Entrevista: Raiza Goulão fala sobre sua carreira e o Campeonato Mundial de MTB

A emocionante vitória de Raiza na etapa de Divinópolis da CIMTB.
A emocionante vitória de Raiza na etapa de Divinópolis da CIMTB.

A atleta Raiza Goulão, bicampeã Pan-americana e Brasileira de MTB, nos concedeu uma entrevista contando sobre como é deter títulos em dois eventos de grande importância para qualquer atleta do ciclismo profissional. Com apenas 22 anos, a ciclista esbanja profissionalismo e conhecimento ao dar sua opinião sobre o ciclismo no país e fala um pouco de sua carreira. Ser representante da Seleção Brasileira de MTB é sinal dos seus esforços e reconhecimento merecido no esporte.
Raiza começou no mercado de trabalho com 16 anos, e durante esse período obteve um interesse em montar uma bike para passeio e diversão. Aos poucos foi gostando do esporte e se apegando, até que, no final de 2009 resolveu participar de uma prova de MTB em Pirenopólis–GO, sua cidade natal. Durante a prova chegou a pensar em desistir e nunca mais pegar a bike pois o sofrimento era grande, mas assim que cruzou a linha de chegada a sensação de superação foi inexplicável e inesquecível. Isso foi o que realmente a fidelizou nesse mundo do ciclismo, onde profissionalmente segue desde 2012 na equipe Soul Cycles.
Essa atleta vem tendo destaque nas competições nacionais e internacionais. Mas o evento que está visando desde o início da temporada é as Olimpiadas de 2016.
“Este é o meu objetivo a longo prazo, tracei com meu treinador Cadu Polazzo. Ano que vem começamos o ciclo olímpico onde pretendo participar e quem sabe poder passar uma temporada realizando competições internacionais onde irei adquirir um ritmo de corrida maior e ter condições de buscar resultados para o Brasil.”
Bicampeã pan-americana, conquistado na disputa em Tafi Del Valle, na Argentina que  motivou ainda mais essa atleta ao voltar para casa e se dedicar em seus treinos. Dedicação que a consolidou como uma grande atleta promissora a conquistar um ouro olímpico na elite feminina da Seleção Brasileira.
“Fico muito feliz em poder participar da seleção brasileira de MTB, onde esse ano contamos com 3 provas internacionais e de grande ajuda a todos nós atletas convocados. Espero poder continuar trazendo grandes títulos ao nosso país e quem sabe vitórias internacionais. Acho que buscar uma medalha olímpica é um sonho surreal, mas acho que devemos sempre nos dedicar e sonhar grande. Serão 2 anos longos de provas onde teremos que conquistar muitos pontos para nossa nação e buscar uma vaga no feminino, e espero poder contar com o apoio da CBC nessa missão.
Em duas oportunidades, Raiza sentiu uma sensação indescritível: na vitória da Copa Internacional de Mountain Bike e ao finalizar na Copa do Mundo como top 6.
A CIMTB é o maior evento que temos em nosso país, onde contamos com uma grande estrutura. Segundo a atleta onde podem aproveitar ao máximo a estrutura que o evento os proporciona, além de contarem com algumas pistas bem legais.
“Buscar essa vitória  é sempre um sonho, e quando conquistamos, a sensação é indescritível, pois ali você está competindo com os melhores atletas de nosso país. Contamos com toda a mídia do mountain bike, então as notícias correm e é muito legal poder contar com essa estrutura. Além de contarmos com um ambiente rodeado de atletas e  equipes, todos convivendo no mesmo local. Acho que é um exemplo para as demais provas que acontecem no Brasil.”
Pan-americano 2013. Créditos: Divulgação.
Pan-americano 2013. Créditos: Divulgação.

Estar entre as 6 melhores do mundo: “Apesar de perder a 5º colocação de bobeira, mas acho que o que conta também é a experiência que adquiri e fiquei muito feliz. Pois eu estava competindo em uma das pistas mais técnicas que conta nos circuitos das Worlds Cups. Em 2011 fiz a 17º e este ano consegui a 6º colocação, isso só me motivou e me provou como estou conseguindo crescer no MTB. Espero um dia poder voltar com a medalha de ouro”.
Um grande diferencial é que Raiza nunca se deixa abater, independente dos imprevistos que se passa nessa vida de atleta, onde ela afirma não ser nenhum mar de rosas, porém a paixão é muito maior. Essa paixão que alimenta a sua garra de relevar várias situações no MTB.
Definindo sua trajetória ela diz: “Além de ter passado uma fase de transição complicada, agora já conto com uma equipe muito legal onde tenho meu treinador e o acompanhamento do nutricionista Mario Flavio Cardoso. Me dedico aos treinos 7 vezes por semana, onde só tiro um dia de OFF e pratico Yoga. O contato com meu treinador é muito frequente para traçarmos nossos objetivos de acordo com meu calendário de provas, e já com o nutricionista, mantenho sempre pois considero fundamental a alimentação, pois é um combustível para nós atletas.”
Um dos trechos técnicos da pista do Campeonato Mundial de MTB.
Um dos trechos técnicos da pista do Campeonato Mundial de MTB.

A maior conquista na vida relacionado a bicicleta: “Bicampeonato do Pan-Americano e a vitória da etapa da CIMTB em Divinópolis.” Maior desafio em sua carreira: “A 6º colocação na World Cup, pois ali estavam muitos atletas do Canadá, onde pensei que não andaria bem e elas conheciam o circuito de olhos fechados. E a vitória em Divinópolis esse ano pois foi uma prova muito disputada.”
Objetivos da carreira: Olimpíadas 2016 e 2020. Ser campeã brasileira na Elite Feminina. Top 10 do Mundo e pegar um pódio no Mundial.
Opinião sobre o MTB nacional: “Acho que só está crescendo cada vez mais, onde está caindo no gosto do povo. É um esporte que necessita de muito mais apoio e mídia envolvida também para podermos sermos vistos e reconhecidos em todo o Brasil. Mas é um esporte onde temos contato com a natureza, fazemos sempre novas amizades e conhecemos lugares incríveis onde somente a bike nos leva.”
Recado para aqueles que desejam almejar bons resultados no ciclismo: “Sempre gosto de dizer para sempre corrermos atrás de nossos sonhos, mesmo que passemos por barreiras. Devemos saber contornar as situações e fazer a nossa paixão pela bike ser maior e não se acabar. Sempre digo a mim mesma: DEDICAÇÃO, DETERMINAÇÃO, SUPERAÇÃO E FÉ.”
Atleta de ponta, nomeada com uma das melhores do mundo devido seu potencial,  Raiza Goulão está na concentração para nessa sexta-feira competir com muita determinação o Campeonato Mundial de MTB na África do Sul. O seu primeiro contato com a pista não foi muito agradável mas já esta revertendo a situação.
“Ontem tinha me assustado, voltei para o hotel bem desmotivada, pois a pista é bem técnica e feita praticamente inteira a mão para nós atletas. Com grandes drops, rock garden, onde me surpreendeu por não contarmos com tais obstáculos destes em nosso país. Mas hoje dei uma volta na pista onde já pude analisar outras linhas e ver melhores opções de encarar todos os desafios com confiança.”
Raiza acha que será uma prova muito dura. Além de contar com as melhores atletas do mundo, o clima está muito seco e quente, e ela está demorando a se adaptar. Mas esperamos como ela que possa finalizar a prova entre as top10. Sabe que é um objetivo muito difícil, mas é isso que vai focar e concentrar.
Lema: “Andar com fé eu vou, porque a fé não costuma falhar.”
Raiza Goulão, atleta que hoje pudemos notar que é ousada e determinada. Seu foco em um objetivo é a visão do horizonte para alcançar seus sonhos. A equipe Noispedala agradece sua atenção e pode ter certeza que poderá sempre contar com o nosso respaldo e de todos seus fãs e amigos. Boa sorte campeã, sucesso e tudo de bom em sua vida.
A categoria Sub 23 onde terá a presença dessa atleta promissora vestindo a camisa do Brasil terá a largada as 8 horas da manhã , nesta sexta feira (30/08), segundo o horário de Brasília. Vamos acompanhar e torcer para que ela possa conquistar mais um resultado inédito para o Brasil.
Por Giovanna Soares

CIMTB Sauípe: inscrições abertas. Garanta sua vaga

CIMTB Sauípe
CIMTB Sauípe

Foi dada a largada para a quinta e última etapa da CIMTB 2013. Entre os dias 04 e 06 de outubro, o Sauípe, Bahia, sediará a grande final da Copa Internacional Levorin de Mountain Bike (CIMTB). Serão três dias de provas para a Super Elite e Elite Feminina. Na sexta, os atletas da elite encaram um desafio Contra Relógio (XCT). A prova de Short Track (XCC) promete esquentar os ânimos dos bikers durante o sábado. No domingo, dia 6, será realizada a prova da grande final no formato maratona (XCM) para todas as categorias da CIMTB e Copa de Amadores.
Pela primeira vez o Sauípe será sede de uma etapa da Copa. Diferente da etapas anteriores, o circuito da grande final irá proporcionar todos os tipos de terreno para os atletas: terra, matas selvagens, praias, lagos, campo de golfe, rios estão no caminho do bikers  que terão que percorrer cerca de 6 quilômetros da pista de MTB.
As inscrições para a etapa vão até o dia 22 de setembro com valores promocionais. Quem não correu em nenhuma etapa deste ano também pode se inscrever e sentir a emoção de pedalar no maior evento esportivo da América Latina. Para fazer a inscrição é fácil: clique aqui e siga o passo a passo até o final. A inscrição só será confirmada após o pagamento do boleto bancário. Não fique de fora!

INSCRIÇÕES PROMOCIONAIS ATÉ 22 DE SETEMBRO

Copa Internacional de MTB – Elite Masculina, Sub23 e Elite Feminina (3 dias de prova)
Para quem estiver hospedado na Costa do Sauípe R$ 180,00. Para o atleta que não ficar
hospedado na Costa do Sauipe R$ 475,00 incluindo a inscrição e Day Use com café da
manhã, almoço e café da tarde nos três dias de competição.
Copa Internacional de MTB – Todas as outras categorias
Para quem estiver hospedado na Costa do Sauípe R$ 100,00. Para o atleta que não ficar hospedado na Costa do Sauipe R$ 165,00 incluindo a inscrição e Day Use com café da manha, almoço e café da tarde domingo
Copa de Amadores
Para quem estiver hospedado na Costa do Sauípe R$ 65,00. Para o atleta que não ficar hospedado na Costa do Sauipe R$ 130,00 incluindo a inscrição e Day Use com café da manha, almoço e café da tarde domingo.

TREINAMENTO NO COMPLEXO DO SAUÍPE

O atleta que quiser treinar no sábado de 11h às 16h30, curtir a praia e acompanhar as provas da Elite, deve adquirir um Day Use especial no valor de R$ 65,00 incluindo café da manhã, almoço e lanche da tarde.
Cada atleta pode levar um acompanhante pagando R$ 65,00 pelo Day Use e isso deverá ser adquirido no momento da inscrição. As demais pessoas pagarão R$ 100,00 pelo Day Use com café da manha, almoço e café da tarde incluído ou R$ 170,00 pelo Day Use All Inclusive (alimentação e bebidas) no resort.
Para mais informações, acesse o regulamento
Por Assessoria CIMTB

Campeonato Mundial de MTB: Ricardo Pscheidt fala sobre a pista e sua expectativa

Image (c) BOOGS Photography
Image (c) BOOGS Photography

World Championship South Africa 2013, o Campeonato Mundial de MTB, uma das competições mais fascinantes do ciclismo, este ano será realizado em Pietermarirzburg, na África do Sul e os atletas representantes da Seleção Brasileira já estão concentrados.
O atleta Ricardo Pscheidt, nos contou um pouco sobre sua expectativa para essa competição.
“Estou vindo de uma maratona de competições. São quase 2 meses competindo todos os finais de semana, sendo que no último mês senti o cansaço acumulado da rotina de viagens e competições, mas ao mesmo tempo, depois da etapa da Copa do Mundo no Canadá, senti que meu corpo começou a mostrar sinais de recuperação. Mas o fato de estar aqui na África do Sul representando a Seleção Brasileira é uma motivação a mais. O mountain bike brasileiro, mesmo que devagar, vem demonstrando evolução nos últimos anos. Espero então que eu tenha como expectativa melhorar a minha posição em relação ao mundial do ano passado na Áustria, onde fui o melhor brasileiro colocado na Elite, na 43º posição. Espero que todos os demais atletas da seleção façam ótimos resultados, pois todos vêm de um ritmo muito bom e de resultados expressivos em provas internacionais, neste último ano.”
A temida descida com troncos de árvores atravessados. Na foto: Hélio Vilela
A temida descida com troncos de árvores atravessados. Na foto: Hélio Vilela

Atleta experiente e determinado está confiante para sua participação neste sábado (31). Hoje a pista foi aberta para que os atletas pudessem treinar e reconhecer todos os detalhes dessa emocionante aventura.
Pscheidt disse que a pista está ótima. O clima é muito seco, lembrando os terrenos de Minas Gerais. Segundo ele, o mais complicado são duas descidas de rock gardens e uma com troncos de árvores atravessados, no qual ainda está receoso e irá treinar mais para se adaptar e se soltar com confiança nesse obstáculo na tarde de sábado. Na pista há muitas partes rápidas dentro dos eucaliptos e subidas longas.
Podemos prever que será muito interessante essa competição. Vamos acompanhar pelo site da UCI e torcer por esses campeões. Na elite masculina teremos além do Ricardo Pscheidt, os atletas: Rubens Valeriano, Sherman Trezza e Henrique Avancini.
Nós da equipe Noispedala desejamos a todos os atletas uma excelente prova e que possam conquistar resultados inéditos para o Brasil. Boa sorte e vai com tudo, pois talento você tem e muito Pscheidt.
Por Giovanna Soares

TV Noispedala CIMTB: DVD online da Maratona Internacional de Congonhas

Fala galera. Trazemos mais uma vez na íntegra o DVD da etapa de Congonhas da Copa Internacional de MTB. São cerca de 45 minutos do mais puro e técnico MTB.
Para você que participou ou deseja conhecer a maior competição do mountain bike brasileiro, é um prato cheio.
São imagens de bastidores, dos pontos turísticos de Congonhas, largada, prova, premiações. Assista aí galera. Foi feito para vocês.
Imagens: Renato Amaral
Edição: Bruno Fernandes

CIMTB: Isabella Lacerda e Henrique Avancini são os campeões da Cidade dos Profetas

Henrique Avancini
Henrique Avancini

O desafio já começou na largada, os bikers tiveram que enfrentar de cara a ladeira do santuário do Bom Jesus do Matosinhos, uma subida íngreme em pedra-sabão que complicou bastante a vida dos nossos campeões. Com destino a fazendas e trechos da estrada real, mais de 1500 bikers partiram para uma pedalada de 57 quilômetros para SuperElite e Elite Feminina, e 37 quilômetros para a Copa Amadores.
No caminho os atletas tiveram que lidar com vários tipos de terreno: cascalho, asfalto, lama e paralelepípido. Pneu furado, câmbio quebrado e tombos tiraram alguns atletas da competição antes do tempo previsto. Além de contar com o equipamento, o atleta também precisa estar bem fisicamente para encarar uma maratona de MTB (XCP).
Todos os fatores estavam contra Henrique Avancini. O atleta não teve tempo de se preparar exclusivamente para Congonhas, chegou de viagem na última quarta-feira após competir no Canadá, e ainda teve que lidar com a inflamação na garganta e o câmbio estragado que lhe tiraram o primeiro lugar do atleta. “Em um trecho da prova colidi com um atleta de outra categoria e sofri uma queda forte, depois disso o câmbio não funcionou direito e eu tive que vir com mais cuidado para conseguir chegar até o final”, comenta.
Por ser uma prova de maratona, o ciclista prefere pedalar em grupo, mas durante determinados pontos o grupo permite que um atleta faça a fuga, e neste momento ganha quem tiver experiência. “A prova foi sofrida, mas ainda bem que eu consegui render bem. Tentei seguir com alguns atletas do grupo, mas em certo momento acabei levando a prova sozinho mesmo”, explica o campeão.
Avancini tem motivos de sobra para comemorar a vitória de hoje (18). “Já fui terceiro, segundo e hoje primeiro, e assumi a liderança no campeonato. Então, domingo perfeito”, comenta sorrindo. E no pódio teve cara nova e fizeram bonito, e deixaram os favoritos para trás. Com um intervalo de tempo de 48 segundos para o primeiro colocado, Mário Antônio Veríssimo cruzou a linha de chegada em segundo lugar, seguido de João Paulo Firmino que conquistou o terceiro lugar do pódio. Rubinho Valeriano perdeu a liderança da Copa ao chegar em 6º lugar.
Isabella Lacerda
Isabella Lacerda

Entre a mulherada teve gente que gostou da experiência do ano passado e pegou o primeiro lugar do pódio novamente. Isabella Lacerda disparou no penúltimo trecho e apontou na ladeira sozinha, cruzando a linha de chegada com 2h30de prova. “Eu, Raiza, Stopa e Erika fomos juntas até a metade da prova. Em um momento a Erika tentou atacar e eu fui junto, depois acabei colando nos meninos e a partir daí foi só esforço até o final. Pensei que não fosse conseguir subir a ladeira por causa das câimbras, mas maratona é isso mesmo. No ano passado meu pneu furou no final da prova, e hoje eu pedi a Deus para que desse tudo certo, e deu”, comemora a líder que mal conseguia falar de tamanha felicidade e cansaço físico.
E não foi só o primeiro lugar da elite feminina que teve repeteco. Raiza Goulão e Erika Gramiscelli terminaram a prova deste ano com a mesma colocação de 2012, segundo e terceiro lugar respectivamente. Erika Gramiscelli considera a prova de maratona como um grande desafio. “Consegui levar a prova até certo ponto, depois acabei perdendo posição. Mesmo assim estou feliz com o terceiro lugar, esse ano o tempo ajudou bastante, tinha pouca poeira, e agora é preparar para arrebentar no Sauípe”, analisa a atleta que é pentacampeã da CIMTB.
E a decisão vai ser no calor da Bahia. A grande final será realizada entre os dias 4 a 6 de outubro em três dias de provas para a Super Elite e Elite Feminina. Isabella Lacerda ou Erika Gramiscelli? Rubinho Valeriano ou Henrique Avancini? Até a bandeirada final, tudo por acontecer.

Confira todos os resultados

Desafio da Ladeira- Uphill

Maratona de MTB (XCP)

Copa de Amadores

Por Paula Isis e Stephanie Gomes

CIMTB: Rubinho Valeriano e Raíza Goulão conquistam o Desafio da Ladeira

As mulheres da Elite Feminina no alto da ladeira.
As mulheres da Elite Feminina no alto da ladeira.

Apesar da baixa temperatura que atingiu a cidade de Congonhas na noite de sexta (16), o público compareceu na ladeira da Basílica Bom Jesus do Matosinhos para acompanhar a prova de Uphill.
Feras do MTB nacional, e o suíço Lukas Kaufmann, pedalaram os 500 metros da pista que terminava aos pés dos Doze Profetas de Aleijadinho. O circuito formado por pedra-sabão exigiu muita técnica dos 33 bikers que suaram muito para terminar a prova com o melhor tempo. “O terreno é bem irregular e as pedras nos obrigam a gastar muita energia”, explica a campeã do Desafio 2013, Raíza Goulão.
Raíza foi a grande surpresa da noite. “A prova foi bem dura. É a primeira vez que participo do Uphill e minha intenção era usar todo o gás que pudesse até o final. Agora é esperar a prova de domingo para conseguir uma boa classificação também”, comemora a atleta.
Com uma diferença de apenas seis segundos, Isabella Lacerda cruzou a linha de chegada em segundo lugar, apesar de ter chegado em Congonhas quase no horário da prova. “Eu fiquei presa na estrada por causa das manifestações da BR-040 e já estava desesperada. Pedi ao pessoal que me deixasse passar para participar do desafio. Minha sorte é que encontrei uma pessoa da cidade que me guiou por um caminho alternativo e eu consegui chegar a tempo”, analisa.
Rubinho Valeriano venceu na Super Elite Masculina e somou importantes pontos.
Rubinho Valeriano venceu na Super Elite Masculina e somou importantes pontos.

Entre os homens, Rubinho Valeriano se destacou e fez o melhor tempo: 2 minutos e 32 segundos. “Essa prova é bem pesada. Eu vim com a bike trepidando o tempo todo, mas consegui encaixar a marcha certa e conquistar o primeiro lugar. As pernas estão dando choque até agora. E agora é descansar para arrebentar no domingo”, enfatiza.
A etapa de Congonhas já está em sua nona edição e já conquistou fãs como o sinaleiro, Willian Stefani, que sempre prestigia o evento com a família. “Gosto muito de assistir as competições de mountain bike e para subir essa ladeira a galera tem que ter força nas pernas. Sempre venho assistir e trago meus filhos”, explica.
Os pontos do desafio podem ser decisivos para definirem os campões da temporada 2013.

Confira a classificação do Desafio da Ladeira 2013

Categoria Masculina

Classificação Número da placa Tempo Nome
1 02 2:32 Rubens Donizete Valeriano
2 01 2:35 Ricardo Pscheidt
3 09 2:41 Henrique da Silva Avancini
4 10 2:45 Sherman Trezza
5 03 2:47 Frederico Mariano
6 05 2:49 Mario Antonio Oliveira
7 12 2:53 Douglas José Luiz Neto
8 04 2:56 Lucas Kaufman
9 06 3:02 Rodrigo Silva Rosa
10 08 3:07 Guilherme Saad Alves
11 07 3:15 Gilberto Goes
12 11 3:16 Daniel Grossi

Categoria Feminina

Classificação Número da placa Tempo Nome
1 03 3:20 Raiza Goulão
2 01 3:26 Isabella Lacerda
3 08 3:36 Erika Gramiscelli
4 02 3:40 Roberta Stopa
5 05 3:52 Liege Silva
6 04 4:07 Leticia Jaqueline Soares
7 06 4:32 Valeria Aparecida
8 07 4:39 Maria Helena de Paula

Confira as fotos da prova

[nggallery id=488]
 
Por Paula Isis, Assessoria CIMTB 

Entrevista: Lukas Kaufmann, atleta da equipe Focus/OCE Racing Team

Atleta suíço da elite masculina é uma das grandes promessas para destaque nas próximas competições aqui no Brasil.

Lukas Kauffman disputando uma prova de Sprint Eliminator
Lukas Kaufmann disputando uma prova de Sprint Eliminator

Tivemos a honra de conversar com esse ciclista determinado e apaixonado pelo Brasil. Lukas Kaufmann, esse é o cara que deixou seu país e veio com tudo representar a equipe Focus/OCE Team e fazer a diferença pelos cantos brasileiros.
Antes de representar uma equipe brasileira em 2013, o atleta era de uma equipe Internacional , a alemã Fuji- Rockets. Por essa equipe, já tinha vindo ao Brasil em 2010 competir o Brasil Ride na Bahia, e nessa competição gostou até que então retornou em 2011 e 2012.
“Gostei muito do Brasil por ter um toque diferenciado da minha terra. As pessoas, a comida, os ciclistas, tudo é diferente e muito agradável. Logo após o Brasil Ride em 2011, resolvi fazer um passeio para descansar no Rio de Janeiro, e então decidi mudar de vez para esse país em Setembro de 2012. Vir para o Brasil mudou muito minha vida, estou muito feliz. Conheci minha namorada e moro atualmente em Belo Horizonte, e desde quando cheguei vi que aqui irei construir nossa família se Deus quiser.”
Lukas Kaufmann vem de uma família onde todos gostam de conviver com a magrela. Com apenas 7 anos de idade, foi pedalar em uma trilha incentivado por seu pai. Ai então o gosto se concretizou e hoje é esse atleta talentoso e promissor.
NOISPEDALA : Lukas, quais as modalidades do ciclismo que mais te atraem?
Lukas: XC e Sprint Eliminator. Agora estou começando a fazer mais maratonas também.
Qual a diferença para você representar uma equipe Brasileira invés de uma Equipe Internacional?
Na Equipe Internacional eu estava mais focados nas provas internacionais, como a Copa do Mundo e as provas na Europa. Já quando mudei para o Brasil e consegui uma equipe nova fiquei muito feliz, pois agora irei aprender com um país totalmente diferente, onde tudo é novo, as provas e lugares diferentes. Na verdade cansei de lá e estou muito ansioso aqui no Brasil. A galera da bike é top.
Qual o maior objetivo de carreira?
Estou fazendo um bom trabalho com o Hugo Prado Neto da OCE, já consegui melhorar bastante e conseguir bons resultados. No futuro quero manter esse trabalho e fazer sucesso nas corridas principais, como a Copa Internacional ou Brasil Ride. Quem sabe talvez em uma prova grande fora do País. O que é muito importante para mim é gostar do que faz, e isso já faz sucesso.
Qual o seu ponto de vista em relação ao ciclismo aqui no Brasil em relação as provas Internacionais?
O esporte está crescendo muito no País, já notei que o nível esta bem mais alto que no ano passado e os melhores atletas do Brasil estão entre os tops do Mundo, como o Avancini que já mostrou isso com a vitória na Corrida Internacional na Alemanha.
Agora tem vários atletas com o nível forte e isso vai aumentar ainda mais o nível do ciclismo aqui, mas agora tem que fazer experiência nas provas internacionais.
Você em 2012 competiu a etapa da CIMTB em Divinópolis pela equipe da Alemanha?
Sim, foi a minha primeira prova da CIMTB. Antes de vir para essa etapa eu participei da Copa do Mundo, fiz todas as provas na Europa. Já estava morando no Brasil, mas não definitivo.
Em relação a sua participação na CIMTB esse ano, como você caracteriza?
Em Araxá foi minha primeira corrida em 2013, assim foi muito difícil fazer uma prova boa. O ritmo foi muito forte e não consegui andar com os melhores. Em São João Del Rei tinha um dia ótimo e depois de várias provas ainda fiquei forte, terminei a prova em 3º lugar e não tinha pensado que iria conseguir isso. O nível no Top 10 é alto, assim é muito interessante, e também não foi sempre o mesmo vencedor. A CIMTB é top demais. O percurso é técnico, moderno, ideal para assistir e até porque os gringos participam.
O suíço Lukas Kaufmann
O suíço Lukas Kaufmann

No Sprint Eliminator você sempre vem se destacando muito e sendo considerado promissor. Mas na etapa de Divinópolis você sofreu uma queda e muitos consideram que isso te desanimou para a prova. O que realmente você diz sobre o ocorrido?
Eu não desanimei, mas machuquei muito e não me senti bem. E também tava um pouco gripado mas tentei fazer o melhor. Na prova não fui mal, consegui ficar entre os top 8, mas sofrendo muito de dor. Na última volta eu furei o pneu no meio do mato. Mas no sprint eliminator, sempre pode acontecer uma coisa, porque é no limite mesmo, percurso foi rápido e com areia no asfalto, o que é muito perigoso.
E o que você espera para a etapa de Congonhas ?
Em congonhas vai ser tudo um pouco diferente. O sprint vai ser na subida, nunca fiz uma prova assim, será uma experiência para minha carreira e por ser a noite será um espetáculo e a prova principal será uma maratona. Já mudei meu treino pra esse tipo de prova ,estou pronto e vou para Congonhas com tranquilidade. Eu espero que tenha umas trilhas. O percurso parece ser bem duro, vai ser muito interessante na Elite e vou tentar fazer uma prova constante e inteligente.
Qual a prova mais importante da sua carreira?
Foi o Campeonato Europeu em 2009, que fiquei em 3º Lugar na Sub 23.
Já que você se apegou ao Brasil participando do Brasil Ride, creio que irá competir esse ano novamente. Correto?
Sim, esse ano irei com meu parceiro Hugo Prado Neto, e com uma preparação muito melhor.
Há algum objetivo que tenha planejado na sua vida que queira ainda conquistar?
Desejo construir uma família em que meus filhos possam praticar também o ciclismo e poder conhecer vários lugares do Brasil e do Mundo carregando sempre o ciclismo como incentivo. Seria ótimo se meus filhos gostassem de pedalar, porque o mais importante que fariam o pai mais feliz por vê-los felizes.
Lukas Kaufmann, nós da Equipe Noispedala adoramos conhecer um pouco mais sobre seu mundo e seus objetivos. Desejamos tudo de bom para você, e principalmente para que a sua nova vida aqui no Brasil possa ser recheada de grandes concretizações e com muita alegria.
Obrigado pela disponibilidade, e atenção com nossa equipe.
Por Giovanna Soares

CIMTB: Confira as dicas para ter um bom desempenho em Congonhas

Copa Internacional de MTB 2012 - Congonhas MG
Copa Internacional de MTB 2012 – Congonhas MG

As feras do MTB têm um grande desafio pela frente: pedalar por 57 quilômetros na quarta etapa da Copa Internacional Levorin de mountain bike. A galera da Copa Amadores vai suar um pouco menos, afinal o circuito é um pouco menor, 38 quilômetros.
A organização da CIMTB selecionou dicas para quem deseja ter um bom desempenho e ainda levar pra casa aquela sensação de dever cumprido, além da satisfação em participar de um prova de maratona no maior evento de mountain bike da América do Sul.
O trânsito no percurso
Os atletas precisam ter um cuidado especial durante o trajeto da maratona. Em muitos trechos do percurso existe tráfego de automóveis. Por isso, é indispensável que todos os atletas tenham atenção com o trânsito e trafeguem somente pela direita. O respeito às leis de trânsito é uma das obrigações dos atletas em provas no formato maratona.
IMPORTANTE: As placas de MUITO PERIGOSO! DEVAGAR estarão sinalizando os “mata-burros” que são bastante comuns na região durante o percurso.
Hidratação e alimentação para a prova
Aconselhamos que os atletas levem água para hidratação, apesar dos quatro pontos da organização na pista. A hidratação e reposição energética são fundamentais para garantir o bem estar do atleta.
Meio ambiente e os atletas
A organização pede para os atletas terem consciência ecológica e não jogarem nenhum tipo de lixo no chão. Nos pontos de água espalhados pelo percurso é permitido jogar lixo. O atleta que for flagrado jogando lixo na pista será punido pela direção de prova.
Controle de passagem no percurso
Teremos dois controles de passagem no percurso. O atleta terá que parar e colocar o pé no chão para receber a marcação. Só serão marcados aqueles que respeitarem o procedimento. Quem não receber a marcação será desclassificado.
Categorias DUPLAS – vejam as categorias no regulamento
Os atletas das categorias duplas não precisam estar juntos nos controles de passagem e na chegada. Porém, o tempo será marcado quando o segundo atleta passar.
Área de apoio e apoio aos atletas
O atleta que receber apoio fora da área determinada será desclassificação imediatamente. Caso um atleta ajude um colega, a desclassificação é imediata para os dois. Na categoria de dupla a ajuda entre os atletas da dupla é permitida.
Comunicação na pista e câmeras
Não é permitido nenhum tipo de comunicação de rádio ou celular entre os atletas e entre atletas e suas respectivas equipes. O atleta que estiver se comunicando será desclassificado. Não é permitido, também, o uso de fones de ouvido e câmeras no capacete ou bike na prova .
Apoio mecânico
Teremos duas áreas de apoio mecânico da organização sendo uma no PC 30 e o Suporte Avançado da Shimano antes do PC 46.
Resgate de atletas no percurso
Em caso de desistência recomendamos que o atleta fique próximo a uma pessoa da organização para que o resgate seja providenciado.
Largada e tempo de prova
O início das largadas está marcado para as 9h30. A prova será encerrada às 14h na área de apoio. Todos os atletas que chegarem a partir deste horário serão desclassificados e devem abandonar a prova. Aqui, em nosso site vocês  encontram a planilha com os horários e percurso detalhados de cada categoria.
Premiação  
Todos os atletas que completarem a maratona ganharão medalha. Elas serão entregues após a bandeirada de chegada. Fiquem atentos: a premiação da prova será 14h30. Os atletas que não estiverem no pódio perderão o prêmio e a medalha.
Numerais dos atletas (costal e bike) – IMPORTANTE
Todos os atletas devem estar com seus numerais (costal e bike) instalados para a prova. O atleta que chegar na entrada do bolsão, sem um dos numerais, não poderá entrar. O regulamento prevê que o atleta receberá na primeira etapa um par de números (costal e bike) que serão utilizados em todo o campeonato (cinco etapas) obrigatoriamente. O extravio ou perda acarretará o pagamento de R$ 10,00 para aquisição de cada placa, entretanto os números danificados serão trocados pela organização, sem ônus para o atleta, desde que o material danificado seja entregue à organização na secretaria.
Entrada nos bolsões de largada – IMPORTANTE
Depois de confirmar a inscrição na secretaria do evento, o atleta deve se dirigir a entrada do bolsão referente à sua categoria. Todos os bolsões estarão identificados. Recomendamos que não deixem para a última hora, pois não há atraso. O atleta que alinhar, na categoria errada e largar, será desclassificado.
Categorias CIMTB que farão percurso menor – IMPORTANTE
As categorias PNE (Para-desportista), Over60, Sub60, Sub55, Sub17 e Sub 15 farão o percurso de 38 km, junto com os amadores. A responsabilidade de pegar o caminho certo na divisão de percurso (para esquerda no PC 10) é do atleta, mas faremos algumas ações para orientar. As outras categorias da CIMTB farão o percurso de 57 km e devem entrar a direita na divisão do percurso. Fiquem atentos!
Alinhamento dos 15 primeiros no bolsão de largada
Os atletas que estiverem entre os 15 primeiros colocados de cada categoria devem se identificar na entrada do bolsão ao responsável. O posicionamento deve ser feito à frente dos atletas da sua categoria, logo na entrada, pois não será feita a chamada posterior como no cross country. Na categoria SuperElite, chamaremos os 40 primeiros atletas de acordo com o ranking da CIMTB. Se houver atletas internacionais, eles serão posicionados de acordo com o ranking da UCI.
Ducha para atletas e lava-bike 
A organização instala todos os anos várias duchas para os atletas atrás da Romaria. Essas duchas são simples e tem a função auxiliar para o atleta lavar a sujeira superficial da prova. Os lava-bikes serão instalados ao lado das duchas.
Máscara hospitalar
Devido ao período de seca, os atletas podem sofrer com a poeira em determinados trechos da maratona. Para evitar incômodos quanto a respiração, a CIMTB aconselha que os atletas levem máscara hospitalar.
Por assessoria CIMTB