Diário de Bordo: Pedal na Chapada Diamantina, abril de 2011

Feriadão de 21 de abril de 2011, Por Sérgio Zaggo

Afrânio e Sérgio Zaggo na Chapada Diamantina

Afrânio e Sérgio Zaggo na Chapada Diamantina

Parque Nacional da Chapada Diamantina: um lugar místico, que tem atraído cada dia mais visitantes. Fica na Bahia, em altitudes superiores a 1.000 metros. O clima é super agradável: à noite e pela manhã tem aquele friozinho gostoso. Na “volta do dia” é quente, mas sem exagero.

No passado, viveu um ciclo de garimpo de diamantes, cujos vestígios estão por toda parte: nas ruínas, no casario antigo, nas pedras remexidas por toda parte, nos leitos de rios desviados e nas barragens feitas de pedra.

Aliás, haja pedra! São sempre muito desgastadas pela ação das intempéries, formando verdadeiras obras de arte esculpidas pela natureza. Uma, particularmente, me chamou a atenção: o “conglomerado”, que é uma rocha formada por pedras roladas multi-coloridas, formando um belo mosaico, que fiz questão de fotografar. Outra coisa interessante é a cor das águas: é escura, tipo coca-cola, mas é totalmente limpa e inodora. Já ouvi dizer que é a presença de algas que dá essa coloração.

Chegamos ao Vale do Capão na Quarta-Feira, dia 20. É uma comunidade vizinha ao Parque, onde moram muitas pessoas provenientes de cidades maiores, que optaram por um estilo de vida mais despojado, longe do stress e dos atropelos das cidades grandes. Éramos por enquanto, Eu e Elenice, Afrânio e Márcia, com seu filho Arthur. O Welmer e o Fábio estavam atrasados. Fomos provar o pastel de jaca, o mel com pimenta (uau!) e comer a famosa
Pizza Integral do Capão, que deixou lembranças.

No dia seguinte partimos somente eu e o Afrânio, acompanhados pelo Adelson que nos guiava. O Jubileu da Cantagalo foi no apoio com um Jeep. Saímos do Capão e cortamos o parque de um lado ao outro, 17 km de trilhas inesquecíveis. É como pedalar num jardim, é inacreditável! A profusão de plantas, flores, pedras, montanhas e cachoeiras, deixa a gente extasiado.

Cheguei do outro lado do parque com a sensação de que tudo que viesse dali pra frente seria lucro, porque só este trecho já valeu os 1.200 km que viajei. Em seguida rodamos mais 25 km fora do parque e terminamos o dia na Pousada Pai Inácio, debaixo de chuva, mas que não incomodou em nada.

No dia seguinte fizemos um programa super interessante: Pedalamos de Andaraí a Igatu, que é uma cidade no alto da serra, que viveu intensamente o ciclo de diamantes. São apenas 6 km de estrada calçada com pedras, construída a trocentos anos. Só que a subida é pedreira mesmo, muito puxada. Desta vez juntaram-se a nós o Welber e o Fábio. Mas o bacana mesmo foi a descida, por trilha, um verdadeiro dowhill. Lajes de pedra, degraus, pedras soltas, alguns trechos calçados, tudo no meio das ruínas de casas antigas feitas de pedra. E com direito a um ofurô no meio da descida. Um pedal curto mas inesquecível, valeu cada minuto.

E o Brasil Ride vem aí pessoal, 23 a 29 de Outubro/11, alguém se habilita?

Compartilhe

Comentários

19 Comentários para Diário de Bordo: Pedal na Chapada Diamantina, abril de 2011

  1. Bruno Fernandes disse:

    Fala Sérgio, que viagem hein? Parabéns pelo Diário de Bordo.
    Sobre o Brasil Ride, já fomos convidados pela Andrea Roma, da organização da prova.
    Creio que você terá mais acompanhantes este ano.
    Forte abraço e não deixe a roda parar de girar.

  2. Sérgio Zaggo disse:

    Os aposentos da Imprensa já estão reservados, deixa comigo.

  3. Afrânio Gonçalves Soares disse:

    Parabéns, Sérgio. A chapada é maravilhosa e seus comentários a tornaram ainda mais bela… Não sabia deste seu lado jornalístico.
    Abraços
    Afrânio

  4. Renato Amaral disse:

    Sérgio, seu texto acabou de te nomear embaixador da Chapada Diamantina.
    Eu vou!

  5. banhao disse:

    mais que lugar bacana e que belas fotos ficaram essas

  6. ronaldo gonçalves disse:

    conheço aregiao la igual as nossas aqui porque trabalhei no cllaro brasilride ja faço parte do pessoal para 2011 andei achapada inteira porque estava nos pontos de hidrataçao valeu sergio tenho muito te agradecer eo senhor sabe porque um abraço vamos marcar um pedal ai ;

    • Sérgio disse:

      Valeu Tora! Tá feito o compromisso, vamos de novo este ano. É como o Bruno disse, a galera de Patos este ano vai ser grande. E até lá eu já terei mapeado mais trilhas bacanas pra nós.

  7. Julio Simão disse:

    Sérgio, parabéns.
    Diário de bordo ficou 100%…….digo: 1.000%%%%%%
    Belo lugar, belas fotos, espero ter oprotunidade de conhecer também

  8. Bruno Fernandes disse:

    Por acaso tem alguém que tem coragem de fazer uma trilha guiada pelo Tora em plena Chapada Diamantina?

  9. walder disse:

    Na vontade que eu to de pedalar , eu toparia ! hahaha

  10. Bruno Ribas disse:

    Muito legal Sérgio!

  11. jefferson disse:

    Gostaria do e-mail ou telefone do
    Ronaldo Goncalves,

    Falous

Deixe o seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *