Diário de Bordo: Pedal da Band na Trilha do Topo do Mundo

Sábado, 14 de abril
Por Henrique Cury
Sábado, 14 de abril 2012, 14:00 horas sol rachando e a galera da Band Bike firme rumo a Trilha Topo do Mundo.
Logo na saída alguns comentários que assustavam, “A trilha é pesada, você viu no site”, “Sobe muito”, contudo saímos animados a enfrentar a trilha preferida do Julliano.
Céu azul e um sol daqueles estimulantes para enfrentar a subida da Marabá, encontramos outros companheiros no trajeto até o Posto Cometa, lá um biker que levava seu filho na cadeirinha decidiu não continuar, outros que não estavam com bicicletas apropriadas também resolveram retornar depois de orientações passadas pelo Luciano e Celinho.  Ficamos pesarosos, mas melhor assim, continuamos. A primeira descida já mostrava como seria a trilha, radical, cheias de pedras, erosões e muita subida, muito técnica por assim dizer, alguns empurraram suas bikes , continuamos descendo dentro da mata onde por sorte achei a bolsa de ferramentas do Geraldo que desce sempre acelerando e registrando nossas pedaladas brilhantemente. Bacana demais.
Subindo, subindo rumo ao Topo do Mundo, literalmente, a galera  sempre bem humorada só se escutava as piadinhas, “Estamos subindo um vulcão”, Himalaia”, “Essa é a trilha que você gosta Juliano?”. Subimos muito e foi pesado mais o que nos esperava no topo foi imensamente gratificante, fomos contemplados com um visual deslumbrante e uma descida irada demais.
Agora rumo ao Arraial dos Afonsos nossa estreante Gisele(esposa Henrique Cury) foi batizada em grande estilo, sofreu sua primeira queda, nada grave somente alguns arranhões. Nestes momentos e em vários outros que constatamos  o quanto esta galera é especial, a atenção a Gisele foi unânime, até reboque ela ganhou do Celinho em uma subida de uns 2 km na volta. Parabéns Celinho.
Enfim em direção a cidade paramos em um posto para tomarmos um refrigerante e acabar de chegar em casa. Foi uma tarde cheia de companheirismo, superação e um visual show de bola.
Um abraço a todos, obrigado pela oportunidade até a próxima.
Valeu demais.

Assista nossa edição semanal

Diário de bordo: Trilhas do fim de semana 19 e 20 de junho

Na manhã de sábado, 10 bikers fizeram mais uma trilha guiada pelo Tora Racing. Bruno Fernandes, Euler Caixeiro Viajante, Herculano, Danilo, Tora, Robinho Dinossauro, Coca-Cola, Alisson Pó e Walner.

Descendo para a Mata do Ribeirão Mata burrinho
Descendo para a Mata do Ribeirão Mata burrinho

Saímos da Praça Bandeirantes sentido Baixadinha dos Gonçalves. Aí começaram os atalhos do Tora. Fomos até atravessarmos o estradão que liga a BR 365 à Zalagoas e aí começou a emoção pra valer. Destaque para a descida que fica logo após o Paraíso Camping Clube que tem um misto de descida técnica e aquele trecho que você pode soltar o freio. Sem contar a paisagem do local e a matinha que adentramos após a descida.
Por incrível que pareça, chegamos antes do meio dia em casa, apenas com o pneu do Coca-Cola furado e nenhum tombo.
No domingo também pedalamos. Fizemos a trilha do Arraial dos Afonsos guiados pelo Rantar. Bruno Fernandes, Renato Amaral, Renato Lima, Rantar, Doutor Kleber, Pedro Elias Cadu e Vanelton Sagra.
Tudo nos conformes até o Bruno começar a dar palpite. Como o pessoal andava meio parado, a intenção era cortar o morro do Arraial pela metade e voltar.
Galera no Viaduto da Pipoca
Galera no Viaduto da Pipoca

Resolvemos descer até o cemitério. Depois de 40 minutos subindo o morro, resolvemos is sentido Ribeirão Mata-burrinho. Aí foi emoção pra valer. Vários tombos. Primeiro foi o Pedro Elias no tradicional buraco de tatu, depois o Renato Amaral duas vezes e pra fechar o Renato Lima comprou um terreno com bastante cascalho.
No final da subida do dólar, encontramos os corretores de imóveis Vinícius Diógenes e Breno. Ao chegamos, encontramos com o Doutor Romes e o Paulo Trosso que estavam voltando de um treino de speed no Viaduto da Pipoca. Chegamos antes do meio dia também.
Também pela manhã de sábado, os bombeiros fizeram a trilha da Usina e relataram o seguinte:
Por Joaquim (Bombeiro)
Bombeiros unidos pelo pedal
Bombeiros unidos pelo pedal

Eram 07horas e 25minutos quando cheguei ao Posto Alpa(Camalle), e nem sinal dos companheiros de pedalada. O dia estava lindo, céu claro, mas fazia muito frio, talvez a manhã mais fria deste mês. O que deve ter intimidado os colegas bikers. Eram exatamente 07horas e 35minutos, como não havia aparecido ninguém  até o momento, desloquei com minha bike, sentido Viaduto da Pipoca, pela ciclovia da avenida Jk, momento em que passava pelo posto Sem Fronteira, entrada do bairro Planto, fui surpreendido por dois bikers, que estavam nos aguardando . São eles o Sirlânio e o Hely Braga, que também são bravos Soldados do Fogo. Eramos apenas três companheiros.
Seguimos pela Avenida JK, logo em seguida atravessamo-la e entramos na entrada das molas americanas. Fomos observando as casas e logo a frente vimos a esquerda  um campo de futebol, e uma bar ao lado e o Hely Braga disse-nos já temos um local para tomar aquela coca-cola quando retornarmos, concordamos por unanimidade. Resolvemos subir pela BR 365 e entrar depois do trevão.
Essas cavas já fizeram muitas vítimas
Essas cavas já fizeram muitas vítimas

Fomos seguindo pedalando um pouco mais forte como o intuito de esquentar o corpo. Quando notamos já estávamos chegando ao  Aragão. Logo após o Aragão resolvemos pegar um atalho, depois do mata-burro, era uma descida muito forte, que o nosso amigo Hely Braga, acabou comprando um pedaço daquele terreno, acredito que não foi uma boa compra, pois era pura cava, kkkkk….
Quando chegamos à usina, nossas bikes, já estavam todas impregnadas, de poeira e as marchas desreguladas. Foi o momento crucial para podermos dar aquela descansada e lubrificar e regular as marchas. Quando estávamos próximo do Aragão, resolvemos continuar por terra, passando pelo cafezal, pois a trilha estava muito emocionante.
Atravessamos em fim a rodovia 365, e fomos ao barzinho tomar aquela coca-cola geladíssima, para fechar a trilha.
É isso ai galera, compreendemos a ausência de todos, mais não vamos deixar que o frio nos desanime, pois nem o tempo pode contra nós. E no próximo final de semana tem mais, fiquem ligados no noispedala.

Confira as fotos destes pedais

[nggallery id=115]
[nggallery id=116]

Diário de Bordo: Pedal Noturno Beco dos Borges e Dólar

Frio e Fenamilho eram dois adversários fortes do pedal noturno de ontem. Por isso esperava somente aquela galera extremamente fiel. E não foi o que aconteceu. Éramos 20 companheiros e muito animados.
No Ponto de Encontro (Balão da Wolks ou Chevrolet, vocês escolhem) estávamos lá reunidos. Tivemos a visita do Juninho (melhor de Patos) que está ausente dos nossos pedais. O cara só quer saber de treinar e competir pesado. Eram 18h07min quando saímos. Alguns chegaram no exato momento que estávamos de saída e o Walner ficou para trás, pois chegou atrasado.
A galera não subiu a Marabá em um só pelotão. Com a desculpa de esquentar e driblar o frio, uns 10 dispararam na frente. Chegamos ao trevo e nos reunimos e começamos a primeira descida. Sem nenhum incidente. Subimos o morro do Arraial dos Afonsos. E a galera está cada dia mais preparada. O Pedrão empolgado ainda com a viagem de Vazante subiu pedalando o morro quase todo. Ah, o assunto era Vazante. E foi só a primeira pessoal. Muitas surpresas estão por vir. Aguardem.
Quando terminamos o morro, eram 20h40min mais ou menos. Então decidimos partir para o Plano B. Descer o Dólar. Uns queriam ir embora (inclusive eu). Só que quando nos lembramos da emoção que é, fomos vencidos. Todo mundo foi. E pedalando pra valer.
Na descida do dólar somente uma incidente. O Doutor Kleber perdeu o controle e comprou aquela gleba de terras como ele mesmo disse.
Após a descida do dólar, mais descida. O único momento frio da trilha, próximo ao córrego do caminho até a rodovia. Eu e o Pedrão deixamos a galera para trás e subimos pesado. Chegamos ao final do morro e ficamos de lá observando as lanternas movendo-se no escuro. Um espetáculo a parte.
Chegamos pelo Sebastião Amorim e cada um seguiu o seu destino. Ah, infelizmente não temos nenhuma foto deste pedal noturno.
É isso aí galera do pedal. Semana que vem tem mais. E dia 30 de maio é o tradicional Enduro do Milho. E as 100 primeiras inscrições ganham uma camiseta. Até domingo inscrições com exclusividade aqui no noispedala
CLIQUE AQUI E SAIBA MAIS INFORMAÇÕES SOBRE O ENDURO

Diário de bordo: Pedal Noturno Trilha da Meia noite 29/04/10

29/04/2010, Por Renato Amaral
EM BREVE FOTOS.
Está virando rotina. Às quintas quando não chove, São Pedro faz um marketing violento de uma chuva que não vem. Mas dessa vez choveu forte e alguns pontos da cidade e com muito vento. Em pouco tempo as estrelas voltaram ao céu e os que realmente estavam com vontade de pedalar compareceram. Saímos da Power Bike após 19:30. Éramos onze corajosos (até então).
O Cacique Magela estreando seu recém-chegado e tão aguardado ultra massa quadro Specialized foi o guia. Saímos da Marabá em direção ao cenourinha e já na descida antes do cenourinha o Edinho Galena quebrou um raio e teve que soltar o freio traseiro. Cada um no seu ritmo nos separamos na subida. E bem no meio da grande subida, de repente, uma chuva torrencial que só durou o suficiente pra molhar a galera. Esperamos no fim da subida e quando achamos que o Luís Farol de carreta e Duracell haviam desistido lá ao longe surgem dois faróis, ou melhor, três. O Luís estava todo orgulhoso. O Duracell subiu todo o cenourinha sozinho, sem ajuda, só no pedal. Valeu a espera.
Passamos no posto cometa para a foto oficial e quando olhei o Gagame já estava lavando a bike e a sapatilha. Nem apareceu nas fotos. Algo estranho. Ele já estava era se aprontando pra ir embora. Com essa desistência o Gagame atingiu uma taxa de desistência de 75% . Nos últimos quatro pedais noturnos ele abandonou três. Com ele seguiram-se quase todos. Cada um com seu motivo. Foram quatro os guerreiros que decidiram prosseguir: O guia Magela, o Walner, O Markim Caixão e Eu. Teve suas vantagens.
Seguimos e logo na entrada do Estradão do Sumaré descemos o morro antes da Valoriza. Nenhum incidente. Tudo sob controle. Fizemos uma trilha reduzida voltando ao Estradão. Era 21:30h quando retornamos ao asfalto. O Dr. Walner sugeriu descer o cenourinha e foi bem aceito. Lá fomos nós.
Na parte alta do cenourinha avistamos uma lanterna vindo ao nosso encontro. Estranho. Será que alguém resolveu voltar? Era o corajoso Rogério da Silva treinando corrida, sozinho. Animado o rapaz.
Pra não passarem em branco as estatísticas dos tombos o Magela colaborou: errou o pé no mata burro e pisou no vão: chão. E quase levou o Markin com ele.
Pra descida do cenourinha ainda sobrou história: Eu vinha na frente (fazendo escola de kamikaze) e quase passei em cima de uma cascavel. Quando passei ela armou o bote, ficando com a cabeça levantada. O Magela vinha logo atrás e quase… Ele chegou a levantar o pé. Descemos no embalo e o Dr. Walner ficou observando o animal até ele sumir no meio do pasto. Era grande.
No fim da descida entramos pelo loteamento Chácaras Caiçaras, alcançando novamente a Marabá. Foi uma excelente pedalada. Não percam a próxima (ou não desistam)!

Diário de Bordo: Pedal Noturno Trilha do Cemitério do Arraial 25/03/10

Aqui quem vos fala é o companheiro Bruno Fernandes. Já eram 19h04min quando cheguei ao ponto de encontro da semana, a Power Bike do nosso amigo Herlley que em breve estará com um site bem bacana. A galera já estava presente. O Euler Caixeiro Viajante e o Luis Farol de Carreta já haviam ligado preocupados com o meu atraso.

Galera subindo a Marabá
Galera subindo a Marabá

Na saída houve algumas trocas de funções. O Gleidsson Ludyele Confecções passou a ser o guia e o Euler Caixeiro Viajante fecharia as porteiras e acompanharia os meninos. O fotógrafo por livre e espontânea pressão foi o Cadu Sagra.
Tudo preparado para a saída, eis que 100 metros depois o Flávio Bocão percebe que o pneu estava vazio. Enchemos mais ou menos para ele pedalar até a Star Bike onde o Zé Gonçalves tava fazendo cerão. Pneu do Bocão cheio e prosseguimos sentido Avenida Marabá. Chegando ao Posto Caiçaras encontramos com o Banhão.
Já no início do Estradão do Sumaré, algumas pessoas resolveram ir ao Posto Cometa completar as garrafinhas. No retorno do posto, o Fábio Lana que era a primeira vez que ia a um pedal noturno, passa por uma “tartaruga” sinalizadora no asfalto e compra aquele asfalto (já que não era terra). Alguns machucados no joelho e mão. Ele resolveu voltar.
Descendo o morro
Descendo o morro

Seguimos e descemos o morro antes da Valoriza. Nenhum incidente. Tudo sob controle. Quando chegou para descermos até ao Cemitério do Arraial, resolvemos mudar o roteiro, pois já estávamos uns 30 minutos além do tempo regulamentar.
Passamos na estradinha acima do cafezal e chegamos ao morro ao morro do Arraial dos Afonsos. A galera tá cada dia mais treinada. O Pedro ficou enrolando um pouco, mas depois de uma injeção de ânimo ele subiu o morro bonito.
A galera reuniu novamente no fim do morro, já no estradão do Sumaré. Seguimos todos juntos até ao Posto Cometa aonde vimos que ainda tava cedo. O Luis Farol de Carreta foi abordado por um policial pensando que ele estava de moto na contramão, visto a potência de seu farol de carreta.
O barulho que ouvimos ao final seria deste cachorro?
O barulho que ouvimos ao final seria deste cachorro?

No início da estrada do Cenourinha paramos para ouvir uns gritos estranhos. Cada pessoa pensou que era uma coisa diferente. Seguimos a trilha e logo depois o pneu do Bruno Fernandes furou. O engraçado é que a câmara reserva dele também tava furada. Aí o Renato Amaral emprestou uma para ele.
Chegamos então a decida do Cenourinha onde o Herlley foi o último a sair e o primeiro a terminar. E olha que a lanterna dele não tava lá essas coisas. O cara desce muito.
Faltava então só subir o morro da Agroceres, onde no final cada um já foi pro seu lado.
É isso aí galera! Esse foi o primeiro pedal noturno sem nossa estrela maior Gagame que por motivo de força maior não pode está presente no pedal, mas estava lá no ponto de encontro. Deve ter sido por isso que foram somente 23 bikers.
Vai ser um fim de semana com poucas trilhas em Patos de Minas, pois a galera vai toda para Araxá curtir a Copa Internacional de Mountainbike. Para você que fica, curta nossa cobertura aqui no Noispedala.
Confira as fotos deste pedal noturno.
[nggallery id=76]

Diário de Bordo: Trilha Topo do Mundo 13/03/10

O diário de bordo mais uma vez ficou para o Euler Caixeiro Viajante.
Marcamos as 07h30min com saída da Praça da Wolks. Chegando à praça observamos que o Zé Gonçalves da Star Bike, Juninho e o Iata estavam preparando para viajar para uma competição em Brasília, todos chegaram no horário menos o guia da trilha Kuririn. Enquanto esperávamo-lo apareceu o Fabiano Spaço doido para ir mais deu porque tinha compromisso com trabalho.

Galera de sábado no "Topo do Mundo"
Galera de sábado no "Topo do Mundo"

Até que enfim o Kuririn chegou e saímos subindo a Major Gote. Quando descíamos ao lado da Coopatos eis à primeira desistência Felipe com problemas no pneu de sua bike.
Continuamos nossa trilha. Antes de começar a descer a Secretária, o Vanim Star Lanches furou o pneu. Com tudo resolvido continuamos a trilha. No final da secretária onde é bem perigoso, o Robinho descendo bem tranqüilo como de costume, infelizmente a suspensão dele travou em baixo não teve retorno. Deu um capote que todos ficamos preocupados. Ele ficou até sem fala.
Acabamos de descer e o Robinho resolveu voltar. Fomos todos unânimes na decisão de voltar com ele, mas o Robinho não aceitou e acabou voltando sozinho.
Continuamos a trilha com expectativa da chegada no Topo do Mundo. Quando chegamos foi só risada da galera, pois quinze dias atrás o Fabiano Spaço havia levado a galera para conhecer esta trilha. De acordo com ele não conseguimos chegar ficou totalmente perdido. E o pior que ele levou a galera no lugar certo e nem havia notado.
Continuamos a trilha com sentido Arraial dos Afonso. Tudo normal voltamos pelo cemitério paramos no corregozinho para pegar água subimos até a estrada do Sumaré e voltamos pela Marabá.
Tive com o Robinho depois, ele foi ao Médico tirou radiografia das costelas e felizmente não deu nenhuma fratura e ele já está de volta à sua vida de ciclista normal.
Veja as fotos desta aventura!
[nggallery id=69]

Diário de Bordo: Trilha do Beco dos Borges e Dólar 04/03

Cuidado com o dólar galera!
Cuidado com o dólar galera!

Hoje o Diário de Bordo está sendo redigido em dupla. Bruno Fernandes e Alysson Kuririn. Eram 19h10min quando saímos da Power Bike ainda sem fotógrafo, pois ele atrasou alguns minutinhos. Logo na saída, antes de chegar ao Balão da Wolks (Chevrolet) o João Victor Duracell Farolzinho de Carreta bate feio em uma lixeira. Era o sinal que seria uma noite com muitas aventuras e histórias para contar.
Seguimos em fila indiana pela Major Gote, depois pegamos a Marabá. No Posto Park estava o nosso fotógrafo Kuririn. No Posto Caiçaras estavam o Banhão e o Padrinho Gleidsson que está satisfeito com os seus pupilos.
Paramos no Posto Cometa onde alguns foram calibrar as garrafinhas. Ficou decidido que o Gleidsson iria guiar e o Euler fechar as porteiras. Eram umas 30 pessoas. Não tenho o número exato. A galera ouviu atentamente as recomendações e seguimos para a descida antes da Valoriza.
Poucos acidentes. Apenas o Valner que ficou sem lanterna  e comprou o primeiro terreno (tentou esconder o tombo mas nós descobrimos) e o Dani Boy amigo do Flávio Bocão.
Continuamos no Beco dos Borges até o estradão do Arraial dos Afonsos, onde ao chegar a um mata-burro, nossa estrela maior, o GAGAME que é o único a participar de todos os pedais noturnos comprou aquele terreno valorizado. O pé dele ficou preso em seu novo pedal de encaixe e foi aquele tombo.
Subimos até ao estradão do Sumaré onde o Pedrão foi guinchado pelo Vaninho. A subida lá é complicada mesmo Pedrão. Paramos próximo ao Ponto de Ônibus e o Criceles e um Novato tiveram que ir embora. O Herlley colocou a roda do Paulo Sérgio para rodar. Ela parecia um oito de tão empenada.
Seguimos então em direção à descida do dólar onde estavam guardadas algumas surpresas. Antes de chegarmos lá o Banhão caiu na cerca. Já na descida, o João Victor Duracell caiu cinco vezes. A ORBEA do Herlley foi estreada e ele que costuma descer como um kamikaze o dólar, não obteve sucesso e comprou aquele terreno.  Logo após o tombo dele, o Doutor Valner e o Kuririn que ficou rindo do tombo dos dois, se descontrolou e caiu também.
Além destes tombos tivemos ainda o Paulo Sérgio, o Heber cidadão olegarense e o Vaninho que também caíram.
O Pedrão filho do Euler Caixeiro Viajante que estava passando ileso, na subida após o dólar que parecia um quiabo, perdeu o controle e também caiu.
Chegamos à rodovia onde o papo era só o tombo da galera. Seguimos sentido Star Lanches onde a pizza já estava pronta. Ainda bem, pois a galera tava faminta. Lá tivemos que contabilizar os tombos, pois era impossível lembrar-se de todos. Um detalhe legal foi que não caiu uma gota d’água sequer, surpreendendo a previsão de muitos.
Mais uma vez tivemos presença de pais e filhos. O Luis Farol de Carreta e o Duracell.O Ângelo e o João Victor e o Euler Caixeiro Viajante e o novato Pedrão.
É isso aí galera. Fiquem atentos, pois vai ter trilha no fim de semana e dia 14 tem a segunda etapa da Copa Cemil lá no Clube da ASPRA.
Confira as fotos:
[nggallery id=67]

Convite: Pedal Noturno na Trilha da Meia noite

Galera do NPD, hoje faremos o seguinte trajeto. Sairemos do Balão da Wolks, sentido Avenida Marabá onde faremos a trilha da Meia noite, batizada após o gagame ter sido guia e termos chegado meia noite. Porém hoje chegaremos por volta das 22 horas. Veja ela no módulo Trilhas do site que tem ela no GPS,

Vamos pedalar galera!
Vamos pedalar galera!

Ponto de Encontro: Balão da Wolks
Horário de Saída: 18h50min com tolerância de 10 minutos
Nível da Trilha : Médio
Previsão de Km: 30 quilômetros.
Previsão de Hora de Chegada: 22h, caso não ocorra nenhum incidente.
Não Esquecer: Bike Regulada e Lubrificada, Remendo de Pneus, Ferramentas, Luvas, Capacete,  Água, Repositor Energético, Documentos e Dinheiro.
Importante:Somente não iremos, se na hora da saída, estiver chovendo forte, chuviscos e garoas estaremos saindo.
Guia: Magela
Autor do Diário de Bordo: Magela
Fotos: Gleidson Oliveira
E não esqueça. Novatos são sempre bem-vindos.

Diário de Bordo: Trilha do Arraial dos Afonsos e Dólar

Feliz aniversário GAGAME! Tenha as ferramentas certas para trocar um pneu...Fala Galera do Noispedala mais um pedal noturno, e esse de Natal. Reunimos na Praça da Volks com nove bikers. Éramos dez mais aconteceu uma desistência, o Leréia, acho que ele deu uma olhada e só tinha barrigudo e acabou desanimando. Teve mais um que chegou de moto mais também não teve coragem, o nosso amigo fotógrafo Farnésio José Rita Kuririn.
Subimos a Major Gota sentido a Marabá, quando mais uma vez fomos agraciados com mais um colega de carro cheio de inveja da turma, nosso amigo Bruno Elite 2010.
Logo à frente La estava o Alisson esperando, voltamos aos dez novamente. Como éramos poucos decidimos que não haveria líder e nem retaguarda desta vez.
Descemos a esquerda na Valoriza, quando chegamos perto do Beco dos Borges, eis que surge a primeira do Gagame coitado, furou o pneu e não deixou ninguém ajudar porque estava treinando para o próximo enduro. Quando olhamos ele tira duas chaves de fenda para usar de espátula não deu em nada se não fosse o Luiz farol de carreta arrumar as verdadeiras espátulas estávamos enrolados e o Gagame era só alegria. Mas ninguém sabia o  motivo foi quando ele avisou que era seu aniversário.
Todos deram uma risada dizendo: “vamos dar um banho nele numa poça de barro” quem disse que achava o aniversariante ou ficava para traz ou sumia na frente.
Viramos em sentindo ao Dólar. Tinha algumas poças de água e o Marquinho da Funerária passou em uma quase comprou o terreno lá e ainda acabou dizendo: “aqui é homem duro sou lá do Areado”.
Mas o homem duro durou pouco tempo na descida do Dólar acabou descendo sem a bike. Marquinho para um lado e bike para o outro, desta vez não disse nada (rsrsrsrs).
Chegamos ao asfalto todos concordaram em passar na STAR LANCHES do nosso amigo Vaninho todos menos o Gagame mais acabou indo e o pior que ninguém deixou ele pagar a conta porque era seu aniversário, gostou tanto que disse que quer fazer aniversário toda semana.
E assim foi mais um pedal noturno. Semana que vem tem o do Reveillon fiquem todos atentos.
Clique aqui e veja as fotos deste pedal noturno