Diários de bordo

Diário de Bordo: Trilha Arraial dos Afonsos e Sertãozinho 10/12/2009

Andrade, guia destaque do Brasileirão e Marco Túlio, guia destaque do Noispedala
Andrade, guia destaque do Brasileirão e Marco Túlio, guia destaque do Noispedala

Hoje o Diário de Bordo foi escrito em conjunto, pois foram tantos eventos que é impossível escrever todo o texto sozinho. Aqui quem vos fala é o companheiro Bruno Fernandes e o companheiro Hebinho, e já digo que as linhas abaixo serão surpreendentes. O que aconteceu em um mês nos últimos pedais noturnos, não chega nem perto dos acontecimentos registrados ontem. Ontem foi extraordinariamente ANIMAL.
Já eram 18h57min quando o tempo firmou e o Bruno não consegui “enforcar” o pedal noturno, tentou inúmeras vezes conseguir a desistência do Luis e do Hebinho, que disse que iria no pedal noturno de qualquer jeito e iria esperar-nos no Posto Caiçaras.  Antes de sair, já notamos a ausência não justificada do nosso guia Zé Gonçalves Star Bike, que nos colocou em uma grande aventura. Ficou definido que os guias seriam o Thiago New Bike e O Marco Túlio Gagame. 19h15min nós saímos sentido trilha dos Borges.
Subimos a Av. Marabá com 14 bikers. A chuva desanimou muita gente. Logo em frente à Coopatos o Pablo Bike Street voltou, deixando assim o grupo com 13 bikers.
Entramos na terra e logo no primeiro morro (de cascalho) o Vitor Bike Street, que estava com uma bicicleta sem marchas e somente com freio trazeiro caiu feio. Mas seguimos o trajeto. O Bruno, o Sérgio e o Celinho Band Bike desceram pelo estradão. O Gagame que estava estreando bike nova desceu por um caminho mais radical ainda.
Descemos a secretária sem registro de nenhum tombo. Logo após a descida, o Hebinho escorrega e toma aquele tombo. Foi só o primeiro da noite. Rodamos mais um pouco e o pneu do Thiago New Bike furou. Ele disse que tinha mais de um ano que não furava. Quando chegamos na estrada sentido Sertãozinho, a primeira indecisão. Para onde vamos? Resolvemos seguir em frente já guiados pelo Gagame. Eu estava observando que estávamos rodando muito, mas como estávamos todos satisfeitos e unidos, fomos tranquilos até chegarmos na Vila de LOST como disse o Hebinho. Sim, já estávamos na EPAMIG. Foi quando foi lançada a ideia de voltarmos pela rodovia. Mas todos disseram que íamos voltar pela terra mesmo. Subimos os morros próximos ao Sertãozinho, o pneu do Robson Barriga Verde fura. Paramos e trocamos mais um.
Seguimos o caminho até chegarmos em uma fazenda onde o Robson conheceu o senhor Zezinho que prontamente nos doou uma rapadura, e que com certeza salvou muita gente. O Celinho Band Bike caiu quando eu (Bruno) já estava segurando a bike e quase me levou ao chão também. A rapadura foi o incentivo que faltava para entrarmos literalmente no buraco. O Gagame que demonstrou ser um líder exemplar nos colocou em umas trilhas excelentes e quando a galera parou para dizer que chegaria mais tarde que o comum, o Gagame gritou: “Olha aqui galela” e enrolou com sua bike e foi aquele tombo também. Ele queria só tirar uma foto, mas seu tombo foi o mais engraçado da noite. Ele era mais humilde quando não era nosso líder. Ele sempre dizia que era da “Zelite” e que ano que vem nos enduros ele não vai na categoria dos “rôia” mais.
Na descida antes de chegar ao Arraial dos Afonsos, o Hebinho toma outro capote quando estava a uns 50 Km/h e vai parar a uns 5 metros da bike. A bike do Felipe (Sobrinho do Xandinho) começou a travar e sua corrente parecia uma mola de tão torta que tava. O Thiago em um ato solidário sem saber da gravidade disse que uma revisão resolvia. Paramos para arrumar e o Celinho e o Thiago mesmo sem alicate conseguiram resolver, depois de o Felipe empurrar um bocado. Em uma dessas paradas o Celinho cai mais uma vez. O Sérgio Pivodrip mostrou o resultado das aulas de RPM na subida do Arraial, deixando muitos muleques para trás. Até agora não sei se o chama Alisson ou Sebastião, pois toda hora alguém chama ele de “Tião.
No estradão a galera mostrou força no pedal e quando chegamos no trevo para tirarmos algumas fotos, pasmém já eram 23he50min.
Fica registrado também que o Luís farol de carreta não caiu nenhuma vez e nem foi preciso da esposa dele trabalhar de reboque desta vez. O Ângelo ENGESET também passou ileso nesta aventura, apesar de ter comido meia rapadura.
Acreditem nessa trilha aconteceu de tudo, porém o companheirismo prevaleceu. Chegamos no final da Marabá às 0h10min.
É isso aí galera, o pedal noturno de ontem foi excelente. Quem não foi perdeu. E amanhã, vamos todos participar do Enduro a Pé. Ou estão com medo de concorrer com a gente?
As fotos não são muitas, mas vale a pena ver. Clique aqui e veja as fotos desta aventura.
Quem não está acreditando pode conferir o trajeto que fizemos no GPS do Sérgio Pivodrip.

Previous ArticleNext Article

19 Comments

  1. Galera se arrependimento matasse!!! Olhava o tempo todo pela janela e nada de chuva e ficava lembrando de onde poderiam estar pedalando. Agora não adianta chorar, fazer o que.

  2. A pedalada foi muito bacana e com muita história pra contar, aconteceu de tudo. Por algum tempe até pensei que estavamos perdidos era 10:30 descendo uma serra e não tinhamos certeza se era o caminho certo…. foi um show a pedalada quem não foi perdeu….até a próxima

  3. hahaha mais o GAGAME e um verdadeiro MASCOTE da turma nao foi por motivo de uma forte dor de garganta mais viva ao proximo (pedal noturno)adorei o diario de bordo agora com GPS ficou mais filé abracao a todos fique na paz e viva saude no pedal …..

  4. O lance do gps eu levei por acaso, mas foi legal, podíamos incorporar sempre que for trilha nova. Daí pinta um novo cargo: “Navegador”, é o cara que vai gravar a trilha, se for nova, ou navegar sobre uma trilha já gravada, para evitar uns certos erros de trajeto.
    Agora, as fotos ficaram lamentáveis, que saudade do Kuririn!
    O pedal foi ótimo, diversão e descontração pura.
    Vou ficar uns tempos fora, mas eu janeiro tô dentro de novo.

  5. Gente!!!…vcs são mt loukos…chegaram as 0h10min…isso ñ pode galera!!!
    Pedal noturno deve ser rápido e divertido…e aconteceu td ao contrário; vcs demoraram pra karamba e ainda passaram por um trabalhão na trilha.
    Espero q no proximo night bike esteja com um tempo melhor… d preferencia mt seco; ñ sou muito fã d barro e trilha molhada rsrsrs…
    E eh isso!!!…nos vemos na kinta com akele msm proposito d sempre… fzr novos amigos,pedalar,se divertir e tirar umas fotos legais.
    Abração

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *