Diário de Bordo: Pedal Noturno Trilha dos 30 paus 18/03/10

Olá galera do pedal, o que dizer sobre o pedal noturno de ontem? Bom, primeiro eu vou contar uma história. Há uns 15 dias atrás o Juninho me disse que queria levar a galera em uma trilha, mas ele deixou bem claro, é TRILHAAAAA. Aí eu pensei comigo, “a galera ta cansada de fazer trilha do boi, vão gostar.

Nosso astro maior GAGAME se orientando pelos satélites
Nosso astro maior GAGAME se orientando pelos satélites

O tempo foi passando, a moral do Juninho foi aumentando (o cara ficou em segundo na elite do Pedal na Serra no DF) e chegou o dia de sairmos da Star Bike. Então porque não fazermos essa TRILHAAAA inédita no pedal noturno e inédita para a maioria?
Pois bem, cheguei à Star Bike 18h50min. Já havia muita gente. A galera não ficou com medo do temporal com chuva de granizo que caiu na tarde e não ficaram com medo do barro que prometia está.
Já eram 19h08min quando saímos e subimos sentido 30 paus. A galera reuniu-se e contamos. Éramos 27 bikers. Passamos algumas recomendações sobre principalmente o primeiro morro, pois prometia está bem molhado e escorregando. Ficou decidido que o Gleidsson seria o Chilon da vez e o Heber Contador (primo do Alberto Contador e meu parceiro) seria o fecha trilha.
Veja como ficou a canela do Bocão após a briga com o pedal Júnior Baiano
Veja como ficou a canela do Bocão após a briga com o pedal Júnior Baiano

Na primeira curva, uma grande surpresa. Não havia chovido. Descemos tranquilamente e ao chegar ao fim do morro, a primeira desistência. O Miquinho que encontrou conosco quando havia terminado um treino e estava sem lanterna, resolveu voltar. Uma galera ficou para trás. Foi quando o Duracell chegou avisando que seu pai foi encontrar com o atrasado Luis Farol de Lambreta e seu filho Vinícius doidim da meia noite.
Recontamos a galera. 28 bikers. Seguimos pela estrada antiga do P.O. até chegarmos ao milharal, onde descemos. Onde ninguém imaginava que existia uma trilha, pulamos a cerca e subimos umas cavas. O Gagame caiu e teve problemas com sua lanterna e passou a ser iluminado pelos satélites. O pedal-Júnior Baiano do Flávio Lana Bocão arrebentou a canela dele.
O tombo do Lúcio Agrocerrado foi um dos melhores
O tombo do Lúcio Agrocerrado foi um dos melhores

Foi quando o Hebinho começou a falar que seria outra trilha da meia noite. Por alguns momentos eu concordava com ele, pois a aventura parecia não ter fim. Quando vimos o estradão, nos localizamos, pois acredito que ninguém sabia onde estávamos. Só que logo saímos do estradão e era mais trilha. E que trilha. O Lúcio Agrônomo da Agrocerrado, que já fez até a Estrada Real, mas era marinheiro de primeira viagem no Noispedala, comprou aquele terreno.
Na descida das cavas até chegar ao córrego, às maiores surpresas. Os mais experientes caíram. Primeiro o Padrinho Chilon Gleidsson comprou aquele terreno. O Marquinho Caixão que havia muito tempo que não caia, também levou aquele tombasso. E no final, antes de pegarmos o estradão, com apenas 16 km rodados, o Euler Caixeiro Viajante caiu bonito. E o pior foi que ele caiu ao lado do Duracell e ele com aquela voz peculiar gritou: “Ê pamonhaaaaaaaa” e disparou a rir do Euler. A partir daí foi uma risada só. Não teve ninguém que não riu. Até o Euler riu. KKKKKKKK. Vale ressaltar que na descida das cavas o Duracell caiu também.
E para terminar, êÊêÊêÊ pamonhaaaaaaaaaaa!
E para terminar, êÊêÊêÊ pamonhaaaaaaaaaaa!

A partir daí foi só estradão subirmos o morro do milharal, onde o Juninho empurrou os dois meninos e passava a maioria dos bikers.
Então, com base em tudo que escrevi o que posso dizer sobre este pedal noturno? Digo que foi um pedal diferente, pois acredito que 90% das pessoas gostaram muito, mas não foi geral.
Algumas pessoas queriam mesmo é girar pra valer. Mas há um consenso. Essa trilha deve ser boa demais durante o dia.
É isso aí galera, valeu demais! Neste fim de semana teremos mais trilhas e a etapa dupla da Copa Vera Cruz de Ciclismo. Vale a pena conferir e prestigiara galera que pedala e volta com a bike limpinha.
Confira as fotos desta aventura!
[nggallery id=71]

Desrespeito: Ciclovias serão retiradas em Patos de Minas

A rua José de Santana vai passar por mais uma alteração. Para atender os diversos pedidos dos lojistas, que fizeram até um abaixo-assinado, a Secretaria Municipal de Infraestrutura vai retirar a ciclovia que existe no trecho entre a avenida Getúlio Vargas e a rua Major Gote.

Enquanto os grandes centros investem em ciclofaixas, Patos de Minas remove-as. Isto é um retrocesso.
Enquanto os grandes centros investem em ciclofaixas, Patos de Minas remove-as. Isto é um retrocesso.

De acordo com o novo secretário de infraestrutura, Jair Valadão, o trabalho está sendo programado para ser feito no fim de semana. A expectativa é que a retirada dos meios fios que fazem a ciclovia seja feita no menor tempo para não causar transtornos ao trânsito do centro da cidade.
As ciclovias da rua José de Santana são motivo de reclamação. Além de reduzir o espaço para a circulação de veículos, os meio-fios que separam o espaço dos ciclistas causam acidentes entre os pedestres. São muitos os casos de pessoas que tropeçaram e se feriram tentando atravessar a pista.
Com a retirada da ciclovia, a expectativa é, também, de que o trânsito seja mais ágil neste trecho da rua José de Santana que já teve mão dupla, se transformou em calçadão e agora passa por mais uma mudança.
Autor: Maurício Rocha – Patos Hoje

Patenses fazem bonito no Pedal na Serra 2010

No último domingo dia 14 de Março, quatro atletas patenses disputaram em Sobradinho-DF o Pedal na Serra 2010. A prova foi válida na pontuação do ranking nacional com uma premiação de R$ 20.000,00 distribuídos entre os 10 primeiros colocados de cada categoria. Houve participação de cerca de 230 atletas de vários lugares do Brasil.
José Gonçalves que teve problemas com sua bike ficou em 18º lugar na Master A.
Já na Master B, Iata Zape ficou em nono lugar, já subindo no pódio. Sílvio Otávio (Silvinho) que é patrocinado pelas empresas OCE, Cia do Corpo, Medley Escola de Natação, Power bike e Motocar Honda venceu a prova na categoria Master B, inclusive ele fez o melhor tempo de todas as categorias, exceto atletas da elite.
Estreando na categoria Elite em competições deste nível, Junio Alves Vieira, atleta Cemil, que por sinal será o guia do Pedal Noturno de hoje, fez bonito. Ele ficou em segundo lugar na categoria mais disputada da prova.
Nossos parabéns aos atletas patenses e vale ressaltar que eles estarão disputando agora a Copa Vera Cruz de Ciclismo nos próximos dias 20 e 21 de Março. E dia 28 de Março é a vez da Copa Internacional de Mountain Bike em Araxá. Força e sucesso aos atletas patenses.
Os resultados completos da competição você pode conferir no site da Sistime. http://www.sistime.com.br/rel_calend.asp?pub=1303

Júnio Alves atleta Cemil em segundo lugar na Elite
Júnio Alves atleta Cemil em segundo lugar na Elite

Sílvio Otávio em primeiro e Iata Zape em nono na Master B
Sílvio Otávio em primeiro e Iata Zape em nono na Master B

Vídeo-cobertura do Enduro do 15º BPM 2010

O Vídeo ficou bacana demais galera. Vale a pena conferir e ver o que os competidores superaram para completar a prova. Eu mesmo que participei fiquei surpreso com todas as adversidades que tivemos que superar.
Nossos parabéns ao Renato Amaral que até então não era ciclista e fez uma cobertura excelente. Valeu demais!
A sétima edição do enduro do 15º BPM foi marcada pela determinação dos organizadores e a raça dos competidores. Em uma manhã de temporal como a muito tempo não se via, cerca de 210 competidores fizeram do sétimo enduro do Batalhão a melhor de todas as edições.

Engenheiros usam tecnologia de F1 em bike

Trazendo a tecnologia dos carros de corrida para mais perto da nossa realidade (mas ainda muito longe), os engenheiros da Fórmula 1 criaram uma bicicleta que, de convencional, só tem o formato. Desenvolvida fora dos padrões regulamentados pela UCI (União Internacional dos Ciclistas), o órgão gestor do esporte, a bike tem de tudo para ser a mais avançada tecnologicamente do mundo.

Bf1 systems, que faz chassis de F1, venderá a Factor 001 em abril. Custando US$ 34 mil, ela conta com aparatos jamais vistos em bicicletas
Bf1 systems, que faz chassis de F1, venderá a Factor 001 em abril. Custando US$ 34 mil, ela conta com aparatos jamais vistos em bicicletas

A Factor 001 possui diversos dispositivos eletrônicos integrados para fornecer as principais informações necessárias para o ciclista, desde frequência cardíaca e temperatura da pele a pressão atmosférica e umidade do ambiente.
O sistema correlaciona os dados biométricos do passeio, os dados físicos da bicicleta e os dados meteorológicos e faz uma análise em tempo real. Antes, isso só era possível em laboratório. Todas as informações são gravadas por um computador e podem ser usadas em seguida para estudos e comparações.
A bike também possui um sistema de GPS integrado, que rastreia a posição geográfica do usuário e o ajuda a chegar ao local desejado. Tudo isso é visualizado em uma tela touchscreen montada no guidão. Além disso, os freios são de cerâmica e são acionados hidraulicamente, deixando as frenagens mais precisas.
Fisicamente, a Factor 001 não difere muito das bicicletas tradicionais. E isso é espantoso, já que tanta tecnologia prevê fios, cabos de controle, baterias, tudo aparente. Mas seus componentes são bastante sofisticados e bem integrados ao corpo da bike, o que dá a ela uma aparência limpa e organizada.
Alegando que cada atleta é diferente do outro, a bf1systems – empresa que projeta e executa a parte eletrônica e de chassis da F1 – vai confeccionar a bicicleta sob medida para o comprador e com suas preferências no design, como a possibilidade de ter seu nome gravado no guidão.

Além de tudo, ela é quase toda feita de fibra de carbono. O material a torna mais leve – pesa apenas sete quilos –, além de mais rígida e durável do que as bicicletas convencionais, geralmente feitas de aço ou alumínio.
Este fator, associado a todas as tecnologias da Factor 001 – e, é claro, ao peso do nome Fórmula 1 – deu ao produto um valor altíssimo de venda: US$ 34.000. A bike vai começar a ser comercializada em abril deste ano, para um número seleto de compradores.
por Redação Galileu com dica da leitora Samira Alexandre Machado

Diário de Bordo: Pedal Noturno Trilha Aragão e Rivalcino 11/03/10

O Diário de Bordo hoje será redigido em conjunto. Pelo Magela e Pelo Bruno Fernandes. Eram 18h50min quando cheguei (Magela) na Nuty Suplementos e encontrei a galera quase toda lá. Achei estranho, mas logo percebi o motivo da pontualidade do pessoal naquele dia. Era o tratamento vip dado pelo Daniel e Eliane, proprietários da nossa parceira Nutry suplementos,  que serviu uma maltodextrina athletica de uva geladinha, isso sim é que é malto.

28 bikers em mais um pedal noturno
28 bikers em mais um pedal noturno

As 19h05min saímos da Nutry, com destino a Av. JK com energia de sobra para os 38 km que viriam pela frente. Chegando ao posto São Cristóvão, encontramos o Marquinho Caixeiro Viajante que havia chegado de viagem fazia 15 minutos e o Bruno com o novato Renato Amaral, usando a camisa da seleção Brasileira, pronto para seu primeiro pedal noturno e sem capacete (não existe capacete de ciclismo que caiba em sua super mega ultra cachola). Já que era a semana do Dia Internacional da Mulher, a Luciana Toyopatos veio representando a ala feminina do noispedala.
Na avenida JK ainda, próximo à Autopatos  recebemos mais dois novatos. O Luis Farol de Lambreta e seu filho Vinícius. O menino é da turma do Duracell. Pedala muito o garoto.
Presença de pais e filhos nos pedais noturnos
Presença de pais e filhos nos pedais noturnos

Seguimos até a entrada das Molas Americanas quando contamos a turma, 28 no total. Ficou decidido que o Padrinho Gleidson seria o Chilon da vez e o Kuririn fecharia a trilha. Logo atravessamos a BR 365, pegamos a estradinha. O Magela estava na bike do nosso amigo Cricelle, uma specialized epic  e não acreditava na perfeição da suspensão traseira, que trava e destrava automaticamente dependendo do terreno. Como ele é um cara solidário resolveu compartilha o prazer que sentia e passou a epic para o Carlos Campos (mecânico de cérebro e coluna). Pedalaram uns 2 km com a bike dele, como ele não falava nada no sentido de destrocar as bikes, o Magela deu um jeito de arrebentar a corrente dele.
Não havia nenhum mecânico desta vez e após uns 20 minutos consertando a corrente seguimos sentido Aragão. Antes de chegar à granja, o Mateus do Dolor pensou que era o Lazim e foi passar um mata-burro pedalando e foi aquele tombo. Era a bike pra um lado, ele para o outro e lanterna caiu dentro do mata-burro.
Repare ao fundo as luzes da cidade
Repare ao fundo as luzes da cidade

Atravessamos a BR 365 novamente e na subida tranqüila após pular a porteira, chegou o momento de apreciar a cidade. Como é bonita a vista lá de cima. Depois de tanto sofrimento, pois eram 38 km e havia muitos iniciantes, deu início à descida. Nenhum incidente, até que a corrente do Carlos Campos resolve arrebentar novamente.
Ficamos mais de 30 minutos arrumando. A maioria da galera resolveu ir embora, pois faltavam apenas uns 500 metros de terra.
É isso aí galera. Foi um pedal muito agradável e a turma está muito boa.
Quinta-feira tem mais. Não perca e chame seus amigos.
Confira as fotos deste pedal noturno.
[nggallery id=70]

Diário de Bordo: Trilha Topo do Mundo 13/03/10

O diário de bordo mais uma vez ficou para o Euler Caixeiro Viajante.
Marcamos as 07h30min com saída da Praça da Wolks. Chegando à praça observamos que o Zé Gonçalves da Star Bike, Juninho e o Iata estavam preparando para viajar para uma competição em Brasília, todos chegaram no horário menos o guia da trilha Kuririn. Enquanto esperávamo-lo apareceu o Fabiano Spaço doido para ir mais deu porque tinha compromisso com trabalho.

Galera de sábado no "Topo do Mundo"
Galera de sábado no "Topo do Mundo"

Até que enfim o Kuririn chegou e saímos subindo a Major Gote. Quando descíamos ao lado da Coopatos eis à primeira desistência Felipe com problemas no pneu de sua bike.
Continuamos nossa trilha. Antes de começar a descer a Secretária, o Vanim Star Lanches furou o pneu. Com tudo resolvido continuamos a trilha. No final da secretária onde é bem perigoso, o Robinho descendo bem tranqüilo como de costume, infelizmente a suspensão dele travou em baixo não teve retorno. Deu um capote que todos ficamos preocupados. Ele ficou até sem fala.
Acabamos de descer e o Robinho resolveu voltar. Fomos todos unânimes na decisão de voltar com ele, mas o Robinho não aceitou e acabou voltando sozinho.
Continuamos a trilha com expectativa da chegada no Topo do Mundo. Quando chegamos foi só risada da galera, pois quinze dias atrás o Fabiano Spaço havia levado a galera para conhecer esta trilha. De acordo com ele não conseguimos chegar ficou totalmente perdido. E o pior que ele levou a galera no lugar certo e nem havia notado.
Continuamos a trilha com sentido Arraial dos Afonso. Tudo normal voltamos pelo cemitério paramos no corregozinho para pegar água subimos até a estrada do Sumaré e voltamos pela Marabá.
Tive com o Robinho depois, ele foi ao Médico tirou radiografia das costelas e felizmente não deu nenhuma fratura e ele já está de volta à sua vida de ciclista normal.
Veja as fotos desta aventura!
[nggallery id=69]

Cobertura: Enduro Cemil Soy 2010

Luiz Antônio Matias foi o vencedor na categoria Livre perdendo apenas 69 pontos
Luiz Antônio Matias foi o vencedor na categoria Livre perdendo apenas 69 pontos

A segunda etapa da Copa Cemil de Enduro 2010, denominada Enduro Cemil Soy foi realizada na manhã de ontem em Patos de Minas. A largada e a chegada foram no Clube da Aspra, onde os competidores e familiares tiveram a disposição a estrutura completa do clube. O percurso foi de 16 km para a categoria iniciante e 20,5 km para as categorias Duplas PRO e Livre.
Logo dentro do Clube da Aspra, já havia o primeiro balaio. Terminado o primeiro obstáculo, havia uma descida muito forte onde a galera não afinou. De aí para frente era um balaio atrás do outro, fazendo que todas as categorias permanecessem praticamente juntas.
O destaque fica para a organização e infra-estrutura, a quantidade de participantes (havia mais de 100 atletas das cidades de Patos de Minas, Patrocínio e João Pinheiro) e principalmente o clima de harmonia que estava entre os participantes. Há uma safra nova de atletas que estão iniciando ou mesmo aqueles que haviam até 10 anos que não participavam e estão voltando à ativa. Deve ser destacada também a equipe de João Pinheiro que contava com 12 atletas.
O Magela parou a galera para proferir uma palestra?
O Magela parou a galera para proferir uma palestra?

Vários problemas aconteceram, pois é um trecho muito técnico e com bastante espinhos. Teve atleta que completou o percurso correndo com a bike nas costas.
Depois de 02h47min os primeiros competidores chegaram ao Clube da Aspra, completando assim um belo percurso. No enduro de regularidade, o segredo é cumprir o percurso dentro do tempo estipulado na planilha. Vence aquele que perder o menor número de pontos.
Como era previsto, houve diversas surpresas no pódio. A entrega de troféus aos vencedores das três categorias proporcionou uma grande festa para os amantes do Mountain Bike patense. Os organizadores fizeram uma avaliação positiva da competição e comentaram que o nível dos competidores subiu muito de um ano para outro.
Fabiano Spaço e seu ultra-moderno road book bucal
Fabiano Spaço e seu ultra-moderno road book bucal

Confira a cobertura do evento feita pela NTV


Clique aqui e veja as fotos desta competição
Não deixe de comentar. Queremos saber a sua opinião sobre o Enduro Cemil Soy.
Confira como ficou a classificação da segunda etapa da Copa Cemil 2010

Categoria Duplas PRO

N. Nome Total
709 Vitor Babilônia e Marco Túlio Barcelos 89
710 Jeferson Eugênio Mendes e João Paulo dos Santos / Stop Sound Car 102
735 Fabiano Soares Correia e Angelo Wander Ferreira / FC Imóveis e Água e Terra 135
726 Bruno Fernandes e Heber Araujo / Noispedala.com.br e araujocontabil.com 183
704 Renato dos Reis Costa Sorin e Pablo fernandes 229
727 Iuri Scoton e Arnaldo Júnior / Nutrifitness 247
788 Cleiton Lopes e Edgar Borges 343
705 Newton Rodrigues Ferreira e Welington José Ferreira / Perovita Uniformes 352
700 Amarildo Cruz da Silva e Adiney Araujo Pacheco 354
10º 740 Eder Lopes do Couto e André Luiz A. Silva 428
11º 778 Renato Amaral e Pedro dos Reis / Banco do Brasil e Pneus União 482
12º 772 João Marcos Gonçalves e Marcos Vinícius 556
13º 719 Valdimir Fontes e Rogério Correa / Careca Materiais de Construção 571
14º 708 Daniel Fernandes e Kleverson Lima 584
15º 711 Angelo Nascentes e Flávio Augusto Bocão / Lana Mayrink 748
16º 779 Marcos Carvalho e Herlley de Sousa Gonçalves / POWER BIKE 788
17º 703 Euler Teixeira de Carvalho e Criscelle Costa Silva / Power Bike 804
18º 714 Michel Nunes e Herbert Rodrigues 897
19º 732 Filipe Loss Zielinsky e Eduardo Marques de Souza Zielinsky 1375
20º 771 Wagner Batista e Lucas Vieira 1423
21º 713 Magno Gomes da Silveira  e Renato da Silva Borges / Pastelaria da Nadia 1726
22º 730 Célio dos Reis Batista e Mateus Labate Garcetti / Band Bike 2141
23º 780 Luis Carlos e Vitor Cunha 4780
24º 729 Ségio Zago e Vitor H N Pereira / Pivodrip 18000
Categoria Livre

N. Nome Total
521 Luiz Antônio Matias 69
500 Marco Tulio Ferreira (Gagame) / Água de Cheiro 100
516 Eduardo Pedro / Jofran 180
504 Gleidson José de Oliveira / Ludyele Confecções 276
511 Bruno Cesar Marola / Doces Momentos Bomboniere 288
540 Flávio André Martins 321
555 Fabiano Machado / Spaço Comunicação Visual 386
530 Thiabo Boaventura 435
517 Roger Rodrigues Nunes / Odontopatos 461
10º 581 Samuel Oliveira 471
11º 551 Humberto Fayner de Oliveira 572
12º 530 Cassio Jesirel 8598
13º 0 Paulo Roberto Neto 19800
14º 0 Euler Cesar de Lima 19800
Categoria Duplas Iniciante

Nome Total
659 Daniel Hevert de Oliveira e André Luiz de Oliveira 153
624 Rogério Caetano e Davi Dias / Auto Center José da Silva 204
631 Herculano Paulista e Júlio Cesar de Oliveira 219
605 Elvano Dias (Vandinho) e Heitor Menezes Dias / SOS Celular 280
625 FLAVIO ROGERIO DE MOURA e AGUILAR MANOEL CAIXETA 289
601 Weuler Caixeta Piau e Gabriel Martins Caixeta Piau / Equipe Poligrotas 307
613 João Victor Gomes Mundim / Luis Rodrigo Santos Mundim (Restaurante do Rivalcino) 319
616 Roberto Moreira Rodrigues e Gabriel Rodrigues Nunes / Odontopatos 481
765 Sirlanio Caetano Nascentes e Joaquim Rodrigues Ramos / Corpo de Bombeiros 589
10º 673 Gustavo Henrique e Humberto Silva 607
11º 635 André Luís Peres e Gabriel H. V. Peres / Patos Caminhões 1207
12º 672 Renato Cardoso e Iver Gonçalves 2629
13º 606 Alvaro Henrique Bahia e Welington Soares / Agua de Cheiro/NTV e Nossa FM/Setta 2984
14º 656 Daniel Soares e Bruno Henrique 3879
15º 0 Reginaldo Nunes da Silva e Carlos Rafael de Deus Rocha / Transnunes 12600

Etapa dupla da Copa Vera Cruz de Ciclismo movimenta cidade

Acontecerá nos dias 20 e 21 de março em Patos de Minas a segunda e a terceira etapa da Copa Vera Cruz de Ciclismo.
No dia 20 (sábado), a modalidade será Contra-Relógio com largada marcada para as 16horas no trevo da Pipoca (Saída para Belo Horizonte). O percurso será de 7 km.
Já no dia 21 (domingo), haverá prova de resistência (estrada) na Rodovia Leal-Major Porto que se inicia no KM 388 da BR-365. A largada está marcada para as 08h30min e serão 80 km para as categorias Elite, Master A, Master B e Sub 30. Já para as categorias Júnior e Estrante serão 40 km.

Banner Copa Vera Cruz - 2ª Etapa
Banner Copa Vera Cruz - 2ª Etapa

As inscrições podem ser realizadas na Star Bike (34) 3814-2606 ou momentos antes das provas. O valor para disputar uma etapa é de R$ 15,00. Já para disputar as duas etapas o participante deverá desembolsar R$ 25,00.
Haverá alojamento disponível para os atletas que vierem de outras cidades no Ginásio do Patos Tênis Clube. É necessário confirmar presença com antecedência e trazer roupa de cama.
A premiação será através de medalhas oficiais da competição do primeiro ao quinto lugar em cada etapa e em dinheiro do primeiro ao terceiro lugar somando a pontuação das duas etapas. O valor total da premiação em dinheiro será de R$ 1500,00.
Mais informações com o Zé Gonçalves nos telefones (34) 3814-2606 e (34) 8815-2691.