Shimano realiza treinamento para mecânicos e atletas na Copa Internacional de MTB

Uma das grandes novidades da Copa Internacional de MTB para 2011, é a realização de treinamentos técnicos para mecânicos e básico para atletas.

Grupo Shimano XTR 2011
Grupo Shimano XTR 2011

Segundo João Magalhães, será apresentado uma palestra técnica voltada aos atletas, focando em dicas sobre mecânica emergencial para uma prova de MTB. Como o atleta pode lidar com diferentes situações e evitar que um problema comum que ocorre durante uma prova o tire da competição.
A palestra será apresentada pelo técnico Luiz Palaro. Dúvidas serão sanadas, como por exemplo, sobre os freios à disco e tecnologia Dyna-sys. Lembrando apenas que esta é uma palestra e não um treinamento técnico prático.
Já para mecânicos, será uma palestra mais técnica, com um conteúdo mais específico.
A palestra para mecânicos está marcada para ser iniciada às 10h da manhã, no sábado, 16 de abril. O local escolhido foi o Tauá Grande Hotel, palco da primeira etapa da CIMTB 2011.
Quem desejar participar, deve enviar os dados pessoais (Nome completo, RG e endereço) para o e-mail treinamento@shimano.com.br. As vagas são limitadas e a inscrição é gratuita.

Corrida do Milho será dia 15 de maio em Patos de Minas

A Prefeitura de Patos de Minas lançou hoje (30) a edição 2011 da Corrida do Milho. Um café da manhã no Gabinete da Prefeita reuniu organizadores do evento, imprensa e representantes das empresas que apoiam e patrocinam a iniciativa. Na oportunidade, foi anunciada a grande novidade da prova, marcada para 15 de maio: a premiação em dinheiro para os melhores corredores patenses. No total, incluindo os prêmios dos campeões da elite, serão pagos mais de R$ 20 mil.

Corrida do Milho
Corrida do Milho

A caminhada também é outra inovação desta edição e será realizada nos moldes da corrida, com entrega de um chip a cada inscrito. O objetivo da Secretaria de Cultura, Turismo, Esporte e Lazer – promotora da Corrida do Milho – é permitir a participação das pessoas que não correm. A largada de ambas as modalidades será na Avenida Getúlio Vargas, em frente ao prédio do antigo Palácio dos Cristais. A corrida é a primeira, a partir das 8h30.
Inscrição
As inscrições são limitadas a mil e devem ser feitas entre os dias 1 de abril e 10 de maio, na Ducks Sports, onde também devem ser retirados os kits para a prova. O valor é R$20 para os cem primeiros inscritos, R$25 para os 500 seguintes e R$35 para os 400 finais. Todos os inscritos até 7 de maio ganham uma camiseta promocional.
Trajeto
A Corrida do Milho será disputada nos percursos de 5Km e 10Km. O trajeto mais longo inclui uma volta no Bairro Cristavo e o retorno pelas ruas Doutor Marcolino e Major Gote. Já no mais curto, os corredores vão pela Avenida Paranaíba (até a Rua Ouro Preto), contornam a Lagoa Grande e retornam pela Joaquim das Chagas e novamente pela Paranaíba.
O regulamento da Corrida do Milho vai ser disponibilizado no site da Prefeitura de Patos de Minas.
Os patrocinadores do eventos são: Cemil, Caixa Econômica Federal, Unipam, Ducks e Hospital Nossa Senhora de Fátima. Apoio: Patense, NTV, Bombeiro Militar, Polícia Militar, Copasa, Terrena, Ilustra e Sindicato dos Produtores Rurais. Realização da Ducks Sports.
Confira a premiação:
Pelotão geral corrida 10 Km – masculino (elite) e feminino (elite)
1º – R$3 mil
2º – R$1,5 mil
3º – R$1 mil
4º – R$500,00
5º – R$300,00
Pelotão geral corrida 5 Km – masculino (elite) e feminino (elite)
1º – R$ 1,5 mil
2º – R$800,00
3º – R$500,00
4º – R$400,00
5º – R$300,00
Premiação melhor patense
Masculino (elite) 10 Km – R$250,00
Feminino (elite) 10 Km – R$250,00
Masculino (elite) 5 Km – R$200,00
Feminino (elite) 5 Km – R$200,00
Mais informações com Wanderlei ou Paulo Henrique pelos números (34) 3822-9884 e 3822-9664.
Fonte: Assessoria de Comunicação Prefeitura de Patos de Minas
Fotos: Patos Hoje

Silvinho Amorim e Cesar Moura permanecem entre os 30 melhores no Cape Epic

Depois do prólogo de 27 km, e dos três estágios que totalizam 343 km de prova, a dupla Silvinho Amorim e Cesar Moura, permanece entre os 30 melhores atletas do mundo, conseguindo a melhor classificação até o momento entre os brasileiros.

Silvinho Amorim e Cesar Moura permanecem entre os 30 melhores no Cape Epic
Silvinho Amorim e Cesar Moura permanecem entre os 30 melhores no Cape Epic

Ontem, no estágio 2 de 104 km, eles não mantiveram o ritmo dos demais dias e chegaram em 41º na categoria principal e 50º na geral.
Já hoje, no estágio 3 que totalizou 125 km, eles recuperaram as posições perdidas na terça-feira e cruzaram a linha de chegada na 26ª posição na categoria.
Com os resultados acumulados, eles estão em 26º na categoria e 31º na geral, com o tempo acumulado de 17:51.08,4.
Segundo Silvinho Amorim, é uma prova muito dura, a mais dura do planeta. As largadas são às 07h no horário local. Ele diz que no prólogo conseguiram largar no primeiro bolsão das 50 melhores duplas do mundo. A classificação foi por tempo. No terceiro dia, começamos bem a prova e depois de 2h30, começamos a sentir cansados. As pernas não respondiam e perdemos muitas posições.
Ele complementa dizendo que hoje saíram muito bem, e no primeiro ponto de apoio, estavam entre as 20 melhores duplas do mundo. Andaram até com a dupla da TREK. Conseguiram pegar um pelotão e manter o ritmo até ao final, fazendo a 26º posição na categoria principal.
Ele estão esperançosos, mas estão cientes que as corridas são muito duras e com subidas de cascalho e descidas perigosíssimas.
Silvinho agradece seus patrocinadores, Cemil, Giro Sport Center, OCE, Power Bike, Medley, Noispedala e Cia do Corpo.
O calor continua sendo o grande inimigo a ser combatido em Tulbagh Valley, pelos participantes do Cape Epic 2011. Na largarda, o frio é insuportável. Mas com o passar do tempo, tudo frita. Minha pasta de dente, dentro da barraca, virou líquido. Imagino os miolos de quem está fazendo força nesse momento.
Hugo Pradoneto e Robson Ferreira
Hugo diz está muito chateado. A preparação para este desafio foi muito sofrida e depois de uma queda, seu parceiro Robson teve uma intoxicação alimentar logo no primeiro dia.
Mesmo com a desistência de Robson, Hugo segue na competição. Hoje ele fez a 35ª posição na geral, mesmo correndo sem seu parceiro.
A satisfação dele é a dupla Silvinho e Cesar, que mantém a chanche de cumprir a meta da OCE, em ter a dupla mais rápida do Brasil novamente.
Mário Roma e Adauto Belli
A dupla está participando da competição em um tandem. Estão gostando bastante da experiência. Estão sentindo muitas dores nos braços e ombros, pois as descidas são praticamente um down hill. Uma descida de aproximadamente 17 km exigiu muito da dupla, um verdadeiro rali.
Eles estão chamando muito atenção dos gringos. Depois de passarem por dificuldades na segunda-feira, na terça eles recuperaram.
Primeiras colocações
O suíço Christoph Sauser  e o sul africano Burry Stander permanece liderando a competição, com um tempo acumulado de 14:34.13,8.
Entrevista com Silvinho Amorim

Entrevista com César Moura

Assista ao clipe com resumo da terceira etapa do Cape Epic

Silvinho e Cesar lideram a primeira etapa do CAPE EPIC entre os brasileiros

Cesar Moura e Silvinho Amorim
Cesar Moura e Silvinho Amorim

Depois do prólogo de ontem, hoje foi realizada a primeira etapa, que já exigiu mais dos atletas. Sob um sol de 33º, os 1200 atletas percorreram 89 km, com 2050 metros de subida acumulada. Foi a etapa de Saronsberg in Tulbagh.
Silvinho Amorim (Cemil, Giro, Noispedala, Power Bike, Mauro Ribeiro, OCE)  e Cesar Moura (OTG) conseguiram a primeira posição entre os brasileiros. Eles que disputam a categoria principal, cruzaram a linha de chegada em 29º na categoria e 33º no geral, com o tempo de 4:42.53,7. Somando o prólogo, eles estão com 6:00.11,0.
Somando o prólogo e a primeira etapa, eles estão em 24º na categoria principal e 29º no geral.
Robson Ferreira, parceiro de Hugo Pradoneto sofreu uma queda e foi necessário alguns pontos no rosto. Mesmo com o ocorrido, eles completaram a etapa e seguem na competição.
Amanhã é o dia da etapa Saronsberg in Tulbagh – Worcester, uma das mais longas do CAPE EPIC. Eles percorrerão 125 km.

50 dicas para você virar um biker expert – Parte 4

31 O freio dianteiro é o mais eficiente deles. O de trás também reduz a velocidade, mas, como o peso do corpo é transferido para a frente, a eficiência dele cai. Se tiver de brecar de sopetão, jogue o peso do corpo para trás, segure o guidão e module os manetes para que as rodas não travem.

Mais 10 dicas para você virar um biker expert
Mais 10 dicas para você virar um biker expert

32 Braços levemente dobrados funcionam como amortecedores contra choques. Se eles chegam ao guidão exageradamente esticados.
33 troque o avanço do guidão por um menor ou incline-se mais para a frente. Você está no meio de uma descida e a corrente sai para o lado do quadro. O que fazer? Não é preciso sair da bike. Usando o manípulo de mudança da frente, pressione-o não até que passe para o segundo prato, mas quase, e pedale suavemente. Em 90% das vezes, a corrente volta a entrar.
34 Procure levar um elo de engate com você (ou preso à bike com uma fita adesiva) para se a corrente quebrar, consiga repará-la rapidamente.
35 Se ela sair para o lado do crank, não pedale, pois poderá parti-la. Isso porque, provavelmente, ela ficará encaixada entre o prato e o crank, sendo necessário ir lá com a mão.
36 Quando for mudar de marcha, alivie a força nos pedais antes e, especialmente, quando estiver pedalando em uma subida.
37  Se acha que o seu capacete está sujo demais, não coloque-o dentro da água para lavá-lo. Você vai estragá-lo. Use um pano úmido.
38 Se caiu e o selim saiu dos rails, não perca tempo tentando colocá-lo de qualquer maneira. Se o caminho para casa é longo, pegue uma câmera e enrole-a entre os rails e a superfície do selim para que fiquem relativamente fixos até que consiga chegar em casa.
39 Aprenda a lubrificar os cabos. Solte o L (o tubo de alumínio que une os freios) do V-Brake dos freios.
Mova o conduíte, deslizando para cima para descobrir o cabo. Ponha algumas gotas de óleo de teflon especial, vendido em lojas especializadas.
40 Uma das piores avarias mecânicas que pode vir a ter é o desviador traseiro ir “desta para melhor” quando estiver no meio do nada, algo como o seu carro ficar apenas com o ponto morto no meio da estrada.
Solução: se tiver um descravador de corrente, retire alguns elos dela para que a corrente fique fixa em uma só marcha (como se você transformasse a sua magrela em uma singlespeed). Ao menos, conseguirá  chegar em casa.

Diário de Bordo: Trilha em Paracatu

Certo dia o Flávio do Galo incentivou o Luiz Moura de Paracatu a pedalar. O cara gostou da ideia, comprou uma bike e gostou bastante da novidade. Depois de algum tempo, ele convidou o Flávio do Galo e marcaram para 26/03/2011 o Pedal em Paracatu.

A melhor trilha
A melhor trilha

O Flávio falou com o Gleidson e estes reuniram-se com o Bruno, o Geomar e o Euler e mesmo em uma época de chuva, viajaram 200 km para este pedal.
Para formar a turma de 10 companheiros, somaram-se a nós o Mateus, o Tuco, o Zé Maria e um dos maiores conhecedores das trilhas da região de Paracatu, o Rogerinho.
Acho meio difícil falar dos lugares que passamos, pois não conheço nada daquela região. Só sei que já saímos da cidade em trilha, próximo a um clube. Chegamos às margens da BR 040, onde havia muita água. Verdadeiras lagoas. Saímos rasgando aquilo tudo e chegamos a primeira serra. Ah, era só TRILHINHA. Com muuuito cascalho e pedras. Plano praticamente não existia. Ou subia ou descia.
Descemos uma serra de 3 km sem trégua. Um prato cheio para pilotos de Down hill. As curvas muito fechadas foram responsáveis por algumas quedas, mas nada grave. Chegamos então à um córrego. A galera prontamente adentrou-se e fez aquele tratamento de crioterapia. Logo após paramos em uma fazenda e fomos presenteados com uma água trincando de gelada.
Começou então as subidas. No meio desta subida, o Rogerinho, estilo TORA, que andava até com um facão na bike, sugeriu mudarmos o percurso e subirmos outra serra. 7 km de subidas. E que subida boa. Alguns companheiros sofreram um pouco e ficaram sem água.
Chegamos por trilha até à rodovia, onde resolvemos descer a BR num ritmo alucinante. Descidas muito boas. Paramos na biquinha e renovamos as energias com uma água nota 10.
Chegamos a Paracatu por volta de 12h30. Impressionante como todos os horários foram cumpridos de acordo com a programação.
Saímos de Paracatu às 15 horas. Logo nos eucapliptos de P.O., encontramos com o Jorge e um companheiro, que olharam para nosso carro e trombaram e foram os dois ao chão.
Quilômetros depois, encontramos uma grande galera de estradeiros retornando de um treino. Neste momento, quem liderava o treino era o Lazim.
Agradecemos o Luiz Moura, que nos recebeu em sua casa, um verdadeiro hotel 5 estrelas.
E aí galera, o que vocês acharam do pedal. Na minha singela opinião, foi a melhor trilha que já fiz.
Deixe aí seu comentário e vamos manter contato para marcarmos um novo pedal em Paracatu.

Equipe brasileira está de malas prontas para o Panamericano de Mountain Bike 2011

A equipe brasileira de mountain bike já está de malas prontas para o Panamericano de Mountain Bike 2011, que acontece entre os dias 01 e 04 de abril, em Chía, na Colômbia. Representada por grandes atletas do esporte nacional, a esperança de medalha fica para os competidores da Elite Masculina.

Equipe brasileira está de malas prontas para o Panamericano de Mountain Bike 2011
Equipe brasileira está de malas prontas para o Panamericano de Mountain Bike 2011

A equipe será formada por Rubens Donizete, líder do ranking brasileiro de MTB, Edivando Souza Cruz, segundo colocado do ranking, e Ricardo Pscheidt, campeão Brasileiro da modalidade em 2010. Entre as mulheres, Erika Gramiscelli, Julyana Machado e Roberta Stopa representarão o país. Adriana Nascimento, que fazia parte da equipe, não poderá ir e por esse motivo foi substituída pela atleta da categoria Junior Bruna Moura.
“A única mudança da lista inicial é que, no feminino, a Adriana Nascimento não irá. No lugar dela, eu convoquei uma atleta da Junior Feminina, a Bruna Moura. Ela esteve junto com a Jaqueline Mourão no Canadá fazendo algumas provas e é uma esperança nova para o mountain bike feminino”, contou Eduardo Ramires, um dos representantes da comissão técnica brasileira.
Cenário atual – Analisando o cenário atual do mountain bike, Eduardo acredita que as grandes chances de título no Sulamericano da Colômbia ficam mesmo para os homens. De acordo com o representante da comissão técnica, o grande problema entre as mulheres é a dificuldade de renovação de atletas.
“No masculino, nós temos chances maiores, já que a reciclagem de atletas acontece de maneira mais natural. Já no feminino, pelo mountain bike ser um esporte considerado meio bruto, não é toda mulher que encara as dificuldades da modalidade. Então, nós estamos um pouco atrás do nível internacional. A chance de medalha é mais difícil”, afirmou.
Por tal motivo, Eduardo disse que a convocação de Bruna para a competição internacional foi pensada. A Confederação Brasileira de Ciclismo (CBC) está de olho nos grandes eventos internacionais que terão como palco o solo brasileiro e, por tal motivo, quanto mais experiência os atletas conseguirem, mais chances terão nas disputas.
“A Bruna está no primeiro ano de Junior e por ela ter pouca experiência, esse é um dos motivos de nós a levarmos. Queremos que ela ganhe experiência internacional já pensando para frente nas Olimpíadas do Rio, já que para Londres nós teremos uma dificuldade em conseguir uma vaga no feminino”, explicou Ramires.
Confira quem fará parte da Delegação Brasileira de Mountain Bike
Elite Masculino XCO
– Edivando Souza Cruz
– Rubens Donizete Valeriano
– Ricardo Alexandre Pscheidt
Elite Feminino XCO
– Erika Fernanda Gramiscelli
– Julyana Machado Rodrigues
– Roberta Kelly Stopa
SUB 23 Masculino XCO
– Henrique da Silva Avancini
– Sherman Trezza de Paiva
– Frederico Nascimento Mariano
Sub23 Feminino XCO
– Isabella Moreira Lacerda
Junior Masculino XCO
– Luis Henrique Cocuzzi
– Willian Alexi
– Nicolas Sessler
Junior Feminino XCO
– Bruna Moura
Elite Masculino DH
– Markolf Bercholdt
Por Caio Martins – Webventure

Silvinho Amorim e Cesar Moura conquistam o melhor tempo brasileiro no Prólogo do Cape Epic

Silvinho Amorim e Cesar Moura conquistam o melhor tempo brasileiro no Prólogo do Cape Epic
Silvinho Amorim e Cesar Moura conquistam o melhor tempo brasileiro no Prólogo do Cape Epic

Começou hoje a edição 2011 do Cape Epic. Este ano 40 atletas brasileiros estão participando.
A competição é disputada em duplas. A primeira etapa foi disputada hoje, um prólogo de 27 km em Cape Town.
A melhor colocação brasileira foi da dupla Silvinho Amorim (Cemil, Giro, Noispedala, Power Bike, Mauro Ribeiro, OCE) e César Moura, que conseguiram o 36º lugar na categoria principal e 42º no geral, um excelente resultado. Ele percorreram o percurso com um tempo de 1:17.17,3.
Hugo Prado Neto e Robson Ferreira completaram o percurso com apenas 6 segundos a mais.
Em breve mais detalhes. Aguardem.

3º Desafio de Mountain Bike Lavras / Carrancas será realizado dia 21 de abril

Pelo terceiro ano consecutivo, a Triboo do Açai, Trilhas Gerais e Circuito Alternativo estão realizando o Desafio de MTB, entre as cidades de Lavras e Carrancas.

São esperados 200 bikers
São esperados 200 bikers

Em 2009, os bikers, Átila, Renata e Cristóvão organizaram o 1º DESAFIO DE MOUNTAIN BIKE LAVRAS – CARRANCAS. O evento foi um sucesso. As inscrições foram limitadas em 115, e logo foram preenchidas. Em 2010 foram 152 bikers participantes e agora em 2011 a expectativa são pra 200 participantes.
Com um percurso misto de 75 km, sendo 95% de areia, cascalho e terra e apenas 5% de asfalto. A concentração está marcada para a Praça Dr. Augusto Silva, no Quiosque da Triboo do Açai às 06h da manhã. A previsão de chegada está entre 11h e 14h no Camping do Osvaldo.
Serão dois kits: KIT TURISMO (R$20,00) – 3 pontos de água, 1 ponto de frutas, placa de identificação, gel (repositor energético), motos de apoio, ambulância, “carro – vassoura” para eventual resgate do biker e da bike brindes e certificado do “DESAFIO VENCIDO”;  KIT TRANSPORTE (R$ 40,00) – KIT TURISMO + guarda – volumes, caminhão baú para transporte das bikes, ônibus para os ciclistas (retorno à Lavras). Além disso, o participante poderá adquirir a camisa oficial do Desafio no valor de R$ 45,00.
Maiores informações com Jânio – Através dos telefones 3821 – 7141 (Átila), 8803 3821 (Renata), Msn (rkgomes.ta@hotmail), Orkut(Desafio MTB), Facebook (Desafio MTB) ou diretamente na loja Trilhas Gerais ou na lojas da Triboo do Açaí.

Quer participar da etapa de Araxá da Copa Internacional de MTB?

Como falta pouco tempo para o início da única prova Classe 1 do ranking mundial de mountain bike da América do Sul, fiquem ligados para os prazos e instruções para participar da Copa Internacional de MTB e para a Copa Centauro de Amadores.

Quer participar da etapa de Araxá da Copa Internacional de MTB?
Quer participar da etapa de Araxá da Copa Internacional de MTB?

A organização do evento pede para lerem com atenção as regras na página da internet da competição e ficar muito ligado nas redes sociais O processo de inscrição para a Copa Internacional de MTB e na Copa Centauro de Amadores é muito simples. Assim como nos anos anteriores, os atletas podem se inscrever no site da Copa Internacional (www.cimtb.com.br), ou através do Webventure (www.webventure.com.br).
O valor das inscrições é de R$ 45,00 para a Copa Centauro de Amadores e R$ 80,00 para a Copa Internacional de MTB. Categorias Mirim e PNE (Para-desportista) terão 50% de desconto na inscrição.
Dúvidas podem ser sanadas pelo e-mail info@cimtb.com.br ou em nossas redes sociais. No Twitter(@copamtboficial) e no Facebook (www.facebook.com/copainternacionaldemtb).
Atenção para o regulamento no site da Copa
Todos os atletas devem ler atentamente o regulamento que esta disponível no site. Cada nova versão do regulamento com alterações é colocada no site mostrando a data, ou seja, colocamos para mostrar que houve atualização. Portanto,fiquem ligados, não percam os prazos e não deixe de participar da única prova classe 1 do ranking mundial da América do Sul de MTB. Clique aqui e confira o regulamento.
Por que a Copa Internacional de MTB é importante para o esporte brasileiro?
Temos por hábito buscar grandes feitos dos nossos atletas e das competições em que eles participam para valorizar seu trabalho. Se antecipando a isso, a Copa Internacional de MTB, quando nasceu, em 1999, pensou grande e na evolução do Mountain Bike. Ser um evento que ganhasse o respeito dos atletas, novos adeptos e fazer uma prova capaz de valorizar não só quem curte a bike, mas também a nossa privilegiada geografia.
Dentro desse contexto, a Copa Internacional de MTB adquiriu status de grande evento no circuito regional e nacional, mas não se contentou com essa alcunha. Buscou melhorar e atingiu o patamar de ser a única prova Classe 1 da América Latina e fundamental na soma de pontos para classificar o Brasil e um atleta para os Jogos Olímpicos. Todo esse percurso de 13 anos trouxe à tona uma verdade simples e clara: um trabalho feito com afinco e correção leva ao sucesso. Tudo isso é parte de um grande processo de melhoria do mountainn bike nacional que tem na Copa um modelo a ser seguido. A temporada 2011, que contará com atletas de vários países como Argentina, Uruguai, Canadá e até Uganda.
Por Divulgação CIMTB