Diário de Bordo: Pedal Noturno Trilha do Cemitério do Arraial 25/03/10

Aqui quem vos fala é o companheiro Bruno Fernandes. Já eram 19h04min quando cheguei ao ponto de encontro da semana, a Power Bike do nosso amigo Herlley que em breve estará com um site bem bacana. A galera já estava presente. O Euler Caixeiro Viajante e o Luis Farol de Carreta já haviam ligado preocupados com o meu atraso.

Galera subindo a Marabá

Galera subindo a Marabá

Na saída houve algumas trocas de funções. O Gleidsson Ludyele Confecções passou a ser o guia e o Euler Caixeiro Viajante fecharia as porteiras e acompanharia os meninos. O fotógrafo por livre e espontânea pressão foi o Cadu Sagra.

Tudo preparado para a saída, eis que 100 metros depois o Flávio Bocão percebe que o pneu estava vazio. Enchemos mais ou menos para ele pedalar até a Star Bike onde o Zé Gonçalves tava fazendo cerão. Pneu do Bocão cheio e prosseguimos sentido Avenida Marabá. Chegando ao Posto Caiçaras encontramos com o Banhão.

Já no início do Estradão do Sumaré, algumas pessoas resolveram ir ao Posto Cometa completar as garrafinhas. No retorno do posto, o Fábio Lana que era a primeira vez que ia a um pedal noturno, passa por uma “tartaruga” sinalizadora no asfalto e compra aquele asfalto (já que não era terra). Alguns machucados no joelho e mão. Ele resolveu voltar.

Descendo o morro

Descendo o morro

Seguimos e descemos o morro antes da Valoriza. Nenhum incidente. Tudo sob controle. Quando chegou para descermos até ao Cemitério do Arraial, resolvemos mudar o roteiro, pois já estávamos uns 30 minutos além do tempo regulamentar.

Passamos na estradinha acima do cafezal e chegamos ao morro ao morro do Arraial dos Afonsos. A galera tá cada dia mais treinada. O Pedro ficou enrolando um pouco, mas depois de uma injeção de ânimo ele subiu o morro bonito.

A galera reuniu novamente no fim do morro, já no estradão do Sumaré. Seguimos todos juntos até ao Posto Cometa aonde vimos que ainda tava cedo. O Luis Farol de Carreta foi abordado por um policial pensando que ele estava de moto na contramão, visto a potência de seu farol de carreta.

O barulho que ouvimos ao final seria deste cachorro?

O barulho que ouvimos ao final seria deste cachorro?

No início da estrada do Cenourinha paramos para ouvir uns gritos estranhos. Cada pessoa pensou que era uma coisa diferente. Seguimos a trilha e logo depois o pneu do Bruno Fernandes furou. O engraçado é que a câmara reserva dele também tava furada. Aí o Renato Amaral emprestou uma para ele.

Chegamos então a decida do Cenourinha onde o Herlley foi o último a sair e o primeiro a terminar. E olha que a lanterna dele não tava lá essas coisas. O cara desce muito.

Faltava então só subir o morro da Agroceres, onde no final cada um já foi pro seu lado.

É isso aí galera! Esse foi o primeiro pedal noturno sem nossa estrela maior Gagame que por motivo de força maior não pode está presente no pedal, mas estava lá no ponto de encontro. Deve ter sido por isso que foram somente 23 bikers.

Vai ser um fim de semana com poucas trilhas em Patos de Minas, pois a galera vai toda para Araxá curtir a Copa Internacional de Mountainbike. Para você que fica, curta nossa cobertura aqui no Noispedala.

Confira as fotos deste pedal noturno.

[nggallery id=76]

Compartilhe

Comentários

3 Comentários para Diário de Bordo: Pedal Noturno Trilha do Cemitério do Arraial 25/03/10

  1. Edson disse:

    Trilha muito boa…
    tirando akeles grito akela hora parados la….
    tava de boa…
    😀

  2. Iuri disse:

    macumba da braba!

  3. jeferson disse:

    quando vai ser a prosima trilha?????

Deixe o seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *