Diário de Bordo: Pedal da Band na Trilha do Cais – Perau das Andorinhas

19/08/12 – Perau das Andorinhas, Presidente Olegário – MG
Por Márcio Abdala

O Tamanduá
O Tamanduá

Mais um domingo que tivemos o prazer de despertar as 5 horas da manhã, rumo ao grande Perau das Andorinhas. (Região Olegarense, formada por grutas e paredões de pedras que abrigam andorinhas no período de migração.)
Éramos no total 22 ciclistas, guiados por mais um roteiro inédito, elaborado pelo Luciano Pit Stop. Desta vez o GPS rumava para o maravilhoso Cais.
Sabíamos previamente, que o pedal seria lindo, mas, enfrentaríamos pela frente uma elevação de quase 1.200 metros e 40 Km de extensão. Números que no Perau, se multiplicam, devido aos obstáculos naturais daquela região. O fôlego e a raça eram requisitos básicos.
Tivemos apenas dois sustos, a queda do ciclista Marcelo, perto de um pequeno despenhadeiro, mas, que por sorte, provocou apenas a quebra do seu selim. Nada que o Celinho (Célio Batista dos Reis) não resolvesse em apenas alguns minutos. Ele utilizou apenas um alicate, o conhecimento e seu grande poder de improviso. Problema solucionado.
22 companheiros em mais uma aventura
22 companheiros em mais uma aventura

A outra situação inusitada foi quando todos os 22 “bikers” acuaram uma vaca “louca”, dentro de uma mata (sem querer, claro). Ela investiu contra alguns, houve várias reações de desesperos e correrias, por parte de vários companheiros. História que não poderá ser detalhada, devido às regras internas, que estabelecem alguns sigilos do Pedal da Band. Gostaria muito de poder descrever, mas não posso. O importante é que todos se safaram.
Passamos por várias trilhas surpreendentes, numa delas, fomos presenteados por uma breve companhia, o Tamanduá-Mirim, que nos recebeu literalmente de braços abertos, porém, numa postura defensiva. Após alguns minutos, ele nos permitiu realizar algumas fotos. Foi emocionante.
Quando chegamos no topo do Cais, procuramos uma sombra provinda dos eucaliptos, nela avistávamos uma boa parte da região. Era um momento de reflexão, descanso e para um breve lanche.
No retorno, ainda encarávamos um sol típico de deserto, terrenos cascalhados, alternando por solos arenosos. Em vários momentos, o pedal se transformou num trekking, com a bike nas costas.
A cada metro percorrido, tínhamos panoramas que surpreendiam, visualizávamos cachoeiras e regiões provavelmente inóspitas, momentos que não se retratam numa simples fotografia ou nessas linhas.
O pedal no Perau é inesquecível. Até a próxima amigos!

TV Noispedala especial Trilha do Cais

Percurso GPS

Fotos