CIMTB São Lourenço 2012: Cobertura e fotos do Carrossel Sprint Eliminator

Noelia Rodrigues venceu o Carrossel Sprint Eliminator
Noelia Rodrigues venceu o Carrossel Sprint Eliminator

Na manhã deste sábado (05/05) foi disputado em São Lourenço, o Carrossel Sprint Eliminator, abrindo a programação da segunda etapa da Copa Internacional de MTB.
Uma das inovações foi a escolha do local da pista, que foi disputada aos arredores da Estação Ferroviária de São Lourenço, com largada logo à frente da estação, com uma grande integração do público. Um detalhe que chamou a atenção foi o som da largada, que era através do apito da Maria Fumaça.
Diversos atletas das categoria Super Elite Masculino e Elite Feminino partiparam. Quem levou a melhor mais uma vez, foram os vencedores de Araxá, Luiz Henrique Cocuzzi e Noelia Rodrigues Margaria que receberam as medalhas logo após a saída da Maria Fumaça.
Amanhã serão realizadas as quatro baterias da CIMTB. Fique ligado que traremos todos os detalhes para vocês.

Confira as fotos:

Galeria 01

[nggallery id=350]

Galeria 02

[nggallery id=351]

Saiba como manter o prazer de pedalar mesmo no inverno

Para quem está acostumado a andar de bicicleta diariamente ou mesmo para os esportistas de final de semana, é preciso ter muito cuidado com as oscilações de temperatura na hora de sair por aí pedalando. Especialmente nessa época do ano, com a chegada do inverno, é necessário tomar alguns cuidados.
Saiba como manter o prazer de pedalar mesmo no inverno
Saiba como manter o prazer de pedalar mesmo no inverno

É recomendável se vestir em camadas, como uma cebola, pois quando iniciamos o exercício a sensação de frio é maior e, com a frequência da pedalada, o calor aumenta e as peças podem ser removidas aos poucos.
Então, o bacana é vestir uma primeira pele que absorve e expele o suor, como as dry fit, um agasalho leve, um moletom meio termo e um colete – para proteger a região respiratória – e, para frios mais intensos, pode-se até usar um gorro.
Evitar a famosa combinação de camisa de algodão e moletom é o ideal, já que a dupla demora para absorver o suor e, com o contato direto com a pele, pode causar resfriados e micoses.
Outra dica importante é o aquecimento. Iniciar com pedaladas mais tranquilas, utilizando uma marcha bem leve, por cinco a dez minutos, e depois, repetir o mesmo processo no final para ir “desacelerando” o organismo.
Em relação à alimentação, se o tempo for superior a uma hora, deve ser feito um reforço de carboidratos – cerca de 1/3 a mais do que se costuma comer -, pois em épocas frias, o organismo já gasta naturalmente mais energia para manter a temperatura corporal, necessitando um “extra” de energia para o esforço físico.
Para manter o corpo sempre hidratado, o ideal é dar um gole generoso de água a cada 30 minutos – mesmo sem vontade de beber. O bacana é não perder a oportunidade e o ânimo de pedalar nos dias frios.
A dica foi do Renato Amaral @ammaral

Diário de Bordo: Trilha das Pedreiras voltando pelo Friends 17/06/10

17/06/2010, por Bruno Fernandes
Eram 18h58min quando cheguei à Nutry Suplementos e encontrei somente aqueles companheiros que faça chuva ou faça frio, eles estão lá. Afinal, acredito que foi uma das noites mais frias este ano. Saímos sentido Ponte antiga do Rio Paranaíba, quando no primeiro semáforo eu parei. Aí o Eduardo Grandão chegou e disse: “Pode ir galera, o Magela não veio hoje não.” Mesmo assim esperamos a galera reunir e continuamos.

E a chama do Pedal Noturno continua acesa...
E a chama do Pedal Noturno continua acesa...

Éramos 10 companheiros. Eu, Renato Amaral, Otávio, Gagame, Walner, Cadu, Marquim Caxão, Vinícius Diógenes, Joaquim Bombeiro e o Grandão.
Ao passar pela Avenida Brasil, notamos a ausência de gatos. Impressionante, a cada esquina havia um churrasquinho. Dessa maneira não há gato que fique vivo. Descemos para chegar à ponte congelando. A partir daí, começou o pedal forte. Todo mundo girando pra valer com a intenção de esquentar. O Otávio queria voltar sozinho, só que não deixamos. Mais na frente encontramos o Diógenes com a mesma idéia. E também fizemos a cabeça dele.
Depois da primeira subida forte, a galera reuniu-se e passamos a pedalar em um só pelotão. Passamos pela entrada da subida que chega à Matinha e fomos lá. É uma das subidas mais técnicas, e a galera subiu. Estamos cada dia mais fortes galera.
Paramos na Matinha e o pneu do Doutor Walner tava furado. Ele deu umas bombadas e seguimos. Ao chegarmos a uma encruzilhada, o momento mais hilário da trilha. Estávamos com dúvida do caminho, quando o Cadu disse. “Pra cá é a Secretária, ops, não é não, é o Dólar”. Com um detalhe galera, Dólar e Secretária ficam do outro lado da cidade. Foi uma risada só.
Momento da aula do Eduardo Grandão
Momento da aula do Eduardo Grandão

Continuamos a trilha, parando algumas vezes para o Walner encher o pneu, onde começou o Curso do Grandão. Na primeira aula aprendemos como regular marcha. Ou seja, quem não foi, perdeu essa nova atração do Pedal Noturno.
Qual será o assunto da próxima semana?
E o Gagame? Continua o mesmo, cantando as mesmas músicas que ninguém conhece. Só que a cada dia está mais Zelite. Ele está treinando pesado para o Cross Country do Leandro. Será dia 27 e a galera vai lá para torcer pra ele. Força Gagame.
É isso aí galera, a chama continua acesa. Está forte e não vamos deixar ela apagar. Mesmo com esse frio todo. Semana que vem tem mais.
Dez companheiros mantiveram a chama acesa. Valeu galera!
Dez companheiros mantiveram a chama acesa. Valeu galera!

Confira as fotos de mais um pedal noturno.

[nggallery id=114]

Cobertura TV Noispedala: CIMTB Levorin São Lourenço

Aí galera que acessa o Noispedala. Gravamos um programa especial durante a etapa de São Lourenço da Copa Internacional Levorin de MTB. Fique ligado em todos os detalhes e deixe seu recado. Sua participação é importante para sabermos se estamos no caminho certo.

Imagem e Edição: Renato Amaral
Reportagem: Bruno Fernandes
Fotos: Alysson Kuririn e Flávio André.

Encerrada a segunda etapa da Copa Internacional Levorin de MTB, que aconteceu nesse fim de semana (12 e 13 de junho) em São Lourenço, MG, alguns atletas já começam a despontar com grande favoritismo para ficar com o título da competição. Mas, na grande maioria das categorias, a briga promete ficar mesmo para a Grande Final, em Congonhas, nos dia s 22 e 23 de agosto.
A prova aconteceu no Parque da Ilha Antônio Dutra e contou com um circuito de 6.130 metros que exigiu muito dos competidores não só na parte técnica como principalmente na parte física. “É um circuito técnico, mas que exige muita força dos competidores. As subidas são muito fortes e forçam o atleta no máximo. Eu adoro a pista de São Lourenço”, comentou Rubens Donizete.
Ao todo, 650 atletas participaram da prova. Principalmente quem participou da primeira largada, às 7h55 da manhã teve um adversário extra além dos competidores: o frio. A temperatura na cidade chegou a 3º C faze ndo com que o desafio de completar a prova fosse ainda maior.
Na categoria sub-13, o paulista Ivan Gomes Ferrari conquistou a vitória mas quem comemorou mesmo foi Edilberto Aristo Júnior que ficou em segundo lugar e assumiu a liderança da competição. Agora, ele vai para Congonhas com vantagem em relação a Higor Silva Ferreira e Lucca Venditti, seus principais adversários na briga pelo título.
O mineiro Jhefferson de Paiva não deu a menor chance aos seus adversários e venceu na sub-15 com mais de quarenta segundos de vantagem sobre o segundo colocado, Bruno Luz. Com a vitória, ele ultrapassou Kéverson Alves e assumiu a liderança da cat egoria.
Entre os menores de dezessete anos, mais uma vitória dos paulistas. Nicolas Sessler, que já havia vencido em Araxá, conseguiu mais um primeiro posto e já abriu boa vantagem na disputa pelo título. Brunno Sampaio, que chegou na segunda posição e Breno Henrique, terceiro colocado, terão muito trabalho em Congonhas se quiserem tirar o título do ribeirãopretano.
Na Júnior, o gaúcho William Alexi aproveitou-se da ausência de Felipe Cocuzzi para conquistar a vitória e a liderança da competição. João Paulo da Silva, que ficou na terceira colocação nas duas etapas, é o vice-líder do campeonato.
Frederico Mariano, de Uberaba, fez uma prova sensacional na categoria sub-23 e embolou a disputa pelo título. Ele abriu mais de um minuto de vantagem sobre o favorito Sherman Paiva e agora os dois chegam em Congonhas disputando o título de igual para igual.
Sherman chegou a liderar boa parte da prova mas não agüentou a pressão do adversário e acabou terminando na segunda colocação. Destaque também para o campeão argentino Rodrigo Darnay que, em sua estreia na Copa Internacional, terminou na terceira colocação muito perto de Sherman.
Na categoria PNE, o atleta Jefferson Spimpolo venceu novamente e abriu boa vantagem na briga pelo título. Izaías Costa novamente foi o segundo colocado. Estreando em equipe nova, o atleta agora faz parte da equipe Levorin, Jefferson estava muito satisfeito com a vitória. “É bom estrear na equipe assim, com vitória. Com o novo projeto, tenho certeza que conseguirei resultados ainda melhores”, disse.
Elite Feminina e SuperElite Masculina
A presença das argentinas Noelia Rodriguez e Leila Luque na segunda etapa da Copa Internacional Levorin de MTB fez com que o campeonato ganhasse muito em emoção na categoria. Antes da prova, as principais atletas brasileiras fizeram muitos elog ios à organização da competição por viabilizar a presença estrangeira.
“Acho ótimo correr contra novas adversárias porque, no final, a gente acaba estagnando de correr sempre contra as mesmas rivais. A chegada delas motiva e aumenta ainda mais a emoção da competição”, comentou Érika Gramiscelli.
Roberta Stopa também elogiou a chegada das novas adversárias. “É ótimo para a nossa evolução contar com mais competidoras de alto nível. Faz com que a prova fique mais emocionante, mais disputada e aumenta a adrenalina”.
Terminada a prova, os resultados mostraram que os elogios das atletas brasileiras eram bem fundamentados. Noelia Rodriguez e Leila Luque andaram muito forte e fizeram uma belíssima prova, conquistando a dobradinha. Entre as brasileiras, o resultado fez com que a disputa pelo título ficasse totalmente em aberto.
Érika Gramiscelli, que terminou a prova na terceira colocação, assumiu a liderança do campeonato com apenas um ponto de vantagem sobre Julyana Machado, vice-líder e nove pontos a mais que Roberta Stoppa, terceira colocada. Agora, as três chegam à Congonhas com grandes chances de título.
Se entre as mulheres a disputa está acirradíssima, entre os homens Rubens Donizete aparece como o principal favorito ao título. Se vencer o campeonato, Rubens será o primeiro tricampeão da história da competição na categoria Superelite.
O mineiro venceu mais uma vez a prova, depois de um belo duelo com Thiago Aroeira nas primeiras voltas e poderia estar ainda mais folgado na liderança se não fosse uma espetacular recuperação de Ricardo Pscheidt, que depois de não ter conseguido uma boa largada, terminou na 3ª posição e assumiu a vice-liderança.
Patos de Minas
O patense melhor colocado foi Sílvio Amorim (OCE, Medley Natação, Cia do Corpo e Sonobom) na categoria Sub 40. Ele completou as quatro voltas na terceira posição, ficando com o segundo lugar na Copa.
José Gonçalves (Star Bike, Proshock, Liga Patense de Ciclismo) foi o 26º colocado e completou as quatro voltas em 01h23min49.
Júnio Alves Vieira (Cemil, Star Bike)  que participou da prova resfriado, foi o 16º na categoria superelite, que engloba os atletas profissionais. Ele está em 12º no geral na Copa.
Já na Copa Centauro, Flávio Durval (Acase) foi o 25º na cadete e Antônio Carlos Trindade (Acase) o 40º. Robson Marques de Sousa na mesma categoria teve problemas na última volta.
Na categoria Feminino Sub 40, Ana Paula Silva (Bike Show) ficou com a prata, completando as duas voltas em 01h e 49 segundos.
Outras categorias
Na categoria sub-30, muita disputa pela vitória que ficou com Gustavo Santos, de Lagoa da Prata. Ele travou uma grande disputa com os também mineiros Ricardo Xavier e Caio Paixão que, com a terceira colocação, assumiu a liderança da competição.
Depois da segunda colocação em Araxá, Marconi Ribeiro chegou em São Lourenço disposto a não deixar a vitória escapar mas, para isso, teve muito trabalho. Enoque Filho e Luiz Carlos Júnior também estavam muito fortes e deram muito trabalho para o brasiliense. No final, Marconi venceu mas o duelo com Luiz Carlos Junior pelo título em Congonhas promete.
O decacampeão brasileiro Márcio Ravelli mostrou que está se preparando muito para o Mundial Master, que acontece em Camboriú, e conquistou uma bela vitória na segunda etapa da Copa Internacional Levorin de MTB.
Ele venceu com pouco mais de doze segundos de vantagem sobre Amarildo Ferreira e com o resultado, assumiu a liderança da competição. Entretanto, a decisão ficará mesmo para Congonhas, uma vez que apenas o dois pontos o separam de Amarildo Ferreira e Silvio Amorim, segundo e terceiro colocados respectivamente.
Na sub-45, outro ex-campeão da Copa Internacional Levorin de MTB na categoria Elite conquistou a vitória. Abraão Azevedo não deu chances à Luiz Lotti Neto e Paulo Sérgio Freitas e venceu a prova com tranqüilidade. Como ele não participou da primeira etapa, irá competir em Congonhas vendo Luiz Lotti e Paulo Sérgio disputarem o título. Lotti é o líder, com treze pontos de vantagem.
Paulo Roberto Correa surpreendeu o favorito Edu Ramires na sub-50, conquistou a vitória e embolou a briga pelo título. Agora, Ramires é o líder mas apenas seis pontos o separam de Paulo Roberto. Mais uma categoria totalmente em aberto e que será decidida só na final.
Na sub-55, Dilermando Melo repetiu o resultado de Araxá e venceu novamente, abrindo uma vantagem confortável na liderança da competição. Adolfo de Oliveira foi o segundo colocado e Cláudio Americano, o terceiro. Na Over-55, tudo indefinido. Pacífico Delai conquistou a vitória em São Lourenço e é o novo líder da categoria. Mas Aílton José dos Santos e Jusmar da Silva.
Copa Centauro de Amadores
Tudo igual na Cadete. Tiago Medeiros e Julio da Silva terminaram na segunda e terceira posições, respectivamente, e saem empatados na liderança da categoria. Wanderson Lourenço, vencedor da prova, é o terceiro colocado. Na Expert, o grande vencedor foi Leandro dos Santos, seguido de Guilherme Gotardelo e Felipe Gonçalves. A liderança da categoria é de Thiago Caetano.
Entre as mulheres, a vencedora na over-40 foi Raquel Gontijo, que colocou mais de seis minutos de vantagem sobre Catia de Carvalho. Como não participou da primeira etapa, Raquel tem poucas chances de brigar pelo título. A líder é Marta Cantarino, que foi 3ª colocada em São Lourenço. Entre as mais novas, Jaqueline Débora venceu novamente e abriu boa vantagem sobre as suas adversárias Isabely Souza e Ludimila Lobo. A sub-40 teve como vencedora Márcia Blanes, mas a líder do campeonato é Edna Almeida.

Rubinho vence segunda etapa da CIMTB em São Lourenço

Em uma prova muito dura, Rubens Donizete e a argentina Noelia Rodriguez venceram a segunda etapa da Copa Internacional Levorin de MTB, que aconteceu em São Lourenço, MG, neste fim de semana (12 e 13 de junho).  A prova foi a primeira no país a contar pontos para Londres 2012 na categoria Mountain Bike.

Rubens Donizete vence segunda etapa da Copa Internacional Levorin de MTB e abre vantagem na luta pelo tricampeonato
Rubens Donizete vence segunda etapa da Copa Internacional Levorin de MTB e abre vantagem na luta pelo tricampeonato

Com a vitória, Rubinho alcançou 149 pontos na competição e agora vai para a última etapa como grande favorito à conquista do inédito tricampeonato – ele e Edivando Souza Cruz são os dois únicos bicampeões na categoria Elite.
Muito concentrado na prova, Rubens largou bem e terminou o Start Loop na primeira colocação. Depois da boa largada, ele travou uma disputa intensa com Tiago Aroeira nas quatro primeiras voltas até que, na quinta, conseguiu abrir uma vantagem confortável sobre o seu adversário e seguir com tranquilidade rumo à vitória.
“Eu adoro essa pista de São Lourenço. Ela exige força, tem subidas muito fortes, mas ela é também muito técnica e exige muito do competidor. A prova foi muito dura, mas consegui me manter entre os primeiros durante todo o tempo e estou feliz com mais essa vitória”, comentou.
Depois dele vieram Tiago Aroeira, Josemberg Nunes, Ricardo Pscheidt e Hugo Prado Neto. Campeão em 2005, a prova marcou ainda o retorno dos bons resultados de Tiago Aroeira na Copa Internacional Levorin de MTB. Depois que conquistou o título, o mineiro vinha ficando constantemente fora da briga pelas vitórias.
“Infelizmente este ano eu tive dengue na primeira etapa e não pude competir, mas estou fazendo um treinamento muito forte e estou muito bem preparado para voltar a  brigar pelos primeiros lugares”, destacou ele.
Elite Feminina
Dobradinha argentina no pódio da Elite Feminina Crédito: Marcelo Andrê - Y. Sports
Dobradinha argentina no pódio da Elite Feminina Crédito: Marcelo Andrê - Y. Sports

Entre as mulheres, domínio total da dupla argentina Noelia Rodriguez e Leila Luque. Desde o início da prova, Noelia imprimiu um ritmo de corrida muito forte e começou a abrir grande vantagem sobre as suas adversárias.
No final da segunda volta, a argentina já tinha mais de um minuto de vantagem sobre a segunda colocada, sua compatriota Leila Luque. A terceira colocada era a belorizontina Érika Gramiscelli.
Sem diminuir o ritmo em nenhum momento, Noelia continuou abrindo cada vez mais vantagem até conquistar a vitória, com quase três minutos de vantagem sobre a segunda colocada. “Na última volta estava com uma vantagem muito boa, mas tinha feito muita força e comecei a sentir câimbras. Diminui um pouco o ritmo, administrei a prova e consegui esse primeiro lugar que foi muito importante para mim”, disse ela.
Já pelo segundo lugar, a disputa entre Érika Gramiscelli e Leila Luque foi muito intensa e definida apenas no sprint final. As duas chegaram praticamente juntas na linha de chegada, mas a argentina acabou conquistando o segundo lugar.
“Fiz uma prova muito controlada. No começo eu caí e tive que vir buscando muitas posições e, depois que assumi o segundo lugar, diminuí um pouco o ritmo para ver como estava a Érika. Como ela não me passava, vi que não estava mais forte do que eu e mantive a prova sob controle”, explicou.
Como as argentinas não participaram da primeira etapa, realizada em Araxá, a briga pelo título no feminino ficou totalmente embolada. Érika é a atual líder da competição, dois pontos a frente de Jullyana Machado, segunda colocada e onze na frente de Roberta Stopa, terceira. Sendo assim, as três chegam com grandes chances de brigar pelo título, na Grande Final em Congonhas.
Notas sobre a etapa de São Lourenço
• A prova contou com 650 atletas inscritos, de três nacionalidades diferentes
• O frio que estava previsto para a etapa realmente castigou os atletas. Na primeira bateria, a temperatura chegou a 3º C
• O comissário Jason Howard, da União Ciclística Internacional, fez muitos elogios ao evento. “Não acredito que nem em uma etapa de Copa do Mundo esta organização tenha algo a aprender”, destacou.
Resultado da etapa de São Lourenço
Elite Masculina

1º – Rubens Donizete – 1:58.12
2º – Tiago Aroeira – 1:58.48
3º – Ricardo Pscheidt – 2:01.57
4º – Josemberg Nunes (Montoya) – 2:02.21
5º – Hugo Prado Neto – 2:02.56
Elite Feminina
1º – Noelia Rodriguez – 1:43.13
2º – Leila Luque – 1:46.43
3º – Érika Gramiscelli – 1:46.49
4º – Roberta Stopa – 1:50.07
5º – Jullyana Machado – 1:53.09

Passeio Ciclístico do Colégio Fonseca Rodrigues esquenta a manhã de sábado

Galera passando pela Rua José de Santana
Galera passando pela Rua José de Santana

No último sábado 12 de junho, o colégio Fonseca Rodrigues realizou um passeio ciclístico para sua comunidade escolar. Era uma manhã muito fria, mas mesmo com esta dificuldade, participaram mais de 100 ciclistas, dentre pais e alunos de todas as idades.
Tudo começou com uma reunião dos participantes em frente ao colégio. Às 08h15min aquela galera animada, que agitava para disfarçar o frio, saiu pelas ruas de Patos de minas. Teve até direito a uma volta na orla da Lagoa Grande. Foram diversas ruas, passando pela Rua Major Gote e terminando o passeio no Parque Municipal do Mocambo.
Foram aproximadamente 7 km de muita diversão e no final uma grande mesa de frutas montada no Parque do Mocambo repôs as energias perdidas durante o passeio.
Para fechar com chave de ouro, os presentes puderam acompanhar apresentações artísticas, tornando aquela fria manhã de sábado muito agradável.
O Noispedla parabeniza a iniciativa do Colégio Fonseca Rodrigues, por não só incentivar, como investir para que seus alunos cresçam sempre praticando atividades físicas.

Confira as fotos:

[nggallery id=111]

Diário de Bordo: Pedal Noturno Pesque Paque e Cafezal

10/06/2010, por Renato Amaral
O Ponto de Encontro foi no Posto São Cristóvão e lá estava o presidente das organizações Noispedala Bruno Fernandes, que compareceu para fazer o “social” e justificar sua ausência: está poupando sua gripe para o frio de São Lourenço-MG. O Ronaldo Tora Racing Rei dos “Atalhos” também apareceu para cumprimentar a galera e prometer novas trilhas. Ele disse que descobriu uma trilha que não se chega nem de helicóptero.

Gagame lança uniforme 2010. Finalmente resolveu largar os bermudões de futebol.
Gagame lança uniforme 2010. Finalmente resolveu largar os bermudões de futebol. A cada dia ele está com mais cara de atleta hein?

Os quatorze bikers presentes, quatro novatos na turma: bem-vindos Alex, Danilo, Pedro Elias (Pneus União) e Marcelinho. Mas estreante de verdade só o Marcelinho que estava inaugurando sua bike, trocando as esporas pelos pedais. E ele escolheu bem o dia de começar. Acho que o Bruno pode reclassificar essa trilha para dificuldade baixa.
Além dos novatos, as figurinhas carimbadas eram Eu, Euler e filhão Pedro, Walner, Celinho (Band Bike), Felipe, Marco Túlio Gagame, Markin Kxão, Otávio e Waguinho (Band Bike). Encontramos com o Danilo Uberaba já na Av. JK onde ele fazia uma pedalada sem compromisso e sem lanterna. O Euler tratou logo de incentivá-lo a seguir conosco e ele topou.
Seguimos pelas molas americanas onde guiamos um motorista até o clube da CEF. Atravessamos o anel viário, subimos o morro do pesque-pague e fizemos o trajeto sem imprevistos e quando retornamos ao asfalto ainda era cedo: só 20:55h. Então o Walner sugeriu uma “esticada”.
Muitos queriam mas por motivos diversos fomos somente Eu, Walner, Felipe e Pedro Elias. Subimos a BR-365 até quase no Rivalcino e retornamos pelas trilhas com aquelas descidas sensacionais.
Ué, o Felipe resolveu fazer o bigode e teve dificuldades?
Ué, o Felipe resolveu fazer o bigode e teve dificuldades?

Nenhum imprevisto até chegarmos ao tradicional “desvio à esquerda do mata-burro” um inédito colchete fechado e uma enorme pedra surpreenderam o Felipe que descia rápido. Ele abriu o colchete no peito e a poeira subiu quando ele aterrissou.  O susto foi grande porque à primeira vista parecia mais grave do que realmente foi. Só com o lábio cortado e o rosto arranhado pode-se dizer que ele saiu no lucro.
Curtimos a boa descida até o pesque-pague, retornando pelas Molas Americanas e Av. JK.
O diário fica por aqui porque estamos arrumando as malas para fazer a cobertura da segunda etapa da Copa Internacional de Mountain Bike (http://www.cimtb.com.br/) que acontece neste final de semana em São Lourenço-MG.
Fique ligado e torça por nossos atletas de Patos de Minas.
Acompanhe e comente a partir de sábado à noite a cobertura em vídeo, reportagem e fotos. Acompanhe também pelo twitter: http://twitter.com/noispedala.

Confira as fotos desta galera que não desafina uma quinta-feira sequer

[nggallery id=106]

Dicas para você pedalar no frio

O frio não é desculpa para não sair para pedalar, principalmente se o tempo estiver seco, sabendo algumas dicas e praticando, a pedalada pode se tornar até mais gostosa do que naqueles dias de calorão do verão.
O calor é bom, mas quem reside no sul do Brasil pode se considerar um privilegiado, porque pode pedalar e conhecer paisagens diferentes nas quatro estações do ano. O Importante é saber desfrutar das vantagens do clima de cada estação, que na região sul são mais definidas.
No frio você tem outras maneiras de controlar a temperatura, outras paisagens para apreciar, outras frutas para degustar, outros cuidados para tomar.
As dicas de pedaladas no frio, que você encontra em revistas nacionais, geralmente são paliativas e estão mais direcionadas para a venda de produtos dos anunciantes, por isto resolvemos escrever sobre o assunto de maneira simples e tornando a pedalada o mais econômica possível.
Estas dicas não são definitivas, considere como sugestões, e tire as próprias conclusões, adapte as ao teu tipo de pedalada, use a dica que mais você gostou.
Mesmo que você seja um ciclista experiente, acostumado a pedalar no frio, que tenha bom equipamento, sempre pode aprender ou lembrar de algo que estava esquecido.
Quando está frio? Para pedalar no frio é preciso ter uma noção mínima de meteorologia, e ao menos prestar a atenção na previsão do tempo, coisas simples do tipo:
Você vai pedalar 100 km em um dia e no trajeto a ser realizado vai subir a serra, quanto maior a altitude menor é a temperatura. Se você não estiver prevenido pode passar frio.
Você pretende pedalar da 1h até às 16 horas e a previsão do tempo é um dia limpo com sol.
Na madrugada vai estar muito frio, mas durante o dia, principalmente à tarde, a temperatura aumenta e você vai ter que tirar boa parte da roupa que está vestindo.
Pense nisto antes de sair, no momento de escolher a roupa a utilizar. Para estas dicas considero fria a temperatura de -4 até 12 graus.
Acima de 12 graus já não é mais tão frio, dependendo do local onde você se encontra.
Por exemplo, no alto de uma montanha com muito vento você pode sentir muito frio com 12 graus de temperatura.
A temperatura de 4 graus negativos é a mais fria que já pedalei e no Brasil são poucos os lugares e os dias do ano em que a temperatura pode ser ainda menor.
Aquecimento
Exercícios de alongamento por um período de aproximadamente 10 minutos, dando maior ênfase para os membros inferiores.
Alongue principalmente as pernas e a lombar;
Pedale os primeiros minutos em um ritmo leve aumente a intensidade das pedaladas gradativamente;
Logo depois de pedalar alongue a musculatura mais uma vez.
Alimentos
Com o frio tem-se uma necessidade calórica maior para manter a temperatura do corpo, por isto uma alimentação saudável é muito importante!
Aproveite a estação para comer frutas cítricas que contem uma quantidade maior de vitamina C.
Em dia muito frio e seco é normal ocorrer o ressecamento dos lábios e a ingestão de vitamina C é importante para a recomposição dos tecidos o que ajuda a evitar este ressecamento.
Procure nas farmácias por Cebion Glicose, leia as indicações no envelope ou procure orientação médica. Veja informações no site http://www.cebion.com.br/
Para pedaladas longas, coma algumas barras de cereais e/ou barras energéticas durante o percurso. Não espere a fome chegar para ir repondo as energias.
Após a pedalada uma xícara de chá ou leite quente sempre é bom para aquecer.
Proteção
O sol em dias frios também causa queimaduras, por isto o uso de protetor solar não deve ser esquecido;
O ar muito frio causa ressecamento da pele por isto pode-se usar loção hidratante para as partes expostas do corpo;
O ar gelado, próximo a zero grau, causa uma espécie de queimadura na pele, mesmo à noite, por isto nas partes expostas do corpo, por exemplo, o rosto, pode-se inclusive utilizar protetor solar, que geralmente funciona também como hidratante;
Para evitar o ressecamento dos lábios deve-se utilizar creme ou óleo especial, o mais conhecido, barato e popular é conhecido como “Manteiga de Cacau” e é encontrado nas farmácias;
O Ar seco, principalmente quando associado à poeira, causa ressecamento nos olhos, este é mais um motivo para o uso de óculos de proteção, evitar futuros problemas de visão.
Quando respiramos o ar gelado é muito freqüente acontecer irritação na garganta, por isto o ideal é inspirar o ar pelo nariz e utilizar roupa que mantenha o pescoço protegido.
Evite limpar os ouvidos em excesso! Parece brincadeira! A cera formada nos ouvidos serve de proteção e somente o excesso deve ser limpo. Não confunda ouvido com orelha!
Ritmo de pedalada
Procure pedalar em um ritmo constante para manter-se aquecido;
Procure parar somente quando é extremamente necessário, fique parado o menor tempo possível e de preferência pare em local mais protegido.
Quando você está pedalando em um ritmo forte, principalmente em subidas, seu corpo fica mais aquecido, quando você para, seu corpo esfria, por isto, nas paradas e descidas longas coloque uma roupa mais quente.
Vestuário
A maior dificuldade é escolher a roupa a usar, cada situação pode exigir um tipo de roupa diferente. A dica principal é não se encher de roupa, por mais que esteja frio, pedalando você vai se esquentar.
Que tipo de roupa usar? O principal é usar roupas leves e que não dificultem os movimentos. Existem roupas com tecnologias muito avançadas, capazes de manter o corpo seco e aquecido, porem, são bem mais caras que as roupas normais, mas são um investimento que compensa.
Vamos dividir conforme as partes do corpo:
Pés
Em um dia seco uma sapatilha ou tênis normal já é o suficiente. Em um dia chuvoso ou no barro o ideal é uma sapatilha especial para o frio. A Shimano possui um modelo especial a prova de água com cobertura no tornozelo em neopreme que ajuda a manter o pé seco e quente.
Se você não utiliza pedal de encaixe use um tênis ou botinha que isole melhor, ou então que não retenha água, um par de meias grossas também ajuda.
Em caso de improviso utilize sacos plásticos para isolar os pés, prenda-os com fita plástica, mas não abafe muito e não deixe o pé ensacado por muito tempo, também preste a atenção para não prender o saco plástico na corrente da bike.
Uma opção pouco utilizada é cobre botas de neopreme, que são capas para serem colocadas sobre as sapatilhas com uma abertura para encaixe dos tacos no pedal. A desvantagem no mtb é quando você precisa pisar no chão, melhor para pedaladas no asfalto, isola muito bem o pé.
Pernas Para dias secos, o mais utilizado é a calça de lycra especial para pedalar, é confortável como uma bermuda. Se o dia está muito frio você pode utilizar uma calça de abrigo leve por cima da calça de lycra.
Uma opção é o uso de calça de Supplex, tecido especial que elimina melhor o suor, mais utilizado por mulheres.
Para um mountain bike mais agressivo ou na chuva o indicado é o uso do mesmo tipo de calça utilizado no Bmx, Down Hill ou Motocross. Este tipo de calça é resistente, forrada para proteção e leve.
Quase todas as marcas possuem letreiros com a marca, costurado nas pernas, coxas e na parte superior a bunda, para deixar a calça ainda mais leve pode-se retirar estas propagandas.
Opção mais versátil é o uso de pernito, ou seja, um par de pernas avulso para ser utilizado em conjunto com a bermuda de ciclista. É leve, confortável e ocupa pouco espaço para transporte.
A desvantagem é quando você vai utilizá-lo para caminhar ou correr, ele geralmente começa a cair.
Outra opção é o uso, por cima da bermuda, da calça das capas de chuva para motoqueiros. Rasga fácil e não permite a transpiração, mas protege da chuva.
Opção para aventureiros é a utilização de calça de neopreme. Mais indicado para corridas de aventura. Desvantagem é o preço e dependendo de onde você for pedalar vai ser um pouco exagerado!
Mãos
Para as mãos é obrigatório o uso de luvas do tipo full Finger (dedo inteiro), as melhores são as utilizadas para o bmx, DH. Disponível em vários modelos e marcas no mercado.
Segure as mãos na manopla, quando as mãos estão em contato com o metal, por exemplo, do bar ends, esfriam muito mais rapidamente.
Para dias de chuva é necessário o uso de um par de luvas impermeável, uma boa opção é a luva Cannondale Ultrex, é impermeável, leve, permite a respiração e tem cano longo que fecha até a manga do abrigo.
Em pedaladas na chuva e frio, se você não tiver alguma luva impermeável, utilize luvas com tecido que não fique encharcado, exemplo lycra, se não possuir é até melhor pedalar sem luvas do que utilizar luvas ensopadas e geladas.
Braços
A opção exclusiva para os braços é a utilização de manguito, ou seja, um par de mangas de camisa avulso para ser utilizado em conjunto com camisa de ciclista. Vantagens: é versátil, você pode retirar facilmente quando esquentar é leve e ocupa pouco espaço para transporte.
Opção muito utilizada é a camisa de ciclista de manga longa.
Para dias muito frios, com chuva ou neblina apenas uma camisa manga longa não é suficiente, vai ser necessário também o uso de um abrigo.
Cabeça
O mais confortável é a utilização de touca. Atenção! Use touca para passear no parque, se for para praticar mountain bike, pedalar mais rápido ou no transito, use capacete! Touca com capacete não fica legal. Se você está na dúvida entre usar a touca ou o capacete escolha sempre a segunda opção.
Em caso de chuva o uso de touca não resolve e a solução é a utilização de capuz de nylon do abrigo. O capuz deve ser utilizado por baixo do capacete, isolando quase toda a cabeça da chuva, deixando exposto apenas o rosto.
Tronco
Evite o uso de blusão de lã, casacos pesados ou varias camisetas ao mesmo tempo, o ideal é a utilização de abrigo impermeável, mesmo em dias sem chuva. Utilize uma camisa de ciclista manga curta ou longa, conforme o frio, e por cima protegendo do vento ou da chuva use o abrigo impermeável.
Como deve ser o abrigo
Os melhores são os importados com tecidos especiais que isolam da água e vento e permitem a transpiração, mas infelizmente, são mais caros e não estão disponíveis para todos os bolsos.
Se você não quer investir tanto nas suas pedaladas pode utilizar abrigos mais baratos, mas que tenham as seguintes características:
Capuz também impermeável que possa isolar a cabeça;
Zíper ou sistema de abertura frontal – para você abrir quando estiver mais quente (EX: nas subidas), e para fechar quando estiver mais frio (Ex: nas descidas e na chuva);
Bolso frontal ou na parte traseira para guardar pequenos objetos, energéticos etc.;
Manga longa até bem próximo as mãos, para evitar a entrada de vento e para poder ser fechado pelo cano longo das luvas;
Que mantenha o pescoço protegido, de preferência que feche até bem próximo ao queixo;
Que não seja muito solto, para evitar uma maior resistência no ar, e que não seja muito apertado, para não dificultar os movimentos;
Que seja de material resistente e leve sem forros que retenham água.
Com estas características pode-se encontrar vários abrigos, capas tipo anorak, procure em lojas de material de aventura, de caça e pesca e no setor de camping de lojas maiores que você vai encontrar modelos a preços bem acessíveis.
Outros
O uso de mochila ajuda a manter as costas quentes;
O uso de sistema de hidratação em baixo do abrigo impermeável ajuda a manter o liquido aquecido;
O uso de pára-lama para o mountain bike na chuva ajuda a evitar o contato com o barro e água;
O equipamento é fundamental para uma pedalada agradável em condições adversas:
escolha bem o que vai utilizar;
Prefira equipamentos de melhor qualidade, mesmo que custem um pouco mais;
Mantenha o equipamento sempre em condições de uso.
Referência: Eradicais

Diário de Bordo: Pedal Noturno Aragão e Rivalcino 13/05/10

Aí galera do Noispedala. Enquanto o diário de bordo não fica pronto, você já pode conferir as fotos. Que por sinal ficaram muito boas. E vá preparando. Domingo tem Vazante e dia 30 de Maio o Enduro do Milho largando do Parque de Exposições.

Confira as fotos deste pedal noturno

[nggallery id=93]

Convite: Pedal Noturno Aragão e Rivalcino

Alô você companheiro do Noispedala. Chegou o dia de mais um pedal noturno. Sobre a semana passada nem precisa comentar não é? E hoje também promete. Pelo menos frio é certeza. Então sugerimos que você vá agasalhado. Gripe nesse momento não é bem-vinda. Domingo tem pedal em Vazante, Fenamilho está chegando e no fim do mês temos ainda o Enduro do Milho, que este ano vai ter o Parque de Exposições como largada.

Hoje é dia de pedal noturno
Hoje é dia de pedal noturno

Hoje o ponto de encontro será a Star Bike. 18h50 espero todo mundo lá. Hoje vamos sair sem atraso, pois a intenção é subirmos um morro bem bacana, chegarmos ao Rivalcino e pegarmos umas trilhas sensacionais. Só iremos fazer isso se não estiver muito tarde.  E são umas trilhas muuuuuito boas. Com excelentes descidas também. E tem também uma vista da cidade que vocês vão gostar.
Trilha do Aragão voltando pelo Rivalcino
Data: 13/05/10 Quinta-feira
Horário: 18h50 tolerância 10 minutos
Ponto de Encontro: Star Bike
Guia: Magela
Dificuldade: Média
Info: Bruno (9169-0141) / Magela (9975-4745)
Fotos: Kuririn Voador
Distância: 32km