma época complicada. Chuva e mais chuva. Na verdade desde o início do ano, podemos contar as quintas-feiras em que São Pedro colaborava conosco. Mesmo assim, não deixamos passar uma semana em branco. Era quinta-feira, e mesmo sob temporal, barro e lama estávamos lá.
Vou começar a relatar o que aconteceu conosco na terça-feira. Saímos para um pedal, eu, Euler, Sérgio e Walne. Na região de Paraíso de baixo, cerca de 25 km de Patos, encontramos uma D-20 atolada. Depois de horas de dificuldades para desatolar, conseguimos. Chegamos a Patos, na carroceria segurando as bikes 00h30.
Quinta-feira aguardada. Dia de pedal noturno. Eram 18h52 quando cheguei à lagoa grande, um novo ponto de encontro. Lotada de pessoas fazendo caminhando. Desta vez, também lotada de bikers. Que galerona, que animação. Éramos 18 companheiros
Depois de entrarmos em contato com o Renato Amaral e o mesmo que nunca falta, informar que não iria desta vez, saímos sentindo Avenida JK. Eram 19h06 quando saímos. Na saída já elegemos o fotógrafo da vez. Foi o Geomar, que mesmo apanhando da moderna câmera, fez excelentes fotos.
Chegamos às Molas Americanas, e após umas eleições frustradas, Marquinho Kxão prontamente aceitou ser o fecha trilha da noite. Bacana mesmo foi a quantidade de novatos que tinha nesta quinta-feira. Sejam todos bem-vindos e continuem conosco. Se algo tiver incomodado, favor deixar um comentário abaixo.
Passamos então a BR 365, descemos próximo ao Veraneio, subimos e seguimos a trilha do aragão. Foi muito bacana. A galera pedalou muito. Foi uma trilha show de roda! O clima de amizade imperava. Dois proprietários de lojas de bikes estavam lá. Guilherme Mundial Bike, mesmo tendo sofrido muito semana passada, caído e ainda perdido o cateye, estava lá firme e forte. Sempre dizia que ia até João Pinheiro. Também tivemos a presença do Eltinho da Bike Giro. Ele montou a bike ontem e já foi pedalar. E não é que o cara não desafinou? Ele pedalou muito também.
Quando estávamos na encruzilhada, ficou decidido que não iriamos passar nas granjas e sim subirmos o morro de cascalho solto, passarmos pelo Rivalcino e depois pelo milharal. A princípio não gostei muito da ideia, mas lá fomos nós. E por surpresa, o mato não estava alto e poucos pés de milho atrapalharam nosso acesso. Foi muito bacana. Alguns tombos, é claro, foram registrados.
Ah, não posso esquecer-me de mencionar meu mano Heber Contador, que mais uma vez desistiu no meio da trilha. Ele e seu parceiro da Autopatos resolveram descer a BR 365, não sei por qual motivo.
Devemos ressaltar também a participação do Euler Caixeiro Viajante, que foi um verdadeiro capitão do pedal noturno. Visto a presença maciça de novatos, ele sempre dava dicas e informava como proceder ao passarmos próximos à fazendas.
Eram 22h em ponto quando chegamos à cidade via Sebastião Amorim. Uma parte da galera foi para o Vaninho Star Lanches ainda jogar um sanduba pra dentro.
Compras de Terreno
O destaque da noite foi o Juninho, que caiu três vezes. E como quem cai três vezes, pede a música, ele pediu. Ele dedica a música Pa Panamericano a todos os seus amigos.
Outra compra de terreno que não pode passar em branco é a do Sérgio. Ele perdeu a roda da frente na descida depois da cascalheira e foi parar no chão. Mas nada grave. Nada que interrompa seus treinamentos.

É isso aí galera! Deixe registrado seu comentário aí abaixo! Queremos saber o que você achou do Pedal Noturno. E não se esqueça, quinta-feira tem mais.

Convite: Pedal Noturno na Trilha do Cafezal

Quinta é dia de pedal noturno Noispedala
Quinta é dia de pedal noturno Noispedala

Alô você que acessa o Noispedala. Principalmente você que participou do Enduro do 15º BPM. Chegou o dia de mais um pedal noturno. Hoje promete.
Hoje o ponto de encontro será a Nutry Suplementos. 18h50 espero todo mundo lá.
Ficha técnica:
Pedal Noturno: Trilha do Cafezal
Horário: 18:50
Ponto de Encontro: Nutry Suplementos
Tolerância de 10 minutos na saída
Guia: Bruno Fernandes
Dificuldade: Baixa
Info: Bruno (9169-0141) Magela (9975-4745)
Distância: 25 km
Fotos: Banhão / Bruno
Diário de Bordo: Bruno Fernandes
Percurso: Molas Americanas, Pesque Pague, Estradão de Chácaras, Cafezal, Veraneio
NOVATOS SÃO SEMPRE BEM-VINDOS
INDISPENSÁVEL O USO DE CAPACETES
SOMENTE NÃO IREMOS SE ESTIVER CHOVENDO NO MOMENTO DA SAÍDA
DEPENDENDO DA GALERA, PODEREMOS DAR UMA ESTICADA

Diário de bordo: Pedal noturno na Trilha da vista mais bonita de Patos

Eram 18h58 quando cheguei à Star Bike. Lá estava o Zé Gonçalves, que não pedalou e mais uma galera animada para mais um pedal noturno. Desta vez, mesmo sendo praticamente dentro da cidade, era inédito. Saímos 7 e 6 (7+6=13 e 13 é galo) guiados pelo Flávio do Galo.

O pôr do sol
O pôr do sol

Subimos a Major Gote tranquilamente, pegamos a Marabá, quando o Walner nos alcançou. Segundo ele, seguiu aquele caminho por dedução, já que não conhecia a trilha. Pouco a frente encontramos com o Vandinho Dentista, que estava realizando seu tradicional treino.
Éramos 11 companheiros, com dois novatos, o Rodrigo e o Renato Lima. Entramos em frente ao Terra Nova no cafezal. Tudo estava perfeito para curtirmos o por do sol com uma bela vista, ou a vista mais bonita de Patos de Minas, segundo o padrinho Gleidson, que promete está de volta em 2011. Só que notamos a falta do Felipe, que esticou na Marabá e foi até o Posto Cometa. O Gagame (promessa 2011) foi lá busca-lo.
Depois de pular algumas cercas, passar por algumas trilhas e um mato um pouco alto, fomos premiados com a prometida bela vista. Realmente é muito bacana e rendeu boas fotos feitas pelo Renato Amaral. O bacana é que a cidade fica muito próxima.
A vista mais bonita de Patos de Minas
A vista mais bonita de Patos de Minas

E o Hebinho? Que por si já é engraçado, ontem estava mais inspirado ainda. O Gagame nem passou perto dele. Que por sinal, o Gagame queria de toda maneira que passássemos por um lugar diferente. Ele também estava muito alegre, pois passou direto na escola.
Depois de apreciarmos a bela vista da cidade, deu início a uma descida bem bacana, até chegar à Avenida Afonso Queiroz. Chegamos então à Matinha do IEF. Foi onde o Renato Lima perdeu o controle da bike ao subir um morrinho, desequilibrou e caiu abraçando uma árvore. O único problema foi que voou pedaço de lanterna pra todo lado.
Chegamos então à Avenida JK, onde parte da galera foi embora (Hebinho, Gagame e Felipe) e o restante foi fazer a matinha do confinamento. Depois de muitas fotos chegamos então à cidade.
O que é de assustar é a quantidade de novos loteamentos em Patos de Minas. Em breve teremos que rodar pra valer para chegarmos à uma trilhinha como esta.
É isso aí galera! Domingo temos o pedal solidário. E você já adotou uma criança? Todo mundo lá, hein?

Confira mais belas fotos deste pedal noturno

[nggallery id=179]

Diário de bordo: Pedal noturno na Trilha dos 50 cents

09/12/10 – por Bruno Fernandes
Bom, o que dizer deste pedal noturno? Imitando o grande herói Lagoense Feliz, do nosso diário de notícias Patos Hoje, “na minha modesta opinião, o pedal de hoje foi muito bom, pois com o apoio de todos, fizemos um pedal à moda antiga: uma pedalada bem tranquila, ritmo passeio, onde o papo de elite rolou solto e nem mesmo os novatos desafinaram, juntos somos fortes”. Estreando hoje tivemos o Luciano e o Paulo Henrique. Éramos 16 companheiros.

Como assim pedal noturno? E o sol?
Como assim pedal noturno? E o sol?

Já que o novato Luciano não tinha lanterna, nosso companheiro de bom coração, que não havia feito sua boa ação do dia, Markim Kxão, emprestou uma de suas duas lanternas para ele.
Tivemos também o retorno do Pedrão, filho do Euler e, claro, do Flávio do Galo e de nossa estrela maior, o Gagame, que por sinal foi um exímio guia. Com indicações de dificuldades em alguns lugares e inclusive falando para passarmos calados próximo às casas. Logo após passarmos pelas Molas Americanas, ele sugeriu que fizéssemos a trilha que eu gostaria de ter marcado. Só que ele colocou bastante pimenta nela. Da maneira que ele nos guiou, encurtou bastante o pedal, só que passamos por uma descida técnica e uma subidinha mais técnica ainda. Que lugar bacana.
Havia uma expectativa para o barro no fim da descida. Quando chegamos, havia uma ponte e nenhum sinal de barro. Barro somente em uma fazenda após a subida.
Gagame e suas fotos tortas
Gagame e suas fotos tortas

Na descida todo mundo mandou bem, inclusive o Pedrão. O Euler ficou fechando a trilha, acompanhando o filho e, quando observou, ele já tinha era descido. Fotógrafos não faltaram. Hoje tivemos dois “Chilons”: o Banhão e o Renato. O Banhão ficava lá recordando as vezes em que ele já foi para folias de reis de bicicleta.
Quando passamos pela última fazenda, recordamos o caminho que passamos na última semana, onde desistimos pensando que estávamos no caminho errado. Aí foi só completar a trilha, quando surgiu a ideia de passarmos na Star Lanches para comermos uma pizza. Só que com qual grana? Ahh, o Vaninho “pendura” pra gente.
Chegando lá, cadê o Vaninho? Ele estava viajando para a cidade satélite de Lagoa Formosa. Foi quando apareceu o Juninho (Cemil) Melhor de Patos para nos salvar. Ele emprestou a grana que faltava para pagarmos a pizza.
Depois disso foi cada um para a sua casa. Alguns ainda fizeram a trilha da Fátima Porto, que por sinal está mais emocionante que o dólar.
E aí? Já decidiu qual será o seu presente no nosso Pedal Solidário de Natal? Clique aqui e confira mais detalhes sobre esta nossa ação.
Vale a pena conferir as fotos. Tem umas do pôr do sol bem bacanas. E em breve teremos mais “chapas”.
Será mesmo a mulher de Branco?
Será mesmo a mulher de Branco?

Confira as fotos deste pedal noturno.

[nggallery id=178]

Diário de Bordo: Pedal Noturno Trilha do Ponto Chic

18/11/2010 – Por Bruno Fernandes
Para mim era um dia diferente. 67 dias após uma queda, estaria de volta às trilhas do Noispedala. Foram mais de dois meses sem colocar a bike na terra e praticamente sem pedalar. A animação era grande, pois iria finalmente conhecer a famosa e temida Trilha da Mulher de Branco.

Ué, não estou vendo o guia
Ué, não estou vendo o guia

Tudo certo para sairmos da Band Bike, galera reunida e… cadê o guia? Às 18h13 o Diógenes comenta aqui no site questionando a ida ou não do Magela. E não é que ele não apareceu? Após alguns telefonemas para ele, sem lograr êxito, a galera deu algumas sugestões e uma foi acatada. Resolvemos então fazer a Trilha do Ponto Chic, inédita em pedais noturnos. Só que ela é casca grossa para fazer a noite. São 45 km e uma subida de tirar o fôlego.
Então seguimos para o estradão do Sumaré. Saímos eram 19h04min sentido Padre Almir, Paracatu, Tomaz de Aquino e Marabá.
O meu parceiro Hebinho que havia firmado compromisso em pedalar quando eu voltasse, estava lá com uma camisa nova da Giant. E essa camisa rendeu muitas risadas. Por quê? Minutos atrás o Criscele a deixou para vender na Power Bike e o Hebinho comprou e não falou nada com ele. Aí ele ficava lá questionando com ele mesmo: “É a minha camisa? Já vendeu?”. Quando ele resolveu perguntar foram aquelas gargalhadas, afinal a maioria da turma já estava por dentro da história.
Seguimos até o trevo do Ponto Chic pelo estradão, quando Iuri e Hebinho voltaram. A galera pedalou pesado, e eles que estavam retornando às trilhas, resolveram voltar pelo estradão. Aí veio uma descida onde duvidaram que já coloquei 60 km/h a noite e depois viram que era completamente possível.
Criscele, Hebinho e a camisa Giant que tem muitas histórias
Criscele, Hebinho e a camisa Giant que tem muitas histórias

Depois da descida, pegamos algumas estradinhas, sem barro algum, e claro, era a hora de subir. E que subida. Alguns até empurraram. Chegamos ao estradão onde Euler, Walner e Walder foram descer o Dólar ainda. Ah, Walner e Walder dá uma dupla sertaneja, não dá?
Chegamos antes das 22h. Eu estava muuuito cansado, mas de alma lavada. Que falta faz uma trilha galera. E este pedal noturno é uma terapia. Muito bom. Já estou ansioso para a próxima semana.
Participaram do pedal noturno, Eu, Markim Caxão, Walner, Walder, Euler Caixeiro Viajante, Fabrício Fisioterapeuta, Celinho Band Bike, Banhão, Herculano Paulista, Criscele, Iuri Scotton e Hebinho (primo do Alberto Contador).
E o que acham de marcarmos a trilha da Mulher de Branco com o Magela de guia novamente? Será o que ele estava fazendo que não foi? E o Sérgio? Acho que tá sofrendo tanto lá no Claro Brasil Ride que nem está conseguindo tirar fotos. Rs..

Confira as fotos deste pedal noturno. Os registros fotográficos foram do Celinho Band Bike

[nggallery id=171]

Convite: Trilha da Mulher de Branco, chegou o dia!

Fala galera do Noispedala. Finalmente a chuva passou e chegou a hora de pedalar. Hoje faremos a Trilha da Mulher de Branco, que das últimas vezes em que “tentamos” fazê-la, rendeu muitas histórias para contar. A primeira vez uma boa parte de galera lembra, que perdemos e a chuva chegou. Na segunda vez nem chegamos a sair, pois o temporal tomou conta. Somente o Walder foi pedalar naquele temporal, subindo o cenourinha.

Um dos momentos marcantes da trilha
Um dos momentos marcantes da trilha

Então devido a pedidos e como desafio ao Magela que disse que agora sabe ela 100%, resolvemos marca-la para hoje. O Ponto de Encontro é a Band Bike às 18h50. Sairemos às 19 horas.
Novatos são bem-vindos, mas como não é uma trilha com nível de dificuldade baixo, entre em contato com o Magela (9975-4745) ou o Bruno (9169-0141) e veja se você está no perfil apto a completar sem dificuldades.
Segundo informações do Climatempo, não há previsão de chuvas para hoje em Patos de Minas. Confira em http://www.climatempo.com.br/previsao-do-tempo/cidade/173/patosdeminas-mg.
Isso mesmo, eu, Bruno Fernandes irei voltar a fazer trilhas hoje!
Confira o diário de bordo da outra vez que fomos nela.

Assista também ao vídeo que foi produzido com imagens da Trilha da Mulher de Branco.


Mais detalhes:
18 de novembro de 2010
Pedal Noturno: Trilha da Mulher de Branco
Horário: 18:50
Ponto de Encontro: Band Bike
Tolerância de 10 minutos na saída
Guia: Magela
Dificuldade: Média
Info: Bruno (9169-0141) Magela (9975-4745)
Distância: 30 km
Fotos: Magela e Celinho
Diário de Bordo: Bruno

Ela aparecerá?
Ela aparecerá?

Diário de Bordo: Pedal Noturno Trilha do Ribeirão Mataburrinho

12/08/10 – Por Bruno Fernandes

Galera na porta da Star Bike
Galera na porta da Star Bike

Eram 19h em ponto quando cheguei à Star Bike do nosso amigo Zé Gonçalves. A Oficina tava cheia dos Elites, só na resenha. Mas o que tava lotada mesmo era a Rua. 27 bikers animados para fazer essa que em minha opinião é a melhor trilha para ser feita a noite, até que provem o contrário, é claro. Havia muitos novatos.
O Felipe Xandinho estava lá, de uniforme escolar ainda. Eram 19h08 quando subimos a Major Gote, sentido Marabá. A turma dividiu um pouco, mas como o ritmo do pedal noturno é de passeio, sempre esperamos e reduzimos o ritmo. Foi quando chegamos ao Posto Cometa e ficou decidido que o Cadu seria o Fecha trilha. As fotos ficaram por conta do Renato Amaral e do Banhão. Tivemos uma desistência, o André, novato de Patrocínio resolveu voltar. Fica firme companheiro, semana que vem tem mais. Ah, e o Felipe Xandinho? Ele foi em casa, trocou de roupa, preparou a bike e encontrou a galera lá no Posto Cometa. Tá pedalando muito o moleque.
Momento da resenha
Momento da resenha

Na saída do estradão do Sumaré, bate aquele receio que a poeira tomaria conta. Sorte nossa que estava bem tranqüila e foram somente os carros do início. Chegamos então ao trevinho do dólar e pegamos a estradinha. Conferimos se tava todo mundo. O Cadu confirmou. Passamos pelo mata burro com corrente, pegamos as trilhas traiçoeiras.
Quando eu pensei que todos passariam ilesos, vejo que a galera parou. Eu e o Renato Amaral tínhamos esticado na frente. Voltamos então e vimos que o Marquinho Caxão havia caído em um buraco de tatu e deslocou o ombro. Mesmo com o auxílio do Doutor Carlos Campos, ele não conseguiu voltar. Até que ele conseguiu sozinho dar um jeito no ombro dele. Recomendamos que voltássemos e chamássemos o SAMU, mas ele quis continuar.
Momento que decidimos a voltar
Momento que decidimos a voltar

Passamos então a mata sem nenhuma história para contar e após ela, fomos conferir se estavam todos lá. Eu grito: “Cadu, tá todo mundo aí? Cadu? Cadu? Cadê o Cadu?”. Fomos contar e vimos que faltavam três companheiros. Após uma consulta pública, ficou decidido que voltaríamos para encontrá-los. Neste momento, ficamos por um instante calados para perceber um barulho. Eram vacas vindo a todo vapor. Teve companheiro que quase subiu numa árvore de medo. Após voltarmos à mata e subirmos um pouco das trilhas traiçoeiras, verificamos três luzes. Estavam lá Doutor Cleber, Cadu e o novato Diego Maradona.
Resumindo, uma trilha que tinha tudo para ser marcante, deu tudo errado. Resolvemos voltar pelo estradão do Sumaré mesmo, quando ao chegarmos ao Posto Cometa, o pneu do Sérgio Zago estava furado. Paramos, resolvemos o problema e chegamos sem alterações em casa.
É isso aí galera. Não são todas as trilhas que saem como a gente espera, infelizmente. Mas mesmo assim, o clima de companheirismo e animação que estava valeu à pena. Semana que vem tem mais. Deixe aí seu comentário, principalmente se você é novato.

Confira as fotos deste pedal noturno

[nggallery id=143]

Diário de Bordo: Pedal Noturno Trilha do Boi 15/07/10

15/07/2010, por Renato Amaral

Tá esquentando
Tá esquentando

A trilha agendada foi a Trilha do Boi. A galera se reuniu na Praça Champagnat à espera do guia Euler. Só esqueceram de avisar pra ele. Hoje tivemos a presença de quatro estreantes no pedal noturno: Gustavo, Anilson, César e Rafael. Éramos 16 bikers no total: os estreantes, Eu, Hebinho, Grandão, Sérgio Zaggo, Walner, Kléber, Vinícius Diógenes, Markin Kxão, Iuri, Pedro Elias, Cadu e Herculano.
O Hebinho compareceu na sua já tradicional pedalada do mês. Hoje as ausências do Cacique Magela e do Bruno Fernandes eram mais que justificáveis: a dupla foi homenageada no evento Amigo do Projeto Saúde & Equilíbrio pelo incentivo ao esporte através do site www.noispedala.com.br. É graças a esta grande iniciativa que eu pedalo, que você pedala, que noispedala! Parabéns, esta é apenas uma das várias que virão. Também foram homenageados como atletas e incentivadores do esporte os bikers Júnio Alves e Coelho Bala.
Colaram a corrente foi com super bonder?
Colaram a corrente foi com super bonder?

O clima estava bacana e o pessoal estava animado. Os estreantes não decepcionaram e pedalaram legal. No caminho, o Sérgio nos deixou por dentro dos detalhes de sua aventura no Caminho da Luz (Bike Luz 2010) e o Herculano nos animou mais ainda para o pedal na Serra da Canastra. Ele esteve por lá no último fim de semana com uma turma de São Paulo e “roteirou” o trajeto para nos guiar pelas belas paisagens do Parque.
Na volta, depois da ponte do bigode, a galera seguiu direto pelo estradão, abreviando a trilha. Teve sua vantagem, pois logo depois a corrente da bike do Cadu estourou. O “mecânico” Iuri resolveu com um “show de mecânica”. Vencidas as últimas subidas até o asfalto a galera já estava pensando nas próximas trilhas.
Guias: Herculano e Sérgio; Fecha-trilha: Iuri; Fotografias: Vinícius Diógenes e Cadu. Comentários: VOCÊ!
Confira as fotos:
[nggallery id=128]

Diário de Bordo: Trilha do Aragão e Rivalcino 08/07/10

08/07/2010, por Renato Amaral

Resenha no Ponto de Encontro
Resenha no Ponto de Encontro

Hoje partimos do Posto São Cristóvão. Antes disso a resenha foi bacana. O Tora Racing compareceu pra animar a turma pra mais uma trilha sua no sábado e o Bruno também esteve por lá para anunciar oficialmente a confirmação da prova de Cross Country que o noispedala vai organizar na cidade de Rio Paranaíba. Hoje ele trocou o pedal pela caneta e ainda tinha algumas articulações políticas na agenda. O Álisson Kuririn também chegou por lá, mas com pneu fino: não queria nada com a dureza hoje.
Éramos 13 bikers. Seguimos pela JK, onde paramos para arrumar a bike do Pedro. O Luís Farol de Carreta usou toda sua experiência pra consertar a bike do menino.  De lá seguimos pelas Molas Americanas e depois para a trilha do Aragão.
Chegou a hora de pular a porteira
Chegou a hora de pular a porteira

No meio da trilha do Aragão o Thiago Bicalho (SB Uniformes) lembrou que tinha uns uniformes pra entregar e resolve voltar sem lanterna: “Dá pra ir, olha a lua!” Cade? E foi.
O Gagame não se contentou com as subidas pra chegar à rodovia e enquanto a gente esperava o pessoal ele descia pra subir novamente. O que será que ele tomou?
A grande questão da noite foi a discussão sobre a velocidade do avião do Luís Farol de Carreta. Walner, o nome do avião é? HyCAUSE: descobri que esta é a areronave mais rápida do mundo e já atingiu uma velocidade de 11.000km/h o que dá 3,05 Km/s, 100 vezes menos do que você falou, Luís. Além dessa polêmica o Luís também foi o dono do único terreno da noite.
Esta é a vista que temos lá de cima galera
Esta é a vista que temos lá de cima galera

Atravessamos a rodovia e o dono da primeira fazenda foi bem receptivo: nos recebeu soltando os cachorros nos dois sentidos.
Na segunda porteira contamos a galera e faltava um: o Pedro. Os cachorros continuavam latindo ao longe e ouve-se um grito: PAIÊÊÊ !!!! O Euler respondeu calmamente: Pedala!!! O Pedro chegou à porteira e não conseguia nem conversar.
Deste ponto em diante só as boas descidas até o pesque-pague que ainda teve a história das vacas camufladas no escuro: no beco de grama alguns quase atropelaram as coitadas que dormiam.
Estão abertos os debates: avião do Luís, potencial do Gagame e os cachorros…

Confira as fotos deste pedal noturno

[nggallery id=125]

Convite: Pedal Noturno Aragão e Rivalcino

Alô você companheiro do Noispedala. Chegou o dia de mais um pedal noturno. Sobre a semana passada nem precisa comentar não é? E hoje também promete. Pelo menos frio é certeza. Então sugerimos que você vá agasalhado. Gripe nesse momento não é bem-vinda. Domingo tem pedal em Vazante, Fenamilho está chegando e no fim do mês temos ainda o Enduro do Milho, que este ano vai ter o Parque de Exposições como largada.

Hoje é dia de pedal noturno
Hoje é dia de pedal noturno

Hoje o ponto de encontro será a Star Bike. 18h50 espero todo mundo lá. Hoje vamos sair sem atraso, pois a intenção é subirmos um morro bem bacana, chegarmos ao Rivalcino e pegarmos umas trilhas sensacionais. Só iremos fazer isso se não estiver muito tarde.  E são umas trilhas muuuuuito boas. Com excelentes descidas também. E tem também uma vista da cidade que vocês vão gostar.
Trilha do Aragão voltando pelo Rivalcino
Data: 13/05/10 Quinta-feira
Horário: 18h50 tolerância 10 minutos
Ponto de Encontro: Star Bike
Guia: Magela
Dificuldade: Média
Info: Bruno (9169-0141) / Magela (9975-4745)
Fotos: Kuririn Voador
Distância: 32km