Diário de bordo: Pedal noturno Cenourinha e Dólar

Bom dia, boa tarde e boa noite a todos os visitantes. Aqui quem vos fala é Bruno Fernandes, responsável mais uma vez pelo Diário de Bordo, pois o irresponsável que havia assumido o compromisso de redigir essa semana faltou.

Recorde quebrado. 35 bikers no pedal noturno.
Recorde quebrado. 35 bikers no pedal noturno.

Comecemos pelos telefonemas e telegramas recebidos justificando ausências. O Magela telefonou dizendo que por motivo de viagem não poderia participar, e desejou a todos uma ótima trilha. Por telegrama moderno (MSN) o Hebinho informou que não poderia ser o redator do diário de bordo devido a afazeres profissionais e políticos. O Gleidsson que seria um dos guias também por motivo de viagem, justificou a ausência e informou que semana que vem está firme. O Lelé por motivos educacionais, morais e cívicos não pôde matar aula de novo. E finalmente o Franguinho que justificou sua ausência com base nas quedas consecutivas que ocasionou um leve amassado em seu rabo.
Então damos início efeito ao diário de bordo que infelizmente não será tão bacana como a pedalada noturna, pois ninguém caiu, ninguém errou caminho e não aconteceu nenhum fato extraordinário.
Quando cheguei à Power Bike, já percebi que o recorde de bikers seria quebrado. Fiquei muito satisfeito em ver que havia muitos companheiros novos. As calçadas estavam tomadas de bicicletas e ainda havia gente para chegar.
Eram 19h03min quando saímos pela Rua Major Jerônimo, sentido balão da Wolks guiados pelo Euler Caixeiro Viajante e pelo Herlley da Power Bike. A quantidade de bikes em fila indiana me surpreendeu. Subimos a Major Gote, pegamos a Marabá e logo no posto do primeiro balão, onde paramos e contamos a galera. 35 bikers. Com o recorde quebrado, descemos pelas ruas do Enduro do Milho 2009, chegando até o local onde estava o último PC do mesmo enduro. Foi quando demos o início da subida do Cenourinha, onde fomos ver quem pedala de verdade. Muita gente não agüentou e acabou empurrando um pouco. Mas afinal tinha gente que tava fazendo a primeira trilha. Força galera! Não desanima não.
No mesmo momento que o Kuririn tava no final do morro, ele descia e subia novamente, registrando a galera. Cada pedalada era um flash. Mais uma vez houve a tradicional disputa de quem tem a lanterna mais forte. Houve algumas discordâncias, mas quem  ganhou foi o Luis do São Lucas, vencendo na final o Coelho 38 Bala. Quando chegamos ao Posto Cometa, paramos para algumas pessoas abasteceram suas garrafinhas e fizemos a foto oficial. Neste momento sete bikers, voltaram acusando que tinham compromisso. Tudo bem, a gente perdoa.
Minutos depois saímos em direção ao estradão e a galera aproveitou a ausência do Cacique Magela e entrou na contramão na rodovia, evitando fazer o trevo. Certeza que terá advertência. Seguimos pelo estradão, todo mundo unido e o papo rolava forte. Viramos sentido Dólar e na descida, a bicicleta do Bocão da Lana Mayrink parecia um touro. Gineteava para todos os lados e o Bocão ficava firme em cima da bike. Por incrível que pareça ninguém caiu na descida do dólar.
Não vou falar do Marquinho da funerária, pois o cara deve ta cansado dessas brincadeiras. Mas fica o registro desse novo companheiro. Chegamos à BR e advinha quem tava lá novamente? A Gata Seca. Veja ela nas fotos quem ta com vontade de conhecê-la.
Entramos pela pista da estrada agrícola sonhando com uma pizza. Chegamos à Star Lanches do nosso amigo Vaninho e tomamos conta de sua garagem com bikes. Impressionante a quantidade. Ficou bonito. Vejam só:
Tá parecendo o depósito de bikes furtadas
Tá parecendo o depósito de bikes furtadas

Estavam lá nos esperando à família do Luis do São Lucas e o Hebinho, que ficou lá reclamando por não ter conseguido participar do pedal.
E quando estávamos saboreando a deliciosa pizza do Vaninho, eis que a chuva muito pedida por todos nós, dá a graça de irmos molhando até chegarmos em casa ensopados.
Gostaria muito de citar o nome de todo mundo que pedalou hoje e contribuiu para a quebra do recorde, mas é impossível. Então você que pedalou e leu até aqui, deixe seu comentário sobre o que achou do pedal. Você que não pedalou, deixe seu comentário também e venha pedalar com a galera do noispedala.
Clique aqui e veja as fotos do pedal noturno da subida do Cenourinha e descia do Dólar.

20 comentários sobre “Diário de bordo: Pedal noturno Cenourinha e Dólar”

  1. Eh…. quem ñ foi perdeu, a trilha eh bem tranquila; por ñ oferecer perigo e eh considerada a mais light dos arredores… e o melhor; soh tinha gente boa.
    Felizmente ninguem caiu… ñ teve bike kebrada… ninguem “piô o galo”… td ocorreu em paz. Esperamos q na proxima semana batemos mais um recorde novamente d bikers… vamo deixa d preguiça e vamo pedala.
    Eh isso ai… força no pedal!!!
    MTB na Kbça…
    Rock n`Roll na veia
    Abrç…

  2. Fala aí galera, ta ficando bom em vamos bater o record semana que vem. Parabéns ao meu amigo Vaninho pela receptividade e uma exelente pizza. O Hebinho já deixou a sugestao vamos para o rodizio semana que vem (rsrsrs). O Magela ta perdendo em, mais também ta sofrendo uma merecida férias
    Abraço a todos do nóis pedala e até a próxima.

  3. Ué Djavu, vc não tá sabendo? Ele trocou a specialized dele numa crossinha e saiu com a ideia de atravessar o Brasil pedalando. Já passou por BH, Juiz de Fora e Rio de Janeiro.

  4. Eita porra galera do pedal primeira vez ki fui no pdn e adorei noto 10
    to firme quinta feira que vem de novo!!!!
    adrenalina da descida do dolar é inacreditavel ainda mais eu ki tava sem lanterna e quase tronbei numa vaca !!!
    abraço

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.