Diário de Bordo: Pedal da Band na Trilha do Aragão

18/02/2012 – Por Vanessa Prados
Simpatizantes ou amantes do pedal? Não se sabe o que essas pessoas são. Mas ao pedalarmos juntos, pode sentir pessoas com alegria, descontração, companheirismo etc.

Congestionamento na Trilha do Aragão
Congestionamento na Trilha do Aragão

Hoje nosso guia Luciano com o apoio do Juliano nos levou a trilha Aragão. Gente, cada vez mais podemos conhecer ou rever lugares de tanta beleza que possui nossa região.
Também agradeço aos fazendeiros que de forma direta ou indireta sempre nos dá um suporte permitindo nossa passagem em suas terras e aquela água que sempre nos servem.
Obrigada! Agora falando dos acontecidos inesperados teve uma câmera furada do meu amigo Alysson Kuririn, uma corrente arrebentada de minha amiga Maria Inês, um tombo do sobrinho do Paulo.
Tudo aconteceu, até a esposa, digo Maria Inês dando uma freada e seu esposo Marquinho vindo a colidir com ela e se rolam juntos no cascalho.
Aqui vale também uma volta a mais terminando entramos em um beco sem saída. Parecíamos uma escola de samba andando em roda, mas sei Kuririn que foi por gostar de conhecer nossa região.
Célio, não posso deixar de comentar que todos sentiram sua falta, pessoa essa que apoia, interage, alegre, conserta as bikes, humana e amiga. Obrigada Célio por nos proporcionar esse lazer. E que a Luz Divina Ilumine vc, família, funcionários e todos do Pedal da Band.

Assista a edição semanal do Luciano Pit Stop

Confira as fotos

[nggallery id=306]

Diário de Bordo: Trilha do Aragão voltando pelo Rivalcino

31/03/11 – Por Bruno Fernandes
Está de volta o diário de bordo! Depois de mais de 30 dias sem relatos, estamos aqui.

18 bikers no pedal noturno
18 bikers no pedal noturno

Foi uma época complicada. Chuva e mais chuva. Na verdade desde o início do ano, podemos contar as quintas-feiras em que São Pedro colaborava conosco. Mesmo assim, não deixamos passar uma semana em branco. Era quinta-feira, e mesmo sob temporal, barro e lama estávamos lá.
Vou começar a relatar o que aconteceu conosco na terça-feira. Saímos para um pedal, eu, Euler, Sérgio e Walne. Na região de Paraíso de baixo, cerca de 25 km de Patos, encontramos uma D-20 atolada. Depois de horas de dificuldades para desatolar, conseguimos. Chegamos a Patos, na carroceria segurando as bikes 00h30.
Quinta-feira aguardada. Dia de pedal noturno. Eram 18h52 quando cheguei à lagoa grande, um novo ponto de encontro. Lotada de pessoas fazendo caminhando. Desta vez, também lotada de bikers. Que galerona, que animação. Éramos 18 companheiros
Depois de entrarmos em contato com o Renato Amaral e o mesmo que nunca falta, informar que não iria desta vez, saímos sentindo Avenida JK. Eram 19h06 quando saímos. Na saída já elegemos o fotógrafo da vez. Foi o Geomar, que mesmo apanhando da moderna câmera, fez excelentes fotos.
Chegamos às Molas Americanas, e após umas eleições frustradas, Marquinho Kxão prontamente aceitou ser o fecha trilha da noite. Bacana mesmo foi a quantidade de novatos que tinha nesta quinta-feira. Sejam todos bem-vindos e continuem conosco. Se algo tiver incomodado, favor deixar um comentário abaixo.
Passamos então a BR 365, descemos próximo ao Veraneio, subimos e seguimos a trilha do aragão. Foi muito bacana. A galera pedalou muito. Foi uma trilha show de roda! O clima de amizade imperava. Dois proprietários de lojas de bikes estavam lá. Guilherme Mundial Bike, mesmo tendo sofrido muito semana passada, caído e ainda perdido o cateye, estava lá firme e forte. Sempre dizia que ia até João Pinheiro. Também tivemos a presença do Eltinho da Bike Giro. Ele montou a bike ontem e já foi pedalar. E não é que o cara não desafinou? Ele pedalou muito também.
Quando estávamos na encruzilhada, ficou decidido que não iriamos passar nas granjas e sim subirmos o morro de cascalho solto, passarmos pelo Rivalcino e depois pelo milharal. A princípio não gostei muito da ideia, mas lá fomos nós. E por surpresa, o mato não estava alto e poucos pés de milho atrapalharam nosso acesso. Foi muito bacana. Alguns tombos, é claro, foram registrados.
Ah, não posso esquecer-me de mencionar meu mano Heber Contador, que mais uma vez desistiu no meio da trilha. Ele e seu parceiro da Autopatos resolveram descer a BR 365, não sei por qual motivo.
Devemos ressaltar também a participação do Euler Caixeiro Viajante, que foi um verdadeiro capitão do pedal noturno. Visto a presença maciça de novatos, ele sempre dava dicas e informava como proceder ao passarmos próximos à fazendas.
Eram 22h em ponto quando chegamos à cidade via Sebastião Amorim. Uma parte da galera foi para o Vaninho Star Lanches ainda jogar um sanduba pra dentro.
Compras de Terreno
O destaque da noite foi o Juninho, que caiu três vezes. E como quem cai três vezes, pede a música, ele pediu. Ele dedica a música Pa Panamericano a todos os seus amigos.
Outra compra de terreno que não pode passar em branco é a do Sérgio. Ele perdeu a roda da frente na descida depois da cascalheira e foi parar no chão. Mas nada grave. Nada que interrompa seus treinamentos.

É isso aí galera! Deixe registrado seu comentário aí abaixo! Queremos saber o que você achou do Pedal Noturno. E não se esqueça, quinta-feira tem mais.

Convite: Pedal Noturno na Trilha do Cafezal

Quinta é dia de pedal noturno Noispedala
Quinta é dia de pedal noturno Noispedala

Alô você que acessa o Noispedala. Principalmente você que participou do Enduro do 15º BPM. Chegou o dia de mais um pedal noturno. Hoje promete.
Hoje o ponto de encontro será a Nutry Suplementos. 18h50 espero todo mundo lá.
Ficha técnica:
Pedal Noturno: Trilha do Cafezal
Horário: 18:50
Ponto de Encontro: Nutry Suplementos
Tolerância de 10 minutos na saída
Guia: Bruno Fernandes
Dificuldade: Baixa
Info: Bruno (9169-0141) Magela (9975-4745)
Distância: 25 km
Fotos: Banhão / Bruno
Diário de Bordo: Bruno Fernandes
Percurso: Molas Americanas, Pesque Pague, Estradão de Chácaras, Cafezal, Veraneio
NOVATOS SÃO SEMPRE BEM-VINDOS
INDISPENSÁVEL O USO DE CAPACETES
SOMENTE NÃO IREMOS SE ESTIVER CHOVENDO NO MOMENTO DA SAÍDA
DEPENDENDO DA GALERA, PODEREMOS DAR UMA ESTICADA

Diário de Bordo: Pedal noturno na trilha da mulher de branco

Foi uma trilha com o clima bem tranquilo, embora pedalando forte e com poucas paradas. Saímos da Band Bike. Estavam lá o Celinho e o Waguinho finalizando as atividades do dia. E claro, nos convidou para pedalarmos amanhã em P.O., com a turma de lá. Bora lá galera? Ainda deu tempo de o Luis Farol de Carreta arrumar a lanterna do Magela. Desta vez o Rodrigo Liderança não chegou aso 48 minutos do segundo tempo, aí seguimos viagem.

Galera marcou presença
Galera marcou presença

Ao passarmos pela Lagoa Grande, encontramos o Euler Caixeiro Viajante fazendo um cooper ou pagiando sua filha não sei ainda. O assunto era um só. Trilha da Maria Fumaça. E como é bom falar daquele passeio.
Seguimos então sentido Avenida JK, onde o Sérgio Zaggo encontrou conosco na esquina da Autopatos com uma chegada triunfal. A Elenice foi leva-lo para pedalar, pois não havia como chegar a tempo para o ponto de encontro. Ela deu uma desculpa para o motivo da não nos acompanhar. “Queria economizar os pneus da bike”.
Tudo comum para mim até chegarmos ao cafezal antes da matinha e viramos à direita, dentro dele. Pensei que perderíamos mais uma vez, visto a fama desta Trilha da Mulher de Branco. Depois de passarmos um milharal, vi que o Magela estudou bastante este percurso no Google Earth e conseguiu chegar redondinho à fazenda daquela família que nos acolheu da última vez, quando já estávamos perdidos.
Nosso novo companheiro com sua nova bike
Nosso novo companheiro com sua nova bike

Ao chegarmos à fazenda, uma novidade. O Lucas havia ganhado uma bike top. Toda de lite inclusive. Só que tem um detalhe. Ele ainda não sabe andar nela. Depois da promessa que da próxima vez que passarmos lá, ele já vai acompanhar nossa galera, seguimos a trilha com o seu irmão pedalando ela. Eles também nos disseram que acessaram o site e inclusive baixaram a foto que têm eles. Só faltou eles deixarem comentário né galera?
Subimos alguns morros, passamos pelo Aragão. Alguém aí viu a mulher de branco? Depois de descer o beco, uma subida bastante acentuada. O Olemar disse a mim que ali ninguém sobe. Eu o desafiei e mesmo sentido algumas dores no joelho, subi-a por inteiro, sem colocar o pé no chão. Depois fiquei sabendo que o Walner também conseguiu tal proeza.
Aí foi só seguirmos e chegarmos à Avenida JK e notarmos a falta do parceirinho Criscelle e do Luis Farol de Carreta, que até agora não sabemos o paradeiro deles.
É isso aí galera. Amanhã teremos o pedal em P.O. e domingo o Enduro a Pé no Clube Caiçaras. Vamos prestigiar os eventos.
PS. Não sei se vocês observaram, mas finalmente concluímos a trilha da mulher de branco.

Confira as fotos

[nggallery id=195]

Diário de Bordo: Trilha do Aragão, "o perde-perde"

23/12/2010 – Por Walder Martins
Trilha do perde, perde.
A quinta feira já começou daquele jeito, chovendo. Tudo indicava que São Pedro não colaboraria com o nosso pedal noturno. Tudo indicava, mas não foi o que aconteceu. Já eram 18h23 quando fiz a pergunta rotineira para nosso companheiro Bruno Fernandes ‘’-Fala Brunão, vai pedalar hoje?’’, a resposta veio meio evasiva, alegando que tinha que acertar detalhes da nossa viagem à Curvelo e de fato, não poderia comparecer ao pedal. Não foi o que aconteceu.

O perde-perde
O perde-perde

Cheguei ao nosso ponto de encontro, a Nutry Suplementos e já eram 18h50. Apenas o Olemar do Santiago da Compostela estava lá. Já pensei comigo “não vai vir ninguém”. Segundos depois da minha onda de pessimismo, eis que aparece o Pedro Elias Pneus União. Começamos a resenha, em seguida chega nosso amigo Renato e seu fiel escudeiro Bruno (Ou seria o contrário? Ah, tanto faz), e o Walner. Até parece um clichê ‘’Aos 47 do segundo tempo o Rodrigo Liderança chegou’’, e sem lanterna.
A galera reunida, vamos pedalar, mas antes um fato inusitado. Um guarda-roupa vestido de gente resolve dar uma ré estilo Carlos Cunha (http://www.youtube.com/watch?v=s2Mnoed7fq0&feature=fvw). Um motorista assustado com a investida do Fiat Palio Fire Flex aperta a buzina com medo de levar uma carimbada no seu possante. Algum segundo depois vem à indagação “Você ficou com medo de eu te bater? Que isso, eu estou acostumado é dirigir caminhão carregado fora da estrada”. O Pedro em tom irônico, solta a bomba “hummmmm brutão”, o pior de tudo foi segurar o riso.
Saímos em direção a já batida trilha do Aragão, e logo na primeira bacada da primeira descida, quase fico sem minha lanterna, já era um aviso do que estava por vim. O Renato arrumou umas goiabas não sei aonde e resolveu repartir com a galera. O Pedro depois de um lanche leve em casa (1 litro de iogurte patinho e meia lata de neston) e não afinou de jeito nenhum.
Ficou resolvido que subiríamos o morro de grama e cascalho para chegarmos ao Rivalcino. E claro né, todo desafio rola uma competição e nessa competição eu perdi. Perdi meu cateye. Chegando ao Rivalcino, de cara fomos procurar o Luís Farol de Carreta, pois estava rolando uma gambiarra das grandes por lá. Mas dessa vez ele terceirizou o serviço. Ainda parados, a galera começou um review de termos e gírias do MTB e de fato o Single track foi o mais comentado. (@fabianospaço)
Começamos a pedalar e nos preparar para a descida, pula cerca vai cerca e cadê o caminho? Estava todo tampado por um milharal. Trocamos de assunto e fomos conversar das redes sociais, onde o Bruno citou uma twittada do fake do Clebér Machado: Qual a sua opinião sobre Airton Senna? “Esse assunto pra mim está morto e enterrado”. Enterrado mesmo quase ficou o Óculos do Dr.Walner, foi só falar que quem se encontra os óculos ganharia uma lavagem com direito a um polimento cristalizado na Power Bike. O dito cujo apareceu, e quem achou? O Próprio Doutor, que sacanagem hein.
Nessa altura do campeonato o Renato já tinha enchido pneu umas 20 vezes. Começamos a descer, o Bruno caiu, mas ninguém viu e antes que eu me esqueça, o Dr. Walner comprou um terreno ainda na BR. Chegamos às Molas Americanas onde o Pedro Elias manda apressar o passo porque mesmo depois do lanchinho de patinho e neston, das goiabas e ainda uma dúzia de barras de cereais, estava morto de fome.

Diário de Bordo: Pedal Noturno Matinha do Confinamento e Cafezal

19/08/2010, por Renato Amaral

Bike fit no João Pivodrip feito por Euler e Carlos Campos
Bike fit no João Pivodrip feito por Euler e Carlos Campos

Partimos da porta da Catedral onde contamos 14 bikers devidamente agasalhados. Talvez o frio tenha espantado outros quatorze. Seguimos em direção à Matinha do confinamento. Desta vez fizemos todos os trechos possíveis e imagináveis de mata propriamente dita. Depois do último dos trechos de mata eis que recontamos a galera: 12. O fecha-trilha Sérgio Pivodrip e seu pupilo João tinham passado direto em uma das entradas e se perderam. Voltei e avistei os faróis já retornando pelo caminho certo.
Passamos pela represa, pelos “zoca” e chegamos ao SEST SENAT onde avistamos um pelotão de speeds treinado na avenida. Ao chegarmos à JK o Gagame desistiu de continuar. Ele estava baixo-astral e anunciou com exclusividade ao noispedala que vai pausar a carreira e só volta a pedalar em 2012. Mas acho que isso é marketing para atrair a imprensa.
Faltaram o Markim Caxão e Gagame nesta foto. Eles que nunca faltam no Pedal Noturno
Faltaram o Markim Caxão e Gagame nesta foto. Eles que nunca faltam no Pedal Noturno

Depois do trecho das Molas Americanas, atravessamos a BR365 na direção do Aragão. O João reclamou de dores nas costas e o pessoal resolveu fazer um rápido “bike fit” pra amenizar o problema. Seguimos e quase chegando à rodovia avistamos atrás uma lanterna ao longe, antes da curva. O Luís LED então gritou com insistência: “o que aconteceu? furou o pneu?” Contamos a galera e não era um dos nossos. Conclusão: os fazendeiros também já estão usando lanternas de LED pra fazer sei-lá-o-quê.
Os estreantes de pedal noturno, Hugo e Matheus mandaram muito bem no pedal e o João Pivodrip sofreu, mas completou o percurso.
Guia: Euler; Fotos: Renato Amaral; Fecha-trilha: Sérgio Zaggo.
Lembretes: pessoal, neste fim de semana acontece em Congonhas-MG a última etapa da Copa Internacional Levorin de MTB e Copa Centauro. O noispedala estará lá fazendo a cobertura do evento e dos atletas patenses. Fique por dentro!
E no próximo fim de semana, (29/08) acontece o 1º Cross-Country Rio Paranaíba de Mountain Bike com organização e cobertura do noispedala. Participem! Inscrições a partir de 20/08 aqui no site.

Confira as fotos deste pedal noturno

[nggallery id=144]

Diário de Bordo: Trilha do Aragão e Rivalcino 08/07/10

08/07/2010, por Renato Amaral

Resenha no Ponto de Encontro
Resenha no Ponto de Encontro

Hoje partimos do Posto São Cristóvão. Antes disso a resenha foi bacana. O Tora Racing compareceu pra animar a turma pra mais uma trilha sua no sábado e o Bruno também esteve por lá para anunciar oficialmente a confirmação da prova de Cross Country que o noispedala vai organizar na cidade de Rio Paranaíba. Hoje ele trocou o pedal pela caneta e ainda tinha algumas articulações políticas na agenda. O Álisson Kuririn também chegou por lá, mas com pneu fino: não queria nada com a dureza hoje.
Éramos 13 bikers. Seguimos pela JK, onde paramos para arrumar a bike do Pedro. O Luís Farol de Carreta usou toda sua experiência pra consertar a bike do menino.  De lá seguimos pelas Molas Americanas e depois para a trilha do Aragão.
Chegou a hora de pular a porteira
Chegou a hora de pular a porteira

No meio da trilha do Aragão o Thiago Bicalho (SB Uniformes) lembrou que tinha uns uniformes pra entregar e resolve voltar sem lanterna: “Dá pra ir, olha a lua!” Cade? E foi.
O Gagame não se contentou com as subidas pra chegar à rodovia e enquanto a gente esperava o pessoal ele descia pra subir novamente. O que será que ele tomou?
A grande questão da noite foi a discussão sobre a velocidade do avião do Luís Farol de Carreta. Walner, o nome do avião é? HyCAUSE: descobri que esta é a areronave mais rápida do mundo e já atingiu uma velocidade de 11.000km/h o que dá 3,05 Km/s, 100 vezes menos do que você falou, Luís. Além dessa polêmica o Luís também foi o dono do único terreno da noite.
Esta é a vista que temos lá de cima galera
Esta é a vista que temos lá de cima galera

Atravessamos a rodovia e o dono da primeira fazenda foi bem receptivo: nos recebeu soltando os cachorros nos dois sentidos.
Na segunda porteira contamos a galera e faltava um: o Pedro. Os cachorros continuavam latindo ao longe e ouve-se um grito: PAIÊÊÊ !!!! O Euler respondeu calmamente: Pedala!!! O Pedro chegou à porteira e não conseguia nem conversar.
Deste ponto em diante só as boas descidas até o pesque-pague que ainda teve a história das vacas camufladas no escuro: no beco de grama alguns quase atropelaram as coitadas que dormiam.
Estão abertos os debates: avião do Luís, potencial do Gagame e os cachorros…

Confira as fotos deste pedal noturno

[nggallery id=125]

Diário de bordo: Trilhas do fim de semana 19 e 20 de junho

Na manhã de sábado, 10 bikers fizeram mais uma trilha guiada pelo Tora Racing. Bruno Fernandes, Euler Caixeiro Viajante, Herculano, Danilo, Tora, Robinho Dinossauro, Coca-Cola, Alisson Pó e Walner.

Descendo para a Mata do Ribeirão Mata burrinho
Descendo para a Mata do Ribeirão Mata burrinho

Saímos da Praça Bandeirantes sentido Baixadinha dos Gonçalves. Aí começaram os atalhos do Tora. Fomos até atravessarmos o estradão que liga a BR 365 à Zalagoas e aí começou a emoção pra valer. Destaque para a descida que fica logo após o Paraíso Camping Clube que tem um misto de descida técnica e aquele trecho que você pode soltar o freio. Sem contar a paisagem do local e a matinha que adentramos após a descida.
Por incrível que pareça, chegamos antes do meio dia em casa, apenas com o pneu do Coca-Cola furado e nenhum tombo.
No domingo também pedalamos. Fizemos a trilha do Arraial dos Afonsos guiados pelo Rantar. Bruno Fernandes, Renato Amaral, Renato Lima, Rantar, Doutor Kleber, Pedro Elias Cadu e Vanelton Sagra.
Tudo nos conformes até o Bruno começar a dar palpite. Como o pessoal andava meio parado, a intenção era cortar o morro do Arraial pela metade e voltar.
Galera no Viaduto da Pipoca
Galera no Viaduto da Pipoca

Resolvemos descer até o cemitério. Depois de 40 minutos subindo o morro, resolvemos is sentido Ribeirão Mata-burrinho. Aí foi emoção pra valer. Vários tombos. Primeiro foi o Pedro Elias no tradicional buraco de tatu, depois o Renato Amaral duas vezes e pra fechar o Renato Lima comprou um terreno com bastante cascalho.
No final da subida do dólar, encontramos os corretores de imóveis Vinícius Diógenes e Breno. Ao chegamos, encontramos com o Doutor Romes e o Paulo Trosso que estavam voltando de um treino de speed no Viaduto da Pipoca. Chegamos antes do meio dia também.
Também pela manhã de sábado, os bombeiros fizeram a trilha da Usina e relataram o seguinte:
Por Joaquim (Bombeiro)
Bombeiros unidos pelo pedal
Bombeiros unidos pelo pedal

Eram 07horas e 25minutos quando cheguei ao Posto Alpa(Camalle), e nem sinal dos companheiros de pedalada. O dia estava lindo, céu claro, mas fazia muito frio, talvez a manhã mais fria deste mês. O que deve ter intimidado os colegas bikers. Eram exatamente 07horas e 35minutos, como não havia aparecido ninguém  até o momento, desloquei com minha bike, sentido Viaduto da Pipoca, pela ciclovia da avenida Jk, momento em que passava pelo posto Sem Fronteira, entrada do bairro Planto, fui surpreendido por dois bikers, que estavam nos aguardando . São eles o Sirlânio e o Hely Braga, que também são bravos Soldados do Fogo. Eramos apenas três companheiros.
Seguimos pela Avenida JK, logo em seguida atravessamo-la e entramos na entrada das molas americanas. Fomos observando as casas e logo a frente vimos a esquerda  um campo de futebol, e uma bar ao lado e o Hely Braga disse-nos já temos um local para tomar aquela coca-cola quando retornarmos, concordamos por unanimidade. Resolvemos subir pela BR 365 e entrar depois do trevão.
Essas cavas já fizeram muitas vítimas
Essas cavas já fizeram muitas vítimas

Fomos seguindo pedalando um pouco mais forte como o intuito de esquentar o corpo. Quando notamos já estávamos chegando ao  Aragão. Logo após o Aragão resolvemos pegar um atalho, depois do mata-burro, era uma descida muito forte, que o nosso amigo Hely Braga, acabou comprando um pedaço daquele terreno, acredito que não foi uma boa compra, pois era pura cava, kkkkk….
Quando chegamos à usina, nossas bikes, já estavam todas impregnadas, de poeira e as marchas desreguladas. Foi o momento crucial para podermos dar aquela descansada e lubrificar e regular as marchas. Quando estávamos próximo do Aragão, resolvemos continuar por terra, passando pelo cafezal, pois a trilha estava muito emocionante.
Atravessamos em fim a rodovia 365, e fomos ao barzinho tomar aquela coca-cola geladíssima, para fechar a trilha.
É isso ai galera, compreendemos a ausência de todos, mais não vamos deixar que o frio nos desanime, pois nem o tempo pode contra nós. E no próximo final de semana tem mais, fiquem ligados no noispedala.

Confira as fotos destes pedais

[nggallery id=115]
[nggallery id=116]

Diário de Bordo: Pedal Noturno Pesque Paque e Cafezal

10/06/2010, por Renato Amaral
O Ponto de Encontro foi no Posto São Cristóvão e lá estava o presidente das organizações Noispedala Bruno Fernandes, que compareceu para fazer o “social” e justificar sua ausência: está poupando sua gripe para o frio de São Lourenço-MG. O Ronaldo Tora Racing Rei dos “Atalhos” também apareceu para cumprimentar a galera e prometer novas trilhas. Ele disse que descobriu uma trilha que não se chega nem de helicóptero.

Gagame lança uniforme 2010. Finalmente resolveu largar os bermudões de futebol.
Gagame lança uniforme 2010. Finalmente resolveu largar os bermudões de futebol. A cada dia ele está com mais cara de atleta hein?

Os quatorze bikers presentes, quatro novatos na turma: bem-vindos Alex, Danilo, Pedro Elias (Pneus União) e Marcelinho. Mas estreante de verdade só o Marcelinho que estava inaugurando sua bike, trocando as esporas pelos pedais. E ele escolheu bem o dia de começar. Acho que o Bruno pode reclassificar essa trilha para dificuldade baixa.
Além dos novatos, as figurinhas carimbadas eram Eu, Euler e filhão Pedro, Walner, Celinho (Band Bike), Felipe, Marco Túlio Gagame, Markin Kxão, Otávio e Waguinho (Band Bike). Encontramos com o Danilo Uberaba já na Av. JK onde ele fazia uma pedalada sem compromisso e sem lanterna. O Euler tratou logo de incentivá-lo a seguir conosco e ele topou.
Seguimos pelas molas americanas onde guiamos um motorista até o clube da CEF. Atravessamos o anel viário, subimos o morro do pesque-pague e fizemos o trajeto sem imprevistos e quando retornamos ao asfalto ainda era cedo: só 20:55h. Então o Walner sugeriu uma “esticada”.
Muitos queriam mas por motivos diversos fomos somente Eu, Walner, Felipe e Pedro Elias. Subimos a BR-365 até quase no Rivalcino e retornamos pelas trilhas com aquelas descidas sensacionais.
Ué, o Felipe resolveu fazer o bigode e teve dificuldades?
Ué, o Felipe resolveu fazer o bigode e teve dificuldades?

Nenhum imprevisto até chegarmos ao tradicional “desvio à esquerda do mata-burro” um inédito colchete fechado e uma enorme pedra surpreenderam o Felipe que descia rápido. Ele abriu o colchete no peito e a poeira subiu quando ele aterrissou.  O susto foi grande porque à primeira vista parecia mais grave do que realmente foi. Só com o lábio cortado e o rosto arranhado pode-se dizer que ele saiu no lucro.
Curtimos a boa descida até o pesque-pague, retornando pelas Molas Americanas e Av. JK.
O diário fica por aqui porque estamos arrumando as malas para fazer a cobertura da segunda etapa da Copa Internacional de Mountain Bike (http://www.cimtb.com.br/) que acontece neste final de semana em São Lourenço-MG.
Fique ligado e torça por nossos atletas de Patos de Minas.
Acompanhe e comente a partir de sábado à noite a cobertura em vídeo, reportagem e fotos. Acompanhe também pelo twitter: http://twitter.com/noispedala.

Confira as fotos desta galera que não desafina uma quinta-feira sequer

[nggallery id=106]

Diário de Bordo: Pedal Noturno Aragão e Rivalcino 13/05/10

Aí galera do Noispedala. Enquanto o diário de bordo não fica pronto, você já pode conferir as fotos. Que por sinal ficaram muito boas. E vá preparando. Domingo tem Vazante e dia 30 de Maio o Enduro do Milho largando do Parque de Exposições.

Confira as fotos deste pedal noturno

[nggallery id=93]